Invista agora
a evolução na edução financeira, conheça a Magnetis.

NDF: entenda como funciona o Contrato a Termo de Moeda

Você já ouviu falar em NDF? Esse tipo de operação é comum no mercado financeiro, utilizada especialmente por quem busca mais proteção nos investimentos.

O conceito é bem simples: as partes envolvidas, isto é, quem compra e quem vende, estabelecem um acordo entre a taxa à vista principal e a taxa NDF contratada.

Mas como funciona esse tipo de operação cambial? Quais são as diferenças entre NDF e contrato a termo? É uma opção realmente segura?

A seguir, você confere quais são as vantagens desse tipo de operação e de que forma ela é realizada. Acompanhe!

Afinal, o que é NDF?

O Non-Deliverable Forward (NDF) é um contrato de derivativos de câmbio, sem entrega física de moeda.

Funciona da seguinte forma: as duas partes fazem um intercâmbio de caixa e concordam em fixar uma taxa à vista para uma data futura.

O propósito do NDF é estabelecer uma taxa de câmbio para um período posterior. Portanto, no dia do vencimento, é realizado o cálculo do ajuste de preços — a diferença entre o valor acordado previamente e o valor da moeda no dia do vencimento da operação.

Os maiores mercados de NDF estão na rúpia indiana, no yuan chinês, no won sul-coreano, no novo dólar de Taiwan e no real brasileiro. O maior segmento de negociação de NDF está localizado em Londres, com mercados ativos também em Nova York e Cingapura.

O que é contrato a termo?

O contrato a termo é um acordo no qual duas partes estabelecem previamente um compromisso de compra e venda. Os preços são decididos e fixados para uma data no futuro, em geral negociados no mercado de balcão.

As partes envolvidas ficam vinculadas até a liquidação do valor, que ocorre na data de vencimento estipulada previamente.

Em resumo, o contrato a termo apresenta algumas características básicas, como:

  • pode ser negociado por meio de um contrato particular;
  • não precisa de um padrão;
  • a entrega é estipulada previamente no contrato;
  • as diferenças de preços são corrigidas no dia do vencimento.

Qual é a importância de se proteger no mercado?

Firmar um contrato a termo é uma das maneiras utilizadas para se proteger no mercado. Negociações como o NDF ajudam quem opta por esse tipo de operação a se defender contra variações do preço da moeda, que nem sempre são vantajosas ou previsíveis.

Por ser um contrato com preços já firmados, acaba reduzindo o risco para ambas as partes negociantes.

O valor do contrato é fixo e inalterável, independentemente de mudanças no mercado de capitais. No entanto, quem realiza esse tipo de operação deve ter em mente que o preço no dia do vencimento pode ser maior ou menor do que aquele acordado anteriormente.

O contrato a termo é uma espécie de ferramenta de hedge cambial — isto é, um derivativo comumente utilizado para reduzir possíveis riscos em operações financeiras. Logo, é uma alternativa viável para quem busca mais segurança e facilidade.

Quais são as vantagens do NDF?

Afinal, quais são as vantagens do NDF? Veja a seguir!

  • os contratos de NDF estão disponíveis em uma ampla gama de moedas;
  • fornece meios de negar o risco cambial em mercados nos quais a entrega física não é possível;
  • funciona como um contrato a termo regular, mas sem entrega física;
  • oferece proteção contra movimentos adversos na taxa de câmbio das moedas durante a vigência do contrato;
  • é adaptado às suas necessidades — a data de fixação e o valor são escolhidos por você;
  • prazos e valores são mais flexíveis;
  • o contrato é amplamente detalhado;
  • não são realizados ajustes diários;
  • a liquidação acontece apenas no dia do vencimento;
  • é uma opção segura, pois existe a possibilidade de vincular uma garantia ao NDF. Logo, em caso de descumprimento das regras, há uma proteção extra.

Como calcular o termo da moeda?

Operações de contrato a termo da moeda são iniciadas definindo o prazo e o valor das partes interessadas. Esse é o momento em que uma empresa de importação ou exportação, por exemplo, pretende realizar o hedge.

Vamos a um exemplo prático: se uma empresa que realiza importações precisa pagar por mercadorias no valor de 600 mil dólares, no dia 15/02/2020, e acredita que o preço do dólar pode flutuar muito em relação à moeda brasileira, ela pode fazer um contrato a termo.

O preço à vista em 15/12/2019 é de R$ 3,00. A empresa, então, fixa a taxa de compra dos dólares a R$ 3,10 para o dia 15/02/2020, esperando obter lucros no futuro. O cálculo a ser realizado, portanto, seria: 600.000 × (3,20 – 3,10) = R$ 60.000,00.

Caso o dólar no dia 20/02/2020 esteja valendo R$ 3,20, ela receberá um ajuste positivo. Porém, se o dólar estiver abaixo do valor esperado, ela receberá um ajuste negativo — depende de como estará o preço da moeda no dia do vencimento preestabelecido.

Em média, o prazo combinado para os contratos a termo é de 60 dias.

Como receber no mercado a termo?

No mercado a termo, os NDFs são liquidados com dinheiro. Isso significa que o valor nocional nunca é fisicamente trocado. O único dinheiro que de fato muda de mãos é a diferença entre a taxa de câmbio do momento presente e a taxa decidida no contrato do NDF.

Até o dia da liquidação do contrato, ambas as partes — compradora e vendedora — estão vinculadas. Portanto, ao final do prazo, o comprador paga pelo valor e deseja recebê-lo. O vendedor, por sua vez, entrega o pagamento correspondente ao final do contrato.

Logo, o NDF é amplamente utilizado por empresas, por conta de sua variabilidade e garantia: é possível firmar o contrato com qualquer tipo de valor, sem necessidade de caixa e com uma data de vencimento escolhida pelas partes.

Estabelecer um contrato a termo apresenta muitas vantagens, tanto para quem compra quanto para quem vende. Esse tipo de operação pode gerar ganhos consideráveis, tornando-se uma boa alternativa para quem deseja limitar o preço de uma operação de moeda estrangeira.

E se você gostou do nosso conteúdo sobre NDF e quiser aprofundar seus conhecimentos sobre o mercado financeiro, aproveite e faça o download gratuito do nosso Guia completo sobre Consultoria de Investimentos!

Mariana Congo

Mari Congo tem paixão por explicar coisas difíceis de forma fácil. É jornalista, educadora financeira, especialista em finanças pessoais e investimentos e gerente de comunicação na Magnetis.

leia mais desse autor