Saiba como as novas regras da LCA impactam os seus investimentos

por Mariana Congo | 10/10/2019

novas regras da lca
consultoria de investimento
curso de investimento

Os investimentos em LCI e LCA têm um grande chamariz: são isentos de Imposto de Renda. Além disso, são tão seguros quanto a poupança e os CDBs, já que também contam com a proteção do Fundo Garantidor de Créditos (FGC). Agora, com as novas regras da LCA, a expectativa é que investir nos títulos que financiam o agronegócio seja uma opção mais interessante.

No final de janeiro, o Conselho Monetário Nacional (CMN) passou a permitir que as instituições financeiras definam os juros cobrados em qualquer financiamento concedido ao segmento, sem restrições. Essa mudança deve aumentar a rentabilidade oferecida a quem investe em LCA.

As Letras de Crédito do Agronegócio (LCAs) passaram a fazer parte do radar de quem investe por conta da queda da Selic, que diminuiu a rentabilidade de aplicações de renda fixa.

Ficou interessado pelo investimento e quer entender os impactos das mudanças? Leia mais neste post!

O que é LCA?

A LCA é um título emitido por um banco, com o objetivo de obter mais recursos para financiamento do agronegócio. Ou seja, ao aplicar em uma LCA, você permite que o banco possa emprestar mais dinheiro para esse setor da economia.

O ativo é diferente de um Certificado de Recebível do Agronegócio (CRA). Enquanto na LCA quem garante o empréstimo é a instituição financeira que emite o título, no CRA quem garante a operação é a própria empresa que emite o certificado. Como o banco tem mais formas de devolver o dinheiro para quem investe no título do que uma empresa, o risco do CRA é maior do que o da LCA.

Qual é a rentabilidade de investimento em LCA?

O retorno da LCA pode ser mais elevado do que o de outros investimentos conservadores, como títulos do Tesouro Nacional, por conta do seu risco.

Enquanto títulos do Tesouro contam com a garantia de pagamento do governo, cujo risco é considerado baixo, nas LCAs essa garantia é dada pela instituição financeira que emite o título, que pode entrar em processo de falência e não ter condições de arcar com o empréstimo mais facilmente.

Contudo, esse risco é minimizado pelo Fundo Garantidor de Créditos, que cobre aplicações de até R$ 250 mil por instituição e CPF.

A rentabilidade da LCA é definida no momento do contrato com a instituição financeira. Sua remuneração pode ser pré ou pós-fixada.

Ao optar pela remuneração pós-fixada, a pessoa só saberá o rendimento do título no vencimento. Na maioria dos casos, a taxa pós-fixada se baseia na rentabilidade do Certificado de Depósito Interbancário (CDI), a forma mais conservadora de remuneração existente no mercado.

A rentabilidade do CDI está ligada à taxa Selic. Portanto, quanto maior for a taxa Selic, maior será o retorno oferecido pelo título.

Já a rentabilidade prefixada funciona de maneira inversa: compensa quando há previsão de que os juros caiam. Isso porque a taxa é “travada” no momento do contrato. Ou seja, em caso de aumento dos juros, a pessoa que investiu amarga prejuízo, pois será possível encontrar títulos com taxas maiores no mercado.

consultoria de investimento

Quais são as novas regras da LCA?

A mudança feita pelo CMN derrubou o limite de 8,5% de juros que os bancos podiam cobrar dos agricultores em 40% dos empréstimos concedidos. Por lei, o banco precisa destinar 35% de sua captação a empréstimos para produtores rurais.

Desde então, as instituições financeiras podem cobrar as taxas que preferirem na totalidade dos empréstimos destinados ao setor.

O que muda para quem investe?

A cobrança de juros mais altos em financiamentos ao agronegócio dará mais retorno aos bancos. Nesse caso, parte do aumento de rentabilidade das instituições financeiras pode ser repassado a quem investe na aplicação, como forma de incentivar a demanda pelo título. Ou seja, quem aplica em LCA pode ter um rendimento maior, sem que haja aumento do risco.

A mudança também deve atrair novas instituições financeiras para o segmento, além de ampliar a oferta do ativo no mercado. A maior concorrência também deve aumentar a remuneração oferecida a quem aplica no título.

Como investir em LCA?

Para investir em LCAs, o primeiro requisito é ter a quantia mínima inicial exigida pelo investimento, que varia entre as instituições financeiras.

Depois, basta escolher um título, que é oferecido tanto nos bancos quanto em corretoras autorizadas a intermediar a venda desses ativos.

Enquanto os bancos costumam vender apenas títulos emitidos pelos próprios bancos, a corretora oferece títulos emitidos por qualquer instituição financeira. Portanto, a chance de encontrar mais ofertas e rentabilidades maiores aumenta nas corretoras.

Escolhido o título com prazo mais adequado às suas necessidades e objetivos, que geralmente varia entre 1 e 3 anos, basta optar entre remuneração pré ou pós-fixada.

Quanto maior o prazo do título, maior tende a ser a sua rentabilidade. Mas é necessário ter consciência de que, diferentemente de outras aplicações, como poupança e títulos do Tesouro, talvez não seja possível contar com o dinheiro antes do prazo de vencimento ou do prazo de carência, se houver.

No prazo de carência, o valor aplicado no título pode ser resgatado totalmente ou parcialmente antes do prazo de vencimento. Nas LCAs, o prazo mínimo de carência é de 90 dias.

Por isso, o investimento em LCAs é indicado para objetivos de médio prazo, com data marcada para acontecer, como um curso no exterior ou uma festa de casamento. Para objetivos mais imediatos, quem investe deve preferir ativos mais líquidos.

Apesar da isenção de Imposto de Renda, é preciso ter a cautela de sempre comparar o rendimento líquido da LCA, descontados impostos e taxas, com o de outras aplicações tributadas, como CDBs. Isso porque apenas o fato de o título ser isento do tributo não torna o seu rendimento, necessariamente, maior do que o de outra aplicação financeira.

Outro ponto de atenção é sobre a diversificação de investimentos. Investir só em LCA, mesmo que com as mudanças favoráveis, pode não ser a melhor opção para você. Nesse aspecto, diversificar uma carteira de investimentos pode trazer mais rentabilidade, segurança e equilíbrio ao aplicar seu dinheiro.

Agora que você entendeu o que deve mudar com as novas regras da LCA, e como funciona o investimento, que tal montar uma carteira de investimentos de acordo com o cenário de juros baixos? Conheça outras aplicações que podem fazer parte do seu portfólio em nosso Guia Completo sobre Tipos de Investimentos.

Avaliar o post
curso de investimento