Invista agora
a evolução na edução financeira, conheça a Magnetis.

Você pode investir de um jeito melhor, e nós podemos provar.

Baixe o app!

O que é a gestão de portfólio e como fazer? Confira 5 dicas!

Tomar boas decisões de investimento é essencial para investir seus recursos de forma otimizada, considerando suas características e necessidades. Para alcançar esse resultado, é importante realizar uma gestão de portfólio eficiente.

Assim, vale saber que o processo exige atenção a alguns pontos essenciais. Dessa forma, você poderá se planejar e fazer o gerenciamento a favor do desempenho da sua carteira e da realização dos seus objetivos pessoais.

Quer descobrir como fazer uma boa gestão de portfólio? Confira a seguir 5 dicas!

O que é a gestão de portfólio e como funciona?

A gestão de portfólio inclui um conjunto de decisões estratégicas voltadas para equilibrar e otimizar os investimentos realizados. Esse processo tem início na identificação de quais ativos devem compor uma carteira, de acordo com a tolerância ao risco e com os objetivos de cada investidor.

Além disso, a gestão de portfólio é contínua e dura enquanto mantiverem os investimentos. Ela prevê a realização de novas operações para corrigir ou ajustar os riscos da carteira ou para potencializar seus resultados, por exemplo.

Qual a importância de uma boa gestão de portfólio?

Após descobrir o que é a gestão de portfólio, vale saber que esse hábito pode trazer diversos benefícios. Um dos pontos positivos é a otimização da alocação de recursos, já que ela considera a sua tolerância ao risco e as suas metas pessoais.

A partir desse gerenciamento, aumentam as suas chances de construir uma carteira adequada ao que você pretende alcançar e ao tipo de risco que está disposto a assumir. Assim, você pode ampliar seu patrimônio e alcançar seus objetivos financeiros com mais facilidade.

A gestão também o ajuda a identificar oportunidades e ameaças. Em vez de deixar seu dinheiro em um investimento pouco rentável, você pode escolher uma outra opção ou criar uma composição com nível de risco equivalente e maior potencial de retorno, por exemplo.

Além disso, após o investimento, a gestão permite adaptar a sua carteira a novos planos, interesses e condições. Sem ela, por outro lado, seu dinheiro ficaria limitado às alternativas escolhidas anteriormente — desperdiçando oportunidades eventualmente melhores que o mercado pode oferecer ao longo do tempo.

5 Dicas para fazer a gestão do seu portfólio

Depois de saber que a gestão de portfólio é importante para o seu sucesso no mercado financeiro, vale a pena entender como colocá-la em prática no seu cotidiano. Nesse sentido, existem algumas dicas que podem ajudá-lo a fazer um gerenciamento mais efetivo.

A seguir, veja 5 orientações para gerenciar a sua carteira com qualidade!

1. Elabore um planejamento estratégico

Como você viu, a gestão de portfólios envolve tomar decisões constantemente sobre as oportunidades do mercado de investimentos. Para que isso ocorra da melhor maneira, elabore um planejamento estratégico. Ele garantirá alinhamento entre o portfólio e suas características.

Nesse caso, vale começar identificando o seu perfil de investidor, de acordo com a sua tolerância à volatilidade e aos riscos de perdas. Além disso, é necessário conhecer quais são os seus principais objetivos financeiros.

Dessa forma, você pode entender qual deve ser o risco geral da sua carteira, qual é o prazo ideal de investimentos e os resultados desejados. Todos esses aspectos devem ser considerados tanto no momento inicial quanto ao longo do gerenciamento.

2. Diversifique a sua carteira

Assim que o plano estratégico for criado, é o período de começar a definir a alocação de ativos. E uma dica fundamental nesse contexto envolve diversificar a carteira. Essa estratégia ajuda a mitigar parte dos riscos e aumentar o potencial de retorno do portfólio.

Para que a diversificação seja verdadeira, o ideal é focar na correlação entre os investimentos. Se ela for positiva, é sinal de que eles se comportam da mesma maneira — e, portanto, não há diversificação real.

Por isso, você deve buscar investimentos que se comportem de maneiras opostas (correlação negativa) ou que tenham performances independentes (descorrelação). Dessa forma, eventuais resultados negativos de um investimento podem ser compensados pelos ganhos de outro.

3. Considere as metodologias do mercado financeiro

Você também pode utilizar teorias e metodologias já consolidadas no mercado para montar e executar a sua gestão de portfólio. É o caso de recorrer ao Índice Sharpe. Ele serve para analisar investimentos em relação a um ativo livre de risco. 

Desse modo, você consegue definir se a relação de risco e retorno é favorável e se o potencial de ganhos justifica assumir um risco maior ao investir. O Índice Sharpe também permite comparar investimentos para encontrar a melhor oportunidade para a sua carteira.

Outra possibilidade envolve a Teoria Moderna de Portfólio. Ela consiste em selecionar ativos descorrelacionados ou com correlações negativas. Ao final, o portfólio poderá ter um potencial de retorno maior para o mesmo nível de risco de um ativo individual — ou menos riscos para o mesmo potencial de retorno.

4. Faça o rebalanceamento do portfólio

Independentemente da metodologia utilizada, é essencial incluir o rebalanceamento na gestão de carteira de investimento. Ele envolve realizar avaliações periódicas para identificar a necessidade de efetuar ajustes na composição do portfólio.

O rebalanceamento é especialmente necessário para corrigir o perfil de risco da carteira. Afinal, ele pode mudar conforme o desempenho dos ativos. 

Se você investir em ações e títulos públicos e os papéis da bolsa tiverem grande valorização, por exemplo, é provável que uma parte maior do seu patrimônio corresponda às ações. Isso pode ultrapassar o perfil de risco que você deseja manter na sua carteira de investimentos.

Nesse cenário, é preciso rebalancear. O processo pode ser feito vendendo parte das ações ou investindo mais em renda fixa. Com isso, os percentuais da carteira voltam ao que foi estipulado na sua estratégia inicial.

5. Conte com uma gestora profissional

Você já sabe que fazer a gestão de portfólio é um processo essencial. Contudo, essa não é uma tarefa que precisa ser realizada por conta própria. Para otimizar os resultados e trazer mais praticidade para o seu cotidiano, é interessante buscar o apoio de uma gestora de investimentos.

Se você quer contar com uma equipe qualificada e pronta para atender suas necessidades, a Magnetis é uma boa escolha. Somos uma gestora digital que pode ajudá-lo a identificar seu perfil e seus objetivos estratégicos, definindo e mantendo a carteira ideal para as suas características.

Como você viu, a gestão de portfólio é um processo que permite otimizar seus investimentos e o desempenho que pode ser obtido pela carteira. E, com a ajuda dessas 5 dicas, será mais fácil executar esse gerenciamento de modo estratégico, principalmente se você contar com o suporte de profissionais nessa jornada!

Essas informações foram úteis? Se quiser ter apoio especializado para a gestão de carteira, entre em contato conosco da Magnetis!

Andressa Siqueira, CFP®
Andressa Siqueira, CFP®

Formada em Economia pela PUC-SP, é especialista em investimentos na Magnetis desde 2019. Possui as certificações CEA pela ANBIMA e de planejadora financeira CFP®, trabalha no mercado financeiro há mais de 8 anos.

leia mais desse autor