Invista agora
a evolução na edução financeira, conheça a Magnetis.

Você pode investir de um jeito melhor, e nós podemos provar.

Baixe o app!

O que é correlação espúria e qual a relação com os investimentos?

Entender como fatos e dados se relacionam pode te ajudar a identificar boas oportunidades no mercado financeiro. No entanto, é importante prestar atenção às conexões que, na verdade, podem atrapalhar suas decisões ao montar uma carteira de investimentos. Entre elas, está a correlação espúria.

Neste artigo, você saberá o que é a correlação espúria e como ela ocorre no mercado de investimentos! 

O que é a correlação? 

A correlação é a correspondência que pode ou não existir entre duas variáveis analisadas. Logo, o conceito serve para determinar se as variáveis observadas se comportam de modo equiparado ou não, diante das mesmas condições.

Em termos de estatística, esse paralelismo entre variáveis é medido pelo índice de correlação — comumente chamado de R. Esse indicador pode variar de -1 a 1 e apresenta os seguintes significados:

  • R = 1: indica a correlação perfeita entre as variáveis. Logo, elas se comportarão da mesma forma em uma condição equivalente;
  • R = 0: representa a descorrelação, que ocorre quando as variáveis não têm pontos em comum;
  • R = -1: é a correlação negativa perfeita. Assim, os movimentos serão exatamente opostos.

O que é uma correlação espúria? 

Até aqui, você entendeu os tipos de correlação e como funcionam. Agora, é importante saber que também existe a chamada correlação espúria.

Ela acontece quando duas ou mais variáveis apresentam uma correlação positiva ou negativa, mas não têm uma relação de causa e efeito. Logo, o comportamento equivalente ou oposto apresentado por variáveis não se justifica — e pode ser fruto de uma mera coincidência entre os fatos.

Nesse caso, portanto, as variáveis realmente apresentam um comportamento que aparenta ter uma correlação. Porém, isso não significa que elas estejam, de fato, ligadas.

Para trazer um exemplo conhecido sobre esse tipo de relação, vale considerar dois dados concretos: o número de casos de sarampo e a taxa de casamentos no ano. Ambos os dados foram coletados nos Estados Unidos, no período entre 1965 e 2020.

No gráfico abaixo, você notará que a correlação é positiva entre casos de sarampo e a taxa de casamentos no ano. E além de se comportarem nas mesmas direções, os dois eventos apresentam intensidades similares ao longo das décadas.

Aqui, a correlação espúria poderia ser dada pela crença de que menos casos de sarampos levam a mais casamentos — ou vice-versa. No entanto, os avanços da medicina moderna e as mudanças na sociedade são as verdadeiras razões pelo comportamento das variáveis. Logo, a semelhança  entre elas é apenas aleatória.

Qual a relação desses conceitos com os investimentos? 

Após conferir as principais informações sobre os tipos de correlação e a correlação espúria, vale saber que esses conceitos podem se relacionar à gestão de investimentos. Afinal, a correlação de investimentos baseia a estratégia de diversificação, por exemplo.

Para compor uma carteira com risco variado e potencialmente reduzido, a ideia é escolher investimentos descorrelacionados ou com correlação negativa. Nesse último caso, o prejuízo sofrido por um investimento pode ser compensado pelo ganho de outra alternativa do mercado.

Ao mesmo tempo, é preciso ter cuidado com a correlação espúria entre investimentos e entre as condições do mercado financeiro. Nesses casos, a tomada de decisão pode se tornar menos racional e aumentar os riscos.

Para entender como isso pode ocorrer, vale saber que, também nos Estados Unidos, existe o chamado indicador do Super Bowl. Ele traz uma correlação espúria entre o vencedor do campeonato de futebol americano e o comportamento do mercado de ações.

A dinâmica do índice envolve a premissa de que conhecer o vencedor da disputa permitiria prever o comportamento do mercado — quando, na verdade, uma eventual ligação entre as informações é apenas uma coincidência.

Porém, se um investidor utilizar esse indicador como principal referência para tomar uma decisão, há a chance de ele investir de maneira incorreta ou mal-informada. Logo, existe uma exposição maior ao risco, já que outras variáveis não foram consideradas.

Como evitar a correlação espúria? 

Como você viu, a correlação espúria pode prejudicar a sua estratégia de investimentos. Sendo assim, é especialmente importante saber como evitá-la, de modo a mitigar os principais impactos que ela pode causar.

Nesse caso, é fundamental ter atenção antes de considerar duas variáveis ou dois investimentos correlacionados. O ideal é tentar entender quais são os motivos para determinado comportamento e como essa relação pode fazer sentido para a sua carteira.

Também é interessante diversificar suas fontes de informações e buscar compreender a mesma situação ou relação de ângulos diferentes. Assim, é possível identificar mais facilmente uma correlação espúria e os pontos de atenção ao escolher seus investimentos.

Como utilizar a correlação de forma adequada para diversificar a carteira? 

Ao mesmo tempo em que a correlação espúria pode prejudicar sua estratégia de investimentos, o conceito relacionado à correlação é útil para a tomada de decisão. Para tanto, é essencial saber como aproveitar esses conceitos corretamente.

Nesse caso, você pode selecionar investimentos com níveis de riscos distintos. É o que pode acontecer ao escolher um investimento com risco de crédito maior, mas com um risco de liquidez menor.

Também seria possível complementar a estratégia ao optar por um investimento que é mais afetado pelo risco de mercado, por exemplo. Além disso, é fundamental medir a correlação entre eles. 

Assim, você pode escolher os investimentos que estejam mais próximos de 0 (descorrelacionados) ou de -1 (negativamente correlacionados). Portanto, será preciso calcular as relações estabelecidas entre os diferentes investimentos e como elas afetam o risco da carteira.

Ademais, vale saber que há como diminuir o risco geral do portfólio mesmo com investimentos mais arriscados. Para isso, é essencial que eles tenham uma correlação negativa, tão próxima quanto possível de -1. Quanto mais intensa for essa oposição entre os comportamentos, menor tende a ser o risco.

Como uma gestora de investimentos pode te ajudar?

Contar com uma gestão de investimentos profissional pode te ajudar na escolha da configuração do portfólio. Aqui na Magnetis, você conta com uma gestão digital e tem suporte para compor sua carteira de forma diversificada e com riscos e retornos adequados para os seus objetivos. Sem contar que, ao delegar a sua gestão de investimentos para nós, você fica livre de cometer enganos quanto à correlação dos investimentos.

Neste artigo, você descobriu o que é a correlação espúria e como ela pode fazer parte do mercado de investimentos. Com essas informações, fica mais fácil evitar esse tipo de correlação entre os investimentos e outras variáveis. Assim, é possível tomar decisões mais racionais e estratégicas.

Precisa de ajuda para compor e diversificar sua carteira de investimentos? Fale com especialista da Magnetis agora!

Andressa Siqueira, CFP®
Andressa Siqueira, CFP®

Formada em Economia pela PUC-SP, é especialista em investimentos na Magnetis desde 2019. Possui as certificações CEA pela ANBIMA e de planejadora financeira CFP®, trabalha no mercado financeiro há mais de 8 anos.

leia mais desse autor