Onde investir: 5 opções além dos bancos

por Magnetis | 30/09/2015

Descubra onde investir: cinco opções além dos bancos

Escolher onde investir ou em quais aplicações financeiras você vai colocar seu dinheiro envolve também outra escolha importante: qual instituição vai fazer a intermediação? 

O banco não é a única alternativa.

Neste post vamos apresentar os principais prestadores de serviços de investimentos. 

A jornada até alcançarmos nossos objetivos financeiros e realizarmos nossos sonhos é longa e repleta de desafios. O mundo dos investimentos é bastante complexo, dinâmico e difícil de navegar. Atualmente são mais de 20 mil produtos de investimentos que são oferecidos e nem todo mundo tem tempo ou experiência para pesquisar e comparar todos eles.

Ao mesmo tempo, sabemos que ter um bom planejamento pode fazer uma grande diferença nos investimentos. Navegar num território desconhecido sem um mapa ou um guia de confiança pode atrasar nossa viagem ou até mesmo impedir que cheguemos ao nosso destino. Da mesma forma, para alcançar nossos objetivos financeiros é fundamental termos uma boa orientação.

Portanto, perguntamos: quem é a instituição parceira da sua jornada nos investimentos?

Explicamos aqui os principais tipos de prestadores de serviços de investimento para você conhecer as características de cada um e poder escolher um bom parceiro para essa grande jornada.

Mas afinal, onde investir?

Bancos

Tradicionais, os bancos de varejo são os lugares mais conhecidos da pessoa física quando o assunto é administração de recursos financeiros. Foi em um banco que você abriu, provavelmente, sua primeira conta corrente ou conta poupança. O caminho natural seria investir seu dinheiro também em um banco.

Mas vale lembrar que essas instituições financeiras contam com milhões de clientes e os gerentes, por sua vez, não são especialistas em investimentos e têm metas de vendas a cumprir todo mês. A pergunta é: será que o gerente do seu banco vai oferecer a você os investimentos mais adequados aos seus objetivos e às suas necessidades ou ele vai tentar vender aquela aplicação financeira que garantirá o bônus dele no fim do mês? Neste outro post do blog, nós falamos sobre conflito de interesses.

Como investir: Para investir por meio de um banco, basta ter conta naquela instituição.

Vantagens: Comodidade é a principal vantagem de realizar investimentos por meio dos bancos. Basta você transferir seus recursos, pelo internet banking mesmo, para um fundo de investimento ou para a corretora do próprio banco, onde são oferecidas diversas aplicações financeiras.

Desvantagens: Essa comodidade, porém, pode custar caro. Geralmente, os bancos cobram taxas de administração mais altas para fundos de investimento e oferecem menor rentabilidade líquida, principalmente para clientes com poucos recursos para aplicar. Além disso, são recomendados apenas os produtos financeiros daquela instituição, sem levar em conta, na maioria dos casos, o seu perfil de investidor e seus objetivos.


Corretoras de valores

Assim como os bancos, as corretoras de valores são instituições financeiras com múltiplas funções, porém mais focadas em investimentos. Em suas prateleiras, as corretoras atualmente oferecem a intermediação não apenas de ações, mas também de investimentos de renda fixa, como os títulos públicos (Tesouro Direto) e privados (CBD, LCI, LCA).

Cabe destacar que as corretoras constituem sua receita a partir das comissões dos produtos que vendem ou das taxas de intermediação, como corretagem ou spread. Por isso, a remuneração dos profissionais das corretoras é geralmente associada a essas comissões, da mesma forma que o bônus recebido pelos gerentes dos bancos.

Como investir: Para investir por meio de uma corretora, é necessário abrir uma conta na instituição. Algumas corretoras realizam todo o processo de abertura de conta através da sua plataforma online. Também é necessário transferir os recursos para a conta na corretora.

Vantagens: Ao investir por meio de uma corretora, você pode encontrar melhores taxas de remuneração do que encontraria em um grande banco. Outra vantagem é poder contar com serviços e ferramentas que ajudam na hora de aplicar o dinheiro, como o home-broker no caso de investimentos em ações.

Desvantagens: O maior cuidado que você deve ter é verificar se os produtos oferecidos são realmente adequados ao perfil e se as taxas cobradas são baixas. Como as corretoras recebem comissão pelos produtos vendidos, há o incentivo de oferecer aos seus clientes produtos que têm custos altos. É preciso também ter atenção para corretoras que estimulam o excesso de operações de determinados investimentos, a fim de gerar comissões.


Agentes autônomos de investimentos

Os chamados agentes autônomos de investimentos são pessoas físicas que prospectam e captam clientes, atuando para uma corretora. Esses profissionais prestam informações sobre os produtos e serviços oferecidos pela instituição que o contratou, exercendo um papel de intermediário entre você e a corretora. Na prática, vendem os produtos de investimento e recebem uma comissão pela venda.

Pela regulamentação, os agentes autônomos não têm autorização, por exemplo, para administrar a sua carteira de investimento ou oferecer recomendações de investimentos. É possível consultar no site da CVM a lista dos agentes autônomos autorizados a exercer a função.

Como investir: Para investir por intermédio de agente autônomo, é necessário abrir uma conta na corretora a qual ele é vinculado (ver acima).

Vantagens: Ao investir com um agente autônomo de investimento, o ponto positivo é poder contar com o apoio de um profissional que conhece o mercado financeiro.

Desvantagens: A maior desvantagem é o conflito de interesse entre o cliente e o agente autônomo. Assim como o gerente do banco, a sua meta é vender os produtos financeiros para garantir sua comissão mensal. Em muitos casos, são oferecidos produtos com altas taxas que nem sempre são a melhor opção para o investidor. Outro ponto negativo é que a gama de investimentos oferecida pelo agente autônomo vai depender da corretora à qual ele está vinculado.


Consultorias de investimentos

A consultoria de investimentos, ou de valores mobiliários, é a pessoa física ou jurídica que assessora e orienta você a buscar os investimentos que sejam mais adequados a seus objetivos e a seu perfil. Ao contrário de bancos ou corretoras, o consultor não faz a intermediação de produtos financeiros. Assim como um advogado, ele fica do lado do investidor para ajudá-lo a realizar e monitorar seus investimentos.

Por regulamentação, as consultorias não são autorizadas a receber comissões dos produtos que recomenda, a fim de preservar sua imparcialidade. Da mesma forma, os consultores normalmente atuam de forma independente, sem vínculos à instituições financeiras.

Os consultores de investimentos devem ser credenciados pela CVM para desenvolver suas atividades. É possível consultar no site a lista dos consultores autorizados a exercer a função. A Magnetis é um deles.

Como investir: O processo de investimento por meio das consultorias é simples: basta você criar um cadastro. A consultoria analisa seu perfil e seus objetivos e traça um plano de investimento personalizado. A aplicação dos recursos é feita por meio de corretoras, com ajuda da consultoria.

Vantagens: O grande diferencial das consultorias é oferecer um modelo verdadeiramente isento, onde o seu interesse está alinhado com o do consultor. Por não estar vinculado com nenhuma instituição, o consultor normalmente procura os melhores produtos de todo o mercado e recomenda aqueles que têm menores taxas e que sejam mais adequados para seu perfil. Outra vantagem é o monitoramento e rebalanceamento constante da carteira. Diante de oscilações do mercado, a alocação dos ativos é alterada de modo a garantir que os seus investimentos estejam sempre balanceados.

Desvantagens: Os consultores normalmente cobram uma de taxa de consultoria, além das taxas dos produtos comprados. Porém, esse percentual é muitas vezes compensado pela seleção de ativos de menor custo e de maior rentabilidade. Outra desvantagem é que muitas consultorias exigem um valor mínimo de investimento, em alguns casos de dezenas de milhões. Felizmente, hoje existem consultorias de investimento online que oferecem serviços automatizados mais acessíveis, com investimento mínimo baixo.

Gestoras de recursos


As gestoras de recursos (também conhecidas como “assets”) têm como função montar e gerir fundos de investimento, além de fazer a gestão de carteiras administradas. As gestoras podem ser vinculadas à instituições financeiras como bancos ou podem ser independentes.

A principal característica da gestora é tomar as decisões de investimentos para o cliente. Ao comprar um fundo, por exemplo, você está delegando a decisões para o gestor. Portanto, é sempre prudente consultar a reputação da gestora e conhecer a fundo os produtos oferecidos e seu histórico.

Como investir: Para investir por meio de uma gestora, é necessário preencher e assinar uma série de formulários, como ficha cadastral, termo de adesão, entre outros. Também é necessário realizar uma transferência para a conta do fundo.

Vantagens: A principal vantagem de investir por meio de gestoras é contar com profissionais capacitados que trabalham exclusivamente para buscar o melhor retorno para as carteiras.

Desvantagens: Apenas uma parcela pequena de gestores consegue entregar um retorno superior aos dos grandes índices. Com mais de 10 mil fundos no mercado, é muito difícil saber de antemão quais gestores vão conseguir produzir bons retornos. Além disso, na grande maioria dos casos, as gestoras cuidam apenas de alguns produtos específicos, sem ter uma visão global da sua carteira de investimentos. Ela não será capaz (e nem é o seu papel) de garantir uma boa diversificação da sua carteira.

Faça você mesmo

Quem tem um pouco mais de conhecimento e tempo pode ficar responsável por escolher as aplicações financeiras. Nesse caso, é preciso estudar as diferentes classes de investimento existentes, entre renda fixa e renda variável, além de traçar um plano que seja condizente com seus objetivos. O processo do “faça você mesmo” pode ser mais demorado e trabalhoso, mas ao mesmo tempo garante autonomia na hora de selecionar os investimentos.

Como investir: O processo vai depender da abordagem escolhida. É possível utilizar a conta do banco ou de uma corretora. Normalmente os investimentos são realizar através do internet banking ou home-broker.

Vantagens: O ponto positivo de selecionar por conta própria os ativos e montar sua carteira de investimentos é óbvio: você está no comando e as decisões serão tomadas conforme seus conhecimentos sobre as aplicações financeiras e de acordo com os objetivos de vida.

Desvantagens: A principal desvantagem de investir por conta própria é que nem sempre temos o conhecimento, a experiência ou simplesmente o tempo para fazer o gerenciamento adequado dos investimentos. Há o risco de incorrer em erros comuns como comprar os “investimentos da moda” ou esquecer-se de fazer a manutenção periódica na carteira de investimentos. Essa abordagem não é aconselhada para iniciantes.

O futuro do investimento está aqui

Atualmente, a grande novidade é o surgimento das consultorias de investimento online. Além das mesmas vantagens oferecidas pelas consultorias tradicionais, como isenção, análise de perfil e monitoramento constante da carteira de investimentos, as consultorias online cobram taxas bastante acessíveis e tem um investimento mínimo baixo. Isso tornou-se possível através do uso intenso de tecnologias sofisticadas.

A Magnetis é uma plataforma inovadora de investimentos online no Brasil, capaz de analisar o perfil de cada investidor, recomendar a carteira de investimentos mais adequada e realizar as operações de forma automatizada. Os sistemas da empresa analisam mais de 15 mil ativos financeiros antes de encontrar a combinação ideal para cada pessoa.

Você já pensou nos seus objetivos financeiros para o futuro? Crie seu plano de investimento personalizado sem custo em poucos minutos e veja o que você precisa fazer para atingir seus sonhos.




Mariana Congo, da Magnetis

Mariana Congo é Gerente de Comunicação da Magnetis e jornalista especializada em finanças pessoais.

Atualizado em 10/03/2019

Onde investir: 5 opções além dos bancos
5 (100%) 1 vote[s]