Invista agora
a evolução na edução financeira, conheça a Magnetis.

Opção de Copom: conheça uma nova estratégia para proteger investimentos de renda fixa

A opção de Copom é um tipo de investimento que foi lançado em maio de 2020 pela B3, a bolsa de valores brasileira. Enquadrada na classe dos derivativos, ela se baseia nas decisões do Banco Central sobre a Selic, a taxa básica de juros.

Essa novidade permite montar uma estratégia de proteção focada em investimentos de renda fixa. Sob outro ponto de vista, ela também permite especular sobre a alta ou a queda da taxa de juros.

Neste post, vamos entender um pouco mais sobre:

  • como funciona a opção de Copom;
  • quem pode investir nesse tipo de aplicação;
  • como esse investimento pode ser usado como estratégia de proteção;
  • vale a pena pensar em incluir esse instrumento na sua carteira.

Mas antes de começarmos, precisamos passar por dois pontos fundamentais: como funciona o mercado de opções e como funciona o Copom.

A partir de agora, você vai ver tudo o que precisa para entender esse novo tipo de investimento.

Só lembrando, você sempre pode tirar suas dúvidas ao final do post, deixando o seu comentário. Aproveite a leitura!

Como funciona o mercado de opções?

Antes de entendermos a opção de Copom, precisamos recapitular como funciona o mercado de opções.

Uma opção é um contrato negociado na bolsa de valores que permite comprar ou vender um determinado investimento por um preço definido na data combinada.

Esses contratos funcionam, portanto, como uma espécie de seguro do investimento, uma vez que é possível garantir a negociação de um ativo a um determinado preço na data do vencimento do contrato. Esse mecanismo, aliás, é conhecido como trava.

Da mesma forma, é possível usar esses instrumentos para especulação, uma vez que você não precisa necessariamente ter o ativo para negociar uma opção de compra ou de venda.

Imagine que você tenha uma ação de uma empresa que vale R$ 100 hoje. Só que você acredita que esse preço vai desvalorizar muito nos próximos dias.

Então, você negocia no mercado uma opção de venda dessa ação a R$ 98, uma vez que você acredita que o preço vai cair bem mais do que isso.

Assim, quando chegar a data definida, você pode exercer a opção de venda dessa ação ao preço de R$ 98, independente do preço negociado no dia.

Mas e se acontecer o contrário: o preço da ação fica estável ou sobe?

Nesse caso, você perde o dinheiro que gastou comprando a opção, uma vez que esses contratos têm data de vencimento definida.

Existe uma outra alternativa que é fazer a rolagem da opção. Nesse caso, você paga uma tarifa para estender o prazo de validade do contrato.

Vale lembrar que, assim como as ações, as opções são investimentos negociados na bolsa e estão disponíveis também nas modalidades day trade e swing trade. Ou seja: é um mercado até maior do que o de ações.

Dessa forma, é possível ganhar (ou perder) dinheiro com opções de duas formas diferentes:

  • acertando no preço de exercício (strike) que você definiu;
  • negociando opções de compra ou de venda no mercado.

O que é Copom?

Se você já conhece o blog da Magnetis, sabe que Copom é a sigla para Comitê de Política Monetária, um grupo formado pelos diretores do BC.

Esse grupo se reúne a cada 45 dias para analisar diversas questões relacionadas à economia e à política no Brasil e no mundo. A partir daí, eles decidem manter, subir ou baixar a Selic.

Essa decisão leva em conta, acima de tudo, o comportamento da inflação nesses intervalos de 45 dias. Considerando esse indicador, o BC pode decidir:

  • subir a taxa Selic para combater uma escalada da inflação;
  • cortar a Selic para estimular a economia e o crédito (juros mais baratos);
  • manter a Selic como está caso o cenário seja considerado sob controle.

Em 2020, o Copom ainda terá reuniões nas seguintes datas:

Calendário de reuniões do Copom em 2020

  • 16 e 17 de junho;
  • 4 e 5 de agosto;
  • 15 e 16 de setembro;
  • 27 e 28 de outubro;
  • 8 e 9 de dezembro.

Como funciona a opção de Copom?

Agora que já passamos pelos pontos fundamentais, vamos ao que interessa.

Uma opção de Copom é um contrato de compra ou venda de investimentos relacionados à expectativa sobre a decisão do Copom a respeito da Selic.

Com esse contrato, será possível estimar qual será a taxa definida pelo Copom nas próximas reuniões e ganhar (ou perder) dinheiro a partir dessa decisão.

Dessa forma, as pessoas e as instituições poderão negociar contratos que dizem que a Selic pode:

  • subir 0,25, 0,50, 0,75, 1 ponto-base (bps) na próxima reunião do Copom, e assim por diante;
  • ser cortada em 0,25, 0,50, 0,75, 1 ponto-base (bps) na próxima reunião do Copom, e assim por diante;
  • ser mantida no atual patamar.

Conforme divulgou a B3, a bolsa de valores brasileira, cada contrato de opção equivale a R$ 10 mil. Mas quem investe paga apenas o chamado prêmio: um valor baseado na probabilidade do cenário previsto se concretizar.

Se essa probabilidade for de 40%, por exemplo, esse prêmio equivale a R$ 4 mil: esse é o valor inicial que deve ser pago pelo investimento.

No vencimento do contrato, se o cenário se concretizar, quem pagou o prêmio desse contrato leva os R$ 10 mil. Dessa forma, o lucro é o valor do contrato menos o valor do prêmio: R$ 6 mil.

Caso aconteça o contrário, quem investiu perde o valor total do prêmio pago.

Vale lembrar que quanto maior é a probabilidade de um cenário acontecer, menor é a expectativa de lucro.

Quem pode investir em opção de Copom? Quanto custa?

Qualquer pessoa ou instituição podem investir em opções de Copom. Basta ter uma conta cadastrada em uma corretora de valores que dê acesso a esse tipo de negociação. Geralmente, ele é feito via home broker.

O custo varia dependendo da corretora. Existem instituições que fazem cobranças obedecendo à Tabela Bovespa. Por outro lado, há corretoras com taxa zero.

Também existem os impostos: ISS (no caso de São Paulo) e o Imposto de Renda sobre os investimentos em renda variável:

  • 15% sobre o lucro de swing trade;
  • 20% sobre lucro de day trade;
  • IR retido na fonte, o chamado “dedo-duro”: cobrança de 0,005% sobre operações comuns e 1% sobre o lucro de day trade. Serve para a Receita Federal rastrear as operações na bolsa de valores;

Por isso, consulte as instituições do seu interesse e compare as vantagens que cada uma oferece.

Vale a pena usar essas opções como proteção?

Como você viu aqui, as opções de Copom podem compor uma estratégia de proteção em investimentos de renda fixa, uma vez que elas permitem ter um ganho extra com as decisões do Copom sobre a Selic.

No entanto, os contratos têm um valor mais alto. Vale considerar se eles fazem sentido para a sua carteira.

Por outro lado, você também pode fazer esses investimentos por meio de um veículo especializado: pode ser um fundo de investimentos ou uma gestora de patrimônio, como a Magnetis. As vantagens são:

  • equipe especializada;
  • investimento inicial mais baixo;
  • custos menores em relação ao investimento individual.

Agora que você já sabe mais detalhes sobre as opções de Copom, que tal entender um pouco mais sobre como uma gestora de investimentos pode ajudar você? Clique aqui para falar com nossos especialistas e descobrir a melhor estratégia para você!

Malena Oliveira

Especialista em Finanças Pessoais e membro do Grupo Consultivo de Educação Financeira da Anbima.

leia mais desse autor