X
Magnetis Week

a black friday da

Magnetis Logo
Invista agora
a evolução na edução financeira, conheça a Magnetis.

Como e por que fazer pesquisa interna sobre benefícios?

As pesquisas de clima são uma excelente maneira de manter um bom relacionamento entre a equipe. Trata-se de um método eficiente para analisar se o ambiente de trabalho se encontra equilibrado e motivador para os colaboradores.

Um ambiente harmonioso é indispensável para deixar os profissionais mais bem-dispostos, tornando-os mais produtivos e trazendo resultados melhores. E a pesquisa, nesse caso, é a ferramenta que ajuda a identificar se esse objetivo foi alcançado.

Você pode trabalhar vários assuntos em uma pesquisa interna: atuação das lideranças, processos, bem-estar e remuneração. Neste post, vamos focar nas pesquisas direcionadas para a validação e gestão de benefícios.

Quer saber como colocar esse tipo de pesquisa em prática na sua empresa? Fique com a gente!

Como fazer uma pesquisa organizacional?

Fazer uma pesquisa interna é a melhor saída para entender o que os colaboradores buscam, especialmente quando falamos de ofertar benefícios flexíveis.

Veja, a seguir, algumas dicas para auxiliar na criação de uma pesquisa de clima focada em benefícios.

1. Faça perguntas objetivas

Fazer perguntas objetivas e curtas é o melhor caminho para obter respostas coerentes. Se você acha que a pergunta está confusa, divida. Peça para alguém de fora da formulação da pesquisa revise as perguntas e garanta sua clareza.

Assim, não haverá margem para tratar de uma questão que não é o foco, mas sim, garantir que cada tema tenha seus devido espaço e atenção dentro do questionário.

2. Dê alternativas com escala de avaliação

Dependendo do tema ou contexto, o profissional pode se sentir acanhado para entrar em detalhes sobre o que o desagrada, ou mesmo ficaria perdido fazendo isso.

Colocar uma nota de avaliação como resposta colabora para que ele possa mostrar seu posicionamento sem perder o foco ou tangenciar o tema. Além disso, facilita a avaliação da pesquisa em casos com um número muito grande de dados.

É importante lembrar que escalas de avaliação com números pares (1-10) obrigam que o colaborador tome uma posição: ou mais favorável ou menos a um terminado tema. Escalas ímpares (1-5) deixam com que ele mostre uma indecisão e não se posicionem.

3. Deixe um espaço para o colaborador discorrer sobre sua opinião

Deixar um espaço em aberto é uma boa alternativa para que as pessoas da equipe se aprofundem em algum tópico. Elas também podem mencionar algo que talvez não tenha sido previsto na pesquisa.

Assim, é importante para que eles se sintam à vontade para falar sobre sua perspectiva individual a respeito do assunto. Isso aumenta a confiança dos colaboradores na instituição ao ver que ela valoriza a sua opinião.

Muitas empresas colocam esse tipo de pergunta como opcional em vários momentos da pesquisa. Desta forma, garantem um maior número de respostas já que muitas pessoas se desestimulam com esse modelo de pergunta.

4. Garanta a segurança e anonimato dos dados

Ao responder uma pesquisa, é fundamental saber que os dados estarão seguros. Assim, a pesquisa ganha confiabilidade — ainda mais quando se trata de um levantamento de opiniões.

Passar essa segurança é sinal de responsabilidade com seus colaboradores. Demonstra que a empresa não somente quer o parecer deles dentro das perguntas abordadas, como também respeita sua privacidade e não irá confrontá-los de acordo com suas respostas.

5. Disponibilize o questionário online

Essa alternativa já apresenta uma vantagem inicial, que é a de facilitar o gerenciamento das respostas. Caso você queira agrupar as respostas de uma mesma pergunta para avaliar ou fazer um dashboard, essa alternativa é a ideal.

Depois que o questionário é concluído, ele é encaminhado à pessoa responsável no RH. Se esse processo é feito pela internet, as informações vão direto para o banco de dados. Dessa forma, é possível direcionar o acesso aos interessados por meio de criação de usuários.

Vários softwares já possuem essas características, como SurveyMonkey, Typeform, GoogleSheets e Excel Online.

6. Analise os resultados para entender o nível de satisfação e os pontos de melhoria

É de grande importância que, após a pesquisa de clima organizacional, todas as respostas lidas sejam levadas em consideração. Afinal, é assim que sua equipe compreende que deve ser sincera nas respostas e que elas trarão mudanças efetivas no dia a dia da empresa.

Também é a forma mais segura de fazer mudanças compreendendo as demandas reais dos colaboradores e seus feedbacks a respeito do que já é oferecido.

Sendo assim, é essencial mostrar que as pessoas são importantes para o funcionamento da empresa e têm espaço para falar sobre sua satisfação ou não. Isso fará com que elas apresentem maior engajamento e, consequentemente, tenham mais motivação na entrega de resultados em um ambiente agradável e colaborativo.

Ofereça o benefício que realmente importa para seus colaboradores

Quais perguntas fazer em uma pesquisa focada em benefícios?

Inicialmente, pode ser difícil saber como criar um questionário realmente efetivo. Afinal, são muitas respostas possíveis! A seguir, listamos alguns dos principais questionamentos que podem ser feitos para auxiliar nas tomadas de decisões em relação a benefícios:

1. Quais benefícios são mais utilizados pelos colaboradores?

Saber quais benefícios corporativos, dentro dos que já são ofertados, são mais utilizados é bom para entender o que é mais importante para a equipe. Em algum momento de crise, por exemplo, isso pode ser ainda mais relevante para saber o que não cortar.

Isso também é importante, pois pode ser um fator determinante para a retenção de talentos na empresa. O benefício mais usado, quando é bem ofertado, pode manter uma equipe mais satisfeita e motivada para o trabalho.

2. Quais benefícios o colaborador gostaria de ter e ainda não tem?

Esse ponto é importante até mesmo para sondar a concorrência. Algumas empresas podem estar à frente oferecendo alguma vantagem que você ainda não sabia que era desejada pelos colaboradores.

Essa pergunta ajuda a conhecer essa demanda e, a partir disso, pensar na melhor solução para ela. Além de saber como, trazendo esse benefício, você pode atrair mais talentos e manter o bem-estar no trabalho.

3. De que maneira os benefícios ajudam no dia a dia do colaborador?

Pergunte como os benefícios têm afetado seus colaboradores diretamente. Às vezes uma ideia, inicialmente boa, não tem surtido os efeitos esperados quando ela foi planejada.

É importante saber como a equipe tem recebido aquele benefício, qual uso faz dele e se ele proporciona o bem-estar imaginado. Pode ser necessário mudar de empresa fornecedora, alterar o valor ou mesmo ampliar para outras áreas, caso tenha um bom feedback.

4. O colaborador já teve alguma dificuldade para acessar um benefício?

Procure saber se sua empresa não está pagando por algum benefício que seu colaborador não consegue ou tem dificuldade para acessar. Tanto para não desperdiçar dinheiro quanto para não gerar uma má impressão.

Pode ser necessário mudar de fornecedor de serviços ou promover treinamentos para explicar detalhes do uso de determinado incentivo. Para isso, o feedback da equipe em relação à satisfação com o benefício e sua utilidade é essencial para tomar decisões mais acertadas.

5. O colaborador conhece todos os benefícios oferecidos pela empresa?

Quando a equipe desfruta dos benefícios e alcança um bem-estar mais elevado, torna-se possível aumentar a produtividade. Para isso, os colaboradores precisam ter total ciência do programa que a empresa oferece.

Só assim eles vão desfrutar plenamente das condições oferecidas. Além de também ser relevante para que a empresa não pague por benefícios que não são usados ou que estejam subutilizados.

Por isso, comunicar os benefícios de forma efetiva deve ser sempre uma das prioridades do time de Remuneração.

6. Onde os colaboradores vão procurar informações sobre benefícios ofertados?

Quer uma boa ideia para aumentar a acessibilidade aos benefícios? Que tal fazer um boletim informativo ou um pequeno guia para os colaboradores, informando onde podem encontrar os serviços disponíveis?

Alguns planos oferecem catálogos separados por categoria de serviço, o que é muito bom para facilitar a localização de cada um, direcionando a procura dos usuários.

Compreender do que se trata a pesquisa interna sobre benefícios e colocá-la em prática é fundamental para uma gestão de benefícios eficiente. Para seguir aprendendo mais sobre o assunto abordado nesse artigo, aproveite para se inscrever no nosso podcast Papo de Firma!

Julia Ayres

Julia é jornalista por formação, mas apaixonada por marketing digital, performance e educação financeira. Atualmente, lidera as estratégias de marketing para a área de empresas da Magnetis

leia mais desse autor