Magnetis Update 2020
dia 21/10 às 18h online e gratuito
X inscreva-se e garanta a sua vaga
Invista agora
a evolução na edução financeira, conheça a Magnetis.

PIBB11: confira as principais características e como funcionam!

Com juros baixos, você sabe que ter uma carteira de investimentos diversificada é a melhor forma de manter a rentabilidade de suas aplicações. Quer investir na renda variável, mas ainda está inseguro? Uma maneira de começar com risco controlado e pouco dinheiro é por meio de fundos de índices (ETFs) como o PIBB11.

Acompanhados por um gestor especializado, os ETFs são fundos de gestão passiva, semelhantes aos fundos indexados, mas que têm cotas negociadas na bolsa. Seu objetivo é ter desempenho mais próximo possível de um índice de ações nacional, como o PIBB11, ou internacional, a exemplo do IVVB11.

Quem adquire uma cota do ETF compra uma fração da cesta de ações negociadas pelo índice. Ou seja, é possível, com apenas uma cota, diluir o risco de concentração em alguns papéis e segmentos do mercado. 

Além disso, quem investe ganha tempo, já que não precisa analisar ação por ação. Os ETFs também tendem a oscilar menos do que os fundos de ações ativos. Quer entender mais sobre o PIBB11 e verificar se vale a pena investir no ETF? Leia este post!

como investir na bolsa de valores

O que é PIBB11?

O It Now PIBB é um ETF que investe 95% do seu patrimônio na carteira de ações do índice Brasil 50 (IbrX-50). Negociado na B3 com o ticker PIBB11, esse ETF é gerido e administrado pelo banco Itaú.

No IBrX-50, estão incluídas as 50 ações mais negociadas da bolsa de valores brasileira em termos de liquidez nos 12 meses anteriores à avaliação. Além disso, elas precisam ter sido negociadas em, pelo menos, 80% dos pregões no período.

O primeiro ETF a ser listado na B3, o PIBB11 foi estruturado em 2004 pelo BNDES, com posterior auxílio da B3 e bancos privados.

Quais são as suas características?

No acumulado de 2020 até o pregão de 2 de setembro, o desempenho do PIBB11 era bem similar ao do Ibovespa, o principal índice da bolsa. Enquanto o Ibovespa registrava queda de 11,87% no ano, esse ETF perdia 11,72%.

Desde o início de sua negociação até julho de 2020, porém, o fundo apresenta uma rentabilidade acumulada de 536,33%. Isso o coloca acima do índice de referência, o IbrX-50, que acumulava 515,16%. Assim, o PIBB11 se mostra uma alternativa interessante para investimentos de longo prazo, como a aposentadoria.

Conheça, abaixo, as características mais importantes do PIBB11.

Referência

O índice iBrX-50 é considerado um dos principais do mercado, ao lado do Ibovespa. É derivado do Índice Brasil 100 (IBr-X), que é formado pelas 100 ações mais negociadas da bolsa, e sua carteira é atualizada a cada quatro meses.

Patrimônio

Considerado um dos maiores fundos de ações do Brasil, o patrimônio do PIBB11 era de R$ 1,7 bilhão em julho.

Liquidez

O PIBB11 é considerado um dos fundos de ações com maior liquidez de mercado. Ao lado dele, fica o BOVA11, ETF que tem como referência o principal índice o Ibovespa. Contudo, sua liquidez ainda fica bem abaixo da do BOVA11.

No pregão do dia 2 de setembro, por exemplo, enquanto o PIBB11 negociou 9 milhões, o BOVA11 negociou mais de R$ 700 milhões. Ou seja, é mais fácil sair e entrar do BOVA11.

Isso não significa que quem investe não conseguirá vender as cotas, mas que, caso tenha pressa, o preço cobrado será menor.

Aporte e resgate

Como é negociado nos pregões da B3, sua liquidez é diária. A cota de aplicação e resgate do fundo é feita em D+0, mas varia conforme as condições do mercado. A operação é concluída em dois dias úteis.

Como funciona o PIBB11?

As cotas do PIBB11 são negociadas diariamente nos pregões da B3. É possível adquirir uma cota no mercado secundário ou em novas emissões de cotas, quando houver.

Para investir no fundo, é cobrada uma taxa de administração equivalente a 0,059% ao ano, um valor bem menor do que o de fundos tradicionais. Nas operações de compra e venda, a B3 cobra taxas e emolumentos equivalentes a 0,0325%.

É possível investir em lotes que tenham a partir de 20 mil cotas, no mercado tradicional, e a partir de uma cota no mercado secundário. A cota do PIBB11 encerrou o pregão do dia 2 de setembro valendo cerca de R$ 170.

Diferentemente do investimento em ações, no ETF, não há isenção de Imposto de Renda para operações menores do que R$ 20 mil no mês. É cobrada uma alíquota de 15% sobre o ganho de capital na venda da cota. Contudo, diferente de outros tipos de fundos de investimento, sobre o PIBB11, não incide o come-cotas.

Outro ponto é que o ETF reinveste automaticamente os dividendos distribuídos pelos papéis de sua carteira. Essa é mais uma característica que torna o ETF acessível, já que, para reinvesti-los, quem aplica teria de pagar mais taxas de corretagem. 

Além disso, você terá acesso a todos os documentos do fundo de índice. O produto é recomendado para perfis de risco de moderado a arrojado.

Como investir no PIBB11?

A compra da cota de um ETF funciona de forma bem semelhante ao processo para se adquirir uma ação. É necessário ter conta em uma corretora, acessar o home broker e pagar uma taxa de corretagem em cada operação. Algumas corretoras isentam quem investe da taxa.

Caso se opte por comprar todas as ações da cesta de forma individual, haveria incidência da taxa de corretagem sobre cada operação. No ETF, a corretagem recai apenas sobre a compra de uma cota, que já inclui todas as ações. Por esse e outros motivos, o investimento é considerado mais acessível do que a compra direta de ações.

No home broker, basta digitar o ticker do ETF (PIBB11), inserir a quantidade de cotas que deseja e o valor. Depois, é só executar a ordem — lembrando que esse procedimento só pode ser realizado das 10h às 18h em dias úteis.

Agora que você entende como funciona o PIBB11, sabe que o ETF pode ser uma boa alternativa para diversificar a carteira. Se está em dúvida sobre qual porção a renda variável deve representar no seu portfólio, confira nosso guia sobre como investir na bolsa sem perder dinheiro!

análise de investimentos
Luiza Caricati

Luíza Caricati é produtora de conteúdo da Magnetis. Jornalista, tem experiência na área de investimentos, educação e negócios, e lidera nossa estratégia multimídia, traduzindo conteúdos complexos em comunicações didáticas para diversos formatos.

leia mais desse autor