Invista agora
a evolução na edução financeira, conheça a Magnetis.

Planilha de gastos: saiba como montar a sua e cuide melhor do seu dinheiro

Medir é o primeiro passo para melhorar qualquer coisa. Quando se fala em controle de gastos, não é diferente. Aliás, usar uma planilha de gastos é uma das melhores formas de fazer esse controle.

Uma boa planilha de gastos deve dar uma visão geral da sua renda e das suas despesas mensais ou anuais.

Além disso, ela precisa ajudar a identificar rapidamente quais gastos podem ser reduzidos ou cortados para atingir os seus objetivos financeiros.

A partir de agora, você vai entender como montar a sua própria planilha de controle de orçamento. Aproveite para tirar as suas dúvidas por meio dos exemplos que preparamos. Vamos começar?

Como uma planilha de gastos pode melhorar a sua vida financeira?

Você já teve que se esforçar para atingir algum objetivo na vida? Já fez uma dieta alimentar ou estudou para o vestibular, para um concurso ou para tirar uma certificação?

Seja qual for o objetivo, organização, disciplina e controle são fundamentais para que a empreitada seja bem-sucedida. É basicamente isso que a planilha vai fazer por você. Veja a seguir como ela pode contribuir para tornar a sua vida financeira mais saudável.

Identifica desperdícios

Você sai de casa, passa na frente da loja de cosméticos, entra, compra o que precisa e aproveita para levar mais umas coisinhas. A conta dá R$ 30. Outro dia, vai tomar café com os colegas do trabalho, não resiste e pede também uma sobremesa. Mais R$ 20 vão embora.

Aí está em casa e recebe um e-mail com uma propaganda de uma série legal num streaming que você ainda não tem. São só R$ 14,90 por mês. Você assina e depois nem lembra mais que tem.

Todos esses exemplos são de valores pequenos, que gastamos quase sem ver, no piloto automático. Acontece que R$ 30 por dia são R$ 900 por mês ou — segure-se na cadeira — R$ 10.800 por ano.

Vamos imaginar que, em vez de gastar com essas coisas, você invista esses R$ 900 todo mês. Pode ser uma aplicação bem conservadora, que pague 2,25% ao ano. Ao fim de 30 anos, você teria pouco mais de R$ 460 mil. Fizemos os cálculos usando a calculadora do cidadão, do Banco Central. Dá para comprar um bom imóvel!

Tudo bem, não é preciso se privar de tudo e talvez não seja possível economizar tudo isso. Mas pode ter certeza de que, ao analisar todos os seus gastos, você vai encontrar desperdícios e visualizar com clareza o que pode ser cortado.

Reduz custos

O simples fato de controlar e saber no que seu dinheiro está sendo gasto vai ajudar a reduzir seus custos. Isso porque a gente passa a prestar atenção ao gastar, em vez de fazer isso no piloto automático.

Além disso, ao fazer o controle na planilha de gastos, você vai começar a saber de cabeça quanto já gastou naquele mês. Com o tempo, também vai decorar as contas que ainda tem que pagar e quanto dinheiro vai precisar ter na conta para honrar os compromissos.

Dessa forma, a planilha de gastos vai impedir que falte dinheiro para as contas essenciais. Também vai ajudar a identificar oportunidades para reduzir gastos.

Mantém o foco nos objetivos

Qual é o seu objetivo? Morar fora por um tempo? Comprar um imóvel? Trocar de carro? Fazer uma pós-graduação? Mudar de carreira?

A maior parte dos nossos grandes objetivos requer uma boa soma de dinheiro. Para conseguir juntar o montante necessário, voltamos aos dois conceitos que mencionamos: disciplina e controle.

Vamos retomar aquele exemplo de R$ 900 mensais em gastos não essenciais. De novo, pode não ser viável deixar de gastar toda essa quantia. Mas vamos supor que você consiga reduzir esses gastos pela metade, economizando R$ 450 por mês.

Agora vamos considerar um desses objetivos que citamos acima e digamos que sua intenção seja fazer uma viagem para a Europa. Para isso você precisaria de R$ 20 mil.

Aplicando os R$ 450 mensalmente naquelas mesmas condições do exemplo anterior, em três anos e meio você embarcaria para as sonhadas férias em Paris. Isso sem colocar mais nenhum centavo de qualquer outra fonte, apenas com o dinheiro economizado. Nada mau, não é?

Aumenta o valor investido

Se você já tem o hábito de investir regularmente, parabéns, está no caminho certo. Mas e se fosse possível aplicar ainda mais e alcançar mais rápido os seus objetivos ou, ainda, traçar outros planos?

Vamos imaginar que seu objetivo seja formar uma reserva de emergência de R$ 30 mil e que você consiga aplicar R$ 300 todo mês. Nesse ritmo, levaria sete anos e meio para chegar a essa meta, considerando que o investimento renda 2,25% ao ano. Agora, se pegarmos também aqueles R$ 450 que você passou a economizar, seriam R$ 750 por mês para investir.

Dessa forma, em pouco mais de três anos sua reserva de emergência estaria completa. Com isso, você pode viver com mais tranquilidade, sabendo que está seguro contra imprevistos, e começar a juntar dinheiro para outros objetivos.

Quais informações uma planilha de gastos deve ter?

Você pode incluir em sua planilha as informações que quiser. É possível concentrar sua análise em um só tipo de gasto: as despesas com cartão de crédito, por exemplo. No entanto, o ideal é fazer um controle geral para que nenhuma informação passe despercebida.

Assim, os principais campos que uma planilha de gastos deve ter são:

  • renda;
  • moradia: aluguel e contas de água, luz, gás, internet e telefone;
  • alimentação: é possível dividir entre as categorias supermercado e comida fora de casa;
  • transporte;
  • saúde: academia e remédios;
  • gastos pessoais: roupas e acessórios;
  • lazer e bem-estar: aqui entram as despesas com viagens, serviços de streaming e gastos do fim de semana ou do happy hour com os amigos.

Uma dica importante: considere o valor mensal das despesas anuais. Explicando melhor: temos alguns gastos anuais e parte deles costuma se concentrar nos últimos meses e nos primeiros meses do ano.

É o caso, por exemplo, do IPVA, do IPTU e dos gastos com matrícula e material escolar. Também tem o seguro do carro, que não é cobrado necessariamente nesse período, mas é anual.

Some todos essas despesas, divida por 12 e considere esse valor na sua planilha mensal. Aplique esse dinheiro todo mês. Assim você vai conseguir pagar essas contas lá na frente sem sofrer.

desafio 52 semanas

Como lidar com as despesas imprevistas?

Os gastos inesperados podem se tornar os grandes vilões do seu planejamento financeiro. Essas despesas podem se referir desde ao presente de aniversário de alguém até um vazamento que você precisa consertar na sua casa. Para evitar que esses custos estrangulem as suas contas, vale a pena fazer uma reflexão: será que os gastos imprevistos podem se tornar previsíveis?

Pense na questão do aniversário, por exemplo. Uma vez que as pessoas fazem aniversário todo ano, comprar o presente não é tão imprevisto assim. Logo, por que não pensar na categoria presentes de aniversário como algo recorrente no seu orçamento familiar se isso fizer sentido?

Outra forma de lidar com o que não se pode prever é montar uma reserva de emergência. Se você já pesquisou temas relacionados, sabe que ela representa uma parte da sua renda que precisa ser guardada para os casos inesperados.

Ao montar a sua planilha de gastos, vai ficar muito mais fácil saber qual deve ser o tamanho da sua reserva. Não existe exatamente um consenso em relação ao tamanho da reserva de emergência. Mas, em geral, os especialistas recomendam que ela tenha entre três e seis vezes o valor da sua renda mensal.

Assim, se você ganha R$ 5 mil por mês, deveria ter entre R$ 15 mil e R$ 30 mil de reserva de emergência. Esse dinheiro deve estar em aplicações de baixo risco e que permitam o resgate a qualquer momento, como é o caso do Tesouro Direto.

A reserva de emergência é justamente o seu colchão de segurança para lidar com despesas imprevistas. Aqui não estamos mais falando de um presente de aniversário, mas de questões mais sérias. Imagine que você precise de algum tratamento com remédios caros, por exemplo. Sem nenhuma reserva, a situação complica bastante, não é mesmo?

Quais são as vantagens de usar uma planilha de gastos?

Ter a noção real do quanto você ganha e do quanto gasta é a principal vantagem de uma planilha de controle de orçamento pessoal. Depois disso, é possível melhorar o seu padrão de gastos. Basta identificar o chamado custo de vida com base nas despesas essenciais para você se manter.

Outra vantagem é poder montar uma reserva de emergência. As informações sobre o seu custo de vida serão a base para essa reserva. Por fim, outro grande benefício é a possibilidade de guardar dinheiro para o futuro. Isso permitirá alcançar seus objetivos financeiros e viver com mais conforto.

Todo mundo conhece alguém que ganha pouco, mas consegue fazer milagre com o dinheiro. A pessoa tem uma renda bem menor do que a sua, mas tem carro e casa e viaja todo ano. Qual é o segredo? Nunca é demais repetir: controle e disciplina. Essas pessoas não deixam o dinheiro escapar pelas mãos e sempre gastam menos do que ganham.

Pode até ser que elas não tenham uma planilha. Mas certamente têm algum método de controle e sabem exatamente quanto ganham, as contas que têm para pagar e quanto vai sobrar.

Existem outras ferramentas de controle de gastos?

Para quem não gosta de planilhas, existem várias outras ferramentas de controle financeiro:

  • aplicativos para registrar salário e contas do mês;
  • plataformas que puxam dados diretamente da conta bancária e do cartão de crédito;
  • empresas que usam até Inteligência Artificial para ajudar nesse controle.

Até os bons e velhos lápis e papel são eficientes. Basta que você tenha disciplina no processo de registro.

E o mais importante: use esses registros para fazer as mudanças necessárias para melhorar a sua vida financeira. Afinal, de nada adianta ter tanto trabalho se não houver benefícios. Agora que você entende melhor como montar a sua planilha de gastos, que tal um modelo grátis para começar? Baixe a nossa Planilha de Controle de Gastos e conte para nós o que achou!

Malena Oliveira

Especialista em Finanças Pessoais e membro do Grupo Consultivo de Educação Financeira da Anbima.

leia mais desse autor