X
Magnetis Week

a black friday da

Magnetis Logo
Invista agora
a evolução na edução financeira, conheça a Magnetis.

8 dicas para montar um plano de benefícios atrativo

Está cada vez mais difícil atrair e reter os melhores talentos, não é mesmo? Entre a alta mobilidade dos colaboradores, novas oportunidades surgindo a cada dia e o trabalho remoto desfazendo barreiras geográficas, a concorrência está crescendo exponencialmente.

Por isso, muitas empresas têm percebido a importância de montar um plano de benefícios bem estruturado e que responda aos anseios dos profissionais atuais.

Veremos, em detalhes, o que é um plano de benefícios, por que ele é importante e como montar um programa atrativo de vantagens para os colaboradores.

O que é um plano de benefícios para empresas?

Os benefícios são um complemento à remuneração de cada membro da equipe. Eles podem ser determinantes para que um candidato decida entrar para sua empresa e continuar nela.

Alguns benefícios são considerados essenciais, como 13° salário, férias remuneradas e contribuição ao Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). Outros são tidos como diferenciais. Alguns exemplos são bônus semestrais, cursos e descontos em academias e restaurantes. 

O ideal é ter tanto os benefícios obrigatórios quanto os complementos cobiçados pela equipe e relevantes para seu negócio. Assim, você terá o melhor pacote de benefícios para as duas partes. Ao montar esse programa de recompensas, também leve em conta o orçamento traçado para benefícios empresariais.

Por que um plano de benefícios é importante?

A primeira vantagem de implementar um bom plano de benefícios é atrair profissionais talentosos para sua empresa. Oferecer bons complementos ao salário pode ser determinante para que ótimos colaboradores se interessem em fazer parte da sua equipe.

Mas não basta apenas atrair os talentos. De nada adianta montar a equipe dos sonhos se esses membros logo desistem das posições de trabalho. Ter um bom plano de benefícios ajuda na retenção dos profissionais. Os complementos funcionam como motivadores, especialmente quando melhoram a qualidade de vida dos colaboradores. 

Um estudo da seguradora MetLife mostra que os adicionais não são importantes apenas como uma nova compensação pelo trabalho fornecido. Também promovem o bem-estar financeiro e pessoal da equipe. 

Vale-alimentação e vale-refeição, por exemplo, permitem que a equipe se alimente de forma mais balanceada e mantenha a saúde em dia. Já uma consultoria financeira pode fazer seus colaboradores tomarem melhores decisões e, com isso, reduzir o estresse associado ao orçamento pessoal.

Profissionais bem-contratados e mais dispostos a permanecer na companhia melhoram o clima organizacional. Também aumentam a produtividade na empresa e acabam gerando melhores resultados ao negócio. Por isso os benefícios funcionam como diferencial competitivo.

Ofereça o benefício que realmente importa para seus colaboradores

Como montar um plano de benefícios atrativo?

Não é uma tarefa simples montar um plano de benefícios atrativo. Sua empresa deve levar em consideração diversos fatores, que vão desde entender seus colaboradores até o monitorar o uso desses adicionais. Veja o passo a passo a seguir!

1. Entenda o perfil e as necessidades de seus colaboradores

O primeiro passo para um plano de benefícios atrativo é entender quais complementos ao salário fazem mais sentido para sua equipe. A melhor forma de descobrir é ouvir os colaboradores, o que também faz com que eles se sintam valorizados. 

Você pode conversar pessoalmente ou criar um questionário online sobre necessidades e vantagens que não estão sendo usadas. As pesquisas devem formar o banco de dados para sua política empresarial de benefícios.

Se há muitos profissionais precisando melhorar certas habilidades, pode fazer sentido financiar cursos. Já salas de amamentação mais confortáveis e flexibilidade de horários podem ser boas vantagens caso você tenha diversos colaboradores com filhos.

2. Analise a oferta de benefícios da concorrência

Bons colaboradores podem receber ofertas dos seus concorrentes. Portanto, você precisa se esforçar para ter sempre a proposta mais atrativa

Conheça a fundo seus competidores e quais benefícios eles oferecem aos colaboradores. Se todas as empresas concorrentes trazem determinado benefício, como previdência privada, talvez isso seja uma prática do setor e você precise considerar algo parecido.

Mas é importante também estar um passo a frente dos seus concorrentes e oferecer benefícios que eles ainda não entregam.

3. Pense em benefícios que transmitam a essência da sua marca empregadora

A seleção de benefícios é uma forma de os futuros colaboradores entenderem o que é importante para a sua empresa e os valores que ela possui. Por isso, este é o momento ideal também para deixar claro alguns posicionamentos.

Por exemplo, se a sua empresa tem em seu DNA sempre continuar aprendendo e se desenvolvendo, oferecer subsídios para educação é fundamental. Ou se você quer mostrar que os colaboradores são incentivados a balancear vida pessoal e profissional, conceder benefícios ligados ao bem-estar deles (atendimento psicológico, desconto em academias) é interessante.

4. Ofereça benefícios pensados para o futuro

Na linha de criar benefícios pensando nas necessidades de seus colaboradores, valorize aqueles que terão um impacto de longo prazo. Assim, você garante que a motivação da equipe e os resultados do negócio sejam sustentáveis ao longo dos anos.

Exemplos de benefícios pensados para o futuro são planejamento de carreira, recompensas associadas a metas anuais, chance de virar sócio na empresa e benefícios de planejamento financeiro.

5. Avalie se vale a pena pensar em benefícios flexíveis

Quando as necessidades dos colaboradores são diversas demais para seu orçamento, uma boa saída pode ser adotar um modelo de benefícios flexíveis. O pacote de compensações deve incluir as vantagens obrigatórias e algumas opcionais

As últimas podem ser escolhidas pelos colaboradores até um limite definido pela sua empresa. Alguns podem preferir acesso a uma academia, enquanto outros optam por um auxílio-creche ou por um desconto na pós-graduação. Com benefícios flexíveis, você garante que todos os talentos se sintam satisfeitos com o plano de compensação.

Porém, é preciso investir em um bom estudo da legislação trabalhista e em bons processos de gestão de pessoas. A mudança do modelo tradicional de benefícios para o flexível deve ser estabelecida em Acordo Coletivo de Trabalho. 

Dê um limite idêntico a colaboradores na mesma categoria. Por fim, documente toda a autorização de desconto na folha e todas as opções de benefícios feitas pela equipe.

6. Associe benefícios com tempo de casa

Profissionais fiéis ao negócio devem ser valorizados. Esses colaboradores geralmente são mais experientes, tornando-se mentores e propagadores de cultura na organização. Benefícios com base no tempo de casa também mostram aos mais novos que eles serão recompensados pelo esforço contínuo.

Portanto, tente associar algumas vantagens aos anos passados na empresa. Um exemplo é a possibilidade de se tornar sócio, geralmente dada para os que batem metas consistentemente por anos.

7. Comunique os benefícios para a empresa

Não basta implementar os melhores benefícios: seus colaboradores precisam usá-los. É fundamental realizar uma boa comunicação dos complementos de salário disponíveis. Descreva-os nas contratações e faça comunicados com suas atualizações frequentemente. 

Também garanta que os benefícios sejam acessados de maneira simples. O RH deve orientar o uso, sim, mas também aposte na tecnologia. Muitos benefícios contam com aplicativos em smartphones para conferir o histórico de uso, por exemplo.

8. Monitore os resultados desses benefícios para a saúde da empresa

Monitorar métricas associadas aos benefícios é tão importante quanto implementá-los e divulgá-los. Você deve realizar acompanhamentos regulares de cada complemento. Veja quantos colaboradores o usam e se estão satisfeitos. Essa checagem pode ser feita por meio de um questionário confidencial, garantindo opiniões mais sinceras.

Também analise se o benefício cumpre o papel desejado na sua organização. Cada benefício é um investimento e deve ter um retorno associado, conhecido pela sigla ROI (do inglês Return over Investment). Tenha uma métrica para cada compensação. 

Alguns exemplos são:

  • aumento de produtividade;
  • redução do absenteísmo;
  • menor saída de colaboradores da empresa (turnover).
  • redução no índice de sinistralidade do plano de saúde

Criar um bom plano de benefícios é essencial para atrair e reter bons talentos, melhorando o desempenho do seu negócio. Mas elaborar um modelo de compensação envolve estudar seus colaboradores, sua concorrência e sua estratégia empresarial. Para conhecer as melhores práticas de gestão financeira e de pessoas, inscreva-se na newsletter da Magnetis!

Julia Ayres

Julia é jornalista por formação, mas apaixonada por marketing digital, performance e educação financeira. Atualmente, lidera as estratégias de marketing para a área de empresas da Magnetis

leia mais desse autor