O poder do hábito para você atingir seus objetivos financeiros em 2017

por Silvio Crespo

Quando chega a virada do ano e você olha o seu extrato bancário, com qual dessas três situações você mais se identifica?

1- Tenho dinheiro suficiente para realizar os meus planos, pois fiz um planejamento financeiro e segui à risca, investindo todo mês a quantia necessária;

2- Não tenho dinheiro para realizar meus planos e talvez seja porque não me planejei. Quero começar a fazer isso em 2017;

3- Eu me planejei, sei quanto eu deveria ter aplicado por mês para realizar meus planos, mas infelizmente não tive disciplina e acabei juntando menos dinheiro do que eu previa.

Seu plano pode ser qualquer coisa que você queira muito fazer e que precise de dinheiro. Por exemplo, viajar, casar, estudar fora, trocar de carro, dar entrada em um apartamento etc.

E então, qual dos três itens acima você marcou?

Se foi o primeiro, temos que tirar o chapéu e dar os mais efusivos parabéns!!! Pouquíssima gente consegue manter a disciplina financeira, ainda mais em tempos de crise. Seu próximo passo pode ser melhorar a carteira de investimentos e maximizar o retorno potencial, respeitando o seu perfil como investidor (neste post nós explicamos como fazer isso).

Caso você tenha escolhido o item 2 e queira muito juntar dinheiro para realizar o seu plano, veja quais são os 5 passos para começar a investir de forma estratégica em 2017.

Mas se você marcou o número 3, você está lendo o post certo, que foi pensado especialmente para a sua situação!

Sim, você, que sabe que precisa investir um pouco por mês e já tentou fazer isso antes, mas nunca conseguiu manter o hábito pelo tempo necessário.

Nosso objetivo com este artigo é ajudar você a criar o hábito de investir - como já fazem muitos dos clientes da Magnetis - para que, daqui a um ano, você olhe para o seu extrato bancário e veja que conseguiu juntar todo o dinheiro que esperava, e assim está no caminho certo para realizar seus sonhos.

Como ter disciplina e criar o hábito de investir

Criar um hábito exige muita força de vontade, pois implica em abrir mão de coisas que já estão incorporadas na sua rotina e que te dão conforto.

No entanto, é perfeitamente possível criar novos hábitos. Como disse Fábio Rodrigues, um dos nossos primeiros clientes: “Por causa da Magnetis, mudei meu hábito de ‘investir’ em carro novo e troquei o prazer do consumismo pelo prazer de ver meu dinheiro crescendo no plano de investimentos” (veja o relato completo).

Para você também chegar lá, nós vamos apresentar um passo a passo baseado na experiência de Charles Duhigg, autor do livro o “O poder do hábito”, um best-seller que no mês de lançamento já estava na lista dos livros mais vendidos dos Estados Unidos.

O autor, repórter do jornal The New York Times, entrevistou mais de 300 pessoas e levantou mais de 100 pesquisas em diversos centros de excelência para escrever o livro.

Livro

A tese central que ele sustenta veio do MIT (Massachusetts Institute of Technology). Veja abaixo o passo a passo de como adquirir novos hábitos para a sua realidade financeira.

1. Entenda quais são os hábitos que te impedem de investir como gostaria

Se investir ainda não é um hábito para você, provavelmente há outros hábitos te atrapalhando.

Vamos a alguns exemplos: jantar fora quando poderia comer em casa, almoçar em restaurante caro sem estar comemorando nada, fazer compras desnecessárias, sair para a balada quando não está muito animado etc, etc, etc...

Resumindo, tente identificar qualquer atividade que te leve a gastos desnecessários e que seja recorrente. Pode fazer uma lista mesmo. Não importa se esses hábitos forem muitos. Existem aplicativos de controle financeiro que podem te ajudar nessa tarefa.

2. Descubra qual é o gatilho desses maus hábitos

Agora que você já identificou quais são os hábitos ruins, a primeira coisa que você deve fazer para mudá-los é compreendê-los. Entender por que eles fazem parte da sua vida.

Duhigg, o autor do livro, identificou que qualquer hábito reúne necessariamente três elementos:

  • O gatilho, ou seja, o fato que desencadeia a ação;
  • A rotina, que é o hábito propriamente dito;
  • A recompensa, algo que te dá prazer.

Por exemplo, Duhigg conta que tinha o costume de comer cookies toda tarde no trabalho. Qual era o gatilho que desencadeava esta atividade? No caso dele, o tédio.

Sim, não era fome e nem a vontade de comer doce. Era a necessidade de sair da frente do seu computador e pensar em outras coisas. Ele percebeu isso porque a decisão de comprar cookie ocorria sempre por volta das 15h, quando ele acabava de responder os e-mails após o almoço.

E no seu caso, qual é o gatilho que te leva aos maus hábitos financeiros?

Para identificá-lo, tente prestar atenção no que acontece imediatamente antes de você iniciar a atividade habitual.

Se você acabou de decidir que vai jantar fora hoje, mesmo sabendo que seria mais racional ficar em casa, preste atenção em como você está se sentindo no momento. Você está entediado? Você está com preguiça de esquentar a comida? Você quer apenas espairecer e pensar na vida?

Difícil saber, né? Não precisa responder ainda. Você vai ter mais clareza do gatilho quando compreender qual é a recompensa que te leva a manter o hábito.

3. Identifique qual é a recompensa do mau hábito financeiro

A recompensa é o prazer imediato que você tem por causa de uma atividade. Duhigg fez diversas tentativas de mudar o hábito de comer cookies antes de acertar.

Cada vez que ficava entediado no trabalho, ele passou a procurar coisas diferentes para fazer. Houve o dia em que ele saiu para dar uma volta; teve a vez em que resolveu comer um doce diferente; outra hora foi tomar café e conversar com os colegas. Até finalmente descobrir que o prazer estava mesmo em bater papo.

Esta era a recompensa!

A verdadeira necessidade de Duhigg era papear com os amigos durante a tarde - mas como eles faziam isso na cafeteria, ele acabava sempre comprando um biscoito.

Depois que identificou qual era a recompensa, Duhigg conta que conseguiu mudar o hábito e emagreceu cinco quilos. A solução que ele encontrou foi a seguinte: a cada vez que sentia vontade de ir à cafeteria e comprar um cookie, ele em vez disso se dirigia à mesa de um colega e conversava ali mesmo, sem chegar perto de doce nenhum.

Agora vamos lá: já sabe qual é a sua recompensa quando faz uma compra desnecessária? Tente fazer outras coisas no lugar. É testando que você vai descobrir.

Se quiser ver mais casos reais para se inspirar, uma reportagem sobre o método de Duhigg traz exemplos de pessoas que conseguiram mudar de hábito e atingir diversos objetivos, como emagrecer, ter mais tempo para a família ou adquirir o hábito de leitura.

Como escolher os melhores investimentos

Na medida em que você for conseguindo pequenas melhorias no comportamento financeiro, a tendência é começar a ter cada vez mais dinheiro para investir.

A partir daí, será preciso decidir onde aplicar esses valores. Existem hoje no mercado milhares de ativos financeiros à disposição dos brasileiros. Como descobrir quais são os melhores e montar uma carteira?

Primeiro, é preciso compreender que não existem “melhores investimentos”, em termos absolutos. Uma mesma aplicação financeira pode ser boa para o seu amigo e ruim para você. Depende dos objetivos e do perfil de cada um, além da capacidade financeira.

Para ficar mais claro, você pode usar a ferramenta gratuita de simulação de investimentos da Magnetis. Ali você diz qual é o seu objetivo financeiro e em quanto tempo deseja chegar lá.

Nosso robô vai te sugerir uma carteira de acordo com o seu perfil de risco e fazer uma projeção de quanto você precisa investir por mês para atingir a meta dentro do prazo desejado.

A ferramenta te mostra a real chance de você atingir seus objetivos.

Por exemplo: se você tem um perfil de risco conservador e quer juntar R$ 100 mil nos próximos cinco anos, considerando a atual taxa de juros você terá 94% de chances de atingir esse objetivo se aplicar regularmente R$ 1.300 por mês, como mostra o exemplo abaixo, extraído da própria ferramenta.

Como atingir seus objetivos financeiros

Uma vez que você fizer uma projeção usando a ferramenta, dá para ir ajustando os dados conforme a sua necessidade e capacidade financeira. Por exemplo, e se você aplicar não R$ 1.300 por mês, mas R$ 1.500?

E se você quiser atingir os objetivos em quatro anos, em vez de cinco? E se você fizer um investimento inicial de R$ 25 mil? Tudo isso você pode testar quantas vezes quiser.

O importante é ter clareza dos frutos que você pode colher ao mudar os hábitos financeiros. A ideia é que você tenha mais segurança para continuar fazendo os seus esforços mensais, até que eles se incorporem à sua rotina e você consiga juntar dinheiro para realizar seus planos.

Leia os outros textos da série Melhores investimentos para 2017:

Como começar a investir seu dinheiro

​Onde investir em 2017: qual é o melhor investimento?

Silvio Crespo SGC Conteúdo

Sílvio Crespo é jornalista especializado em finanças e fundador da agência SGC Conteúdo.