O que são proventos? Descubra aqui se você tem o direito de recebê-los!

por Malena Oliveira | 25/08/2019

Proventos: o que é? Saiba aqui!
consultoria de investimento

Quem se interessa por investimentos em renda variável com certeza já ouvir falar em proventos. Eles são a remuneração paga pelas empresas aos seus acionistas e aos cotistas de fundos imobiliários.

Também é possível falar em proventos na folha de pagamento. Da mesma forma, a expressão significa remuneração. Só que, nesse caso, tratam-se dos valores pagos aos trabalhadores de uma empresa, como férias, horas extras e adicional noturno.

Assim, quem recebe proventos são as pessoas assalariadas ou que possuem investimento em ações e fundos imobiliários. Aqui neste texto, vamos nos concentrar apenas no último caso para explicar como conquistar o direito de receber esses valores. Acompanhe a leitura!

Quais são os tipos de proventos distribuídos pelas empresas?

Existem diversos tipos de provento, sendo que os mais comuns são os dividendos e os juros sobre capital próprio (JCP ou JSCP). Cada empresa ou fundo tem alguma liberdade para definir qual será a remuneração de seus investidores.

O principal critério para distribuir proventos é o lucro das operações. Porém, essa distribuição pode mudar um pouco dependendo da estratégia da companhia. Vamos conhecer os principais tipos de proventos a seguir.

Dividendos

Os dividendos são uma parcela do lucro que as empresas distribuem aos seus acionistas. A frequência pode ser anual, semestral ou trimestral, dependendo dos resultados da companhia.

Eles são uma forma de as empresas devolverem uma parte do investimento a seus acionistas. Esse é, inclusive, um dos critérios analisados na hora de investir em ações.

Primeiramente, é retirado o valor de impostos e outros custos, e o restante da parcela é subdividido entre todos. A Assembleia Geral Ordinária é a encarregada de organizar a participação dos lucros, pois é necessário distribuir um mínimo de 25% do lucro líquido em dividendos.

As empresas geralmente pagam dividendos em dinheiro para a conta de corretagem do acionista, embora algumas paguem dividendos na forma de novas ações.

JCP ou JSCP: Juros Sobre Capital Próprio

Semelhante aos dividendos, os JSCP são destinados aos acionistas da empresa com base no lucro de anos anteriores. Para os investidores, os JSCP é uma forma de receber remunerações extras a partir do desempenho do seu investimento.

Já para a empresa, é um artifício contábil para pagar menos impostos. Como os JSCP são considerados como despesa, o Imposto de Renda vai incidir sobre um valor menor, fazendo a organização pagar menos tributos à Receita Federal.

No entanto, há uma diferença em relação a taxas: o pagamento do IR, de 15% na fonte, fica por responsabilidade dos acionistas.

Isso, contudo, não é sinal de desvantagem aos investidores, pois incentiva as empresas a apresentarem benefícios maiores em relação aos dividendos.

Bonificação em ações

As bonificações são uma forma de recompensar os acionistas pelo bom desempenho financeiro da empresa em determinado período. É claro, a quantidade de bonificações de ações sempre dependerá da participação de cada sócio dentro da organização.

De tempos em tempos, podem ser oferecidas gratuitamente (pois não fazem parte do recebimento comum de proventos) em dinheiro ou em ações e, na prática, funciona como uma participação extra dos acionistas nos lucros.

Mesmo que não ocorra uma alteração no valor de mercado da companhia, essa bonificação gera um movimento de queda no preço das ações da empresa.

Direitos de subscrição

É provável que a empresa cresça com o tempo. Esse tipo de benefício ocorre por meio da exclusividade de ceder os direitos de subscrição aos acionistas, para que eles consigam manter a porcentagem e a proporção de ações que já possuem.

Na prática, os direitos de subscrição significa reservar preferências concedidas aos investidores na compra de novas ações.

consultoria de investimento

Na maioria das vezes, o preço de venda de novas ações fica abaixo da cotação do mercado. Isso se torna em um benefício que a empresa oferece aos acionistas pré-existentes. Porém, o acionista não é obrigado a participar dessa subscrição.

Rendimentos de fundos imobiliários

Os fundos imobiliários são tipos de investimentos que contam com incentivo fiscal.

Por esse motivo, eles distribuem rendimentos mensais isentos de Imposto de Renda para pessoas físicas.

Esses rendimentos vêm da receita do fundo com aluguéis ou do rendimento de papéis ligados ao mercado de imóveis. Geralmente, eles ficam próximos ao CDI, a taxa que guia as aplicações mais seguras do mercado no Brasil.

Como as empresas pagam proventos?

Existe uma instituição que faz toda a intermediação entre acionistas e empresas: a Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia (CBLC) é a responsável por realizar o pagamento dos proventos.

Desse modo, de forma simples e bastante prática, é possível receber a quantia combinada diretamente na corretora responsável ou na conta bancária indicada.

Uma informação adicional importante é entender que há dois termos, o “com” e o “ex”, que identificam o pagamento — ou não — dos proventos.

Até o último dia “com” é possível receber os benefícios das ações compradas no mercado; já o dia “ex” começa quando não existe mais a possibilidade de receber proventos, ainda que o investidor tenha adquirido as ações.

Como fazer investimentos que pagam proventos?

Quando você se torna um investidor, usa seu dinheiro para adquirir coisas que ofereçam o potencial de retornos lucrativos por meio de proventos. No entanto, o pagamento desses proventos dificilmente ocorre mensalmente, o que pode ser um desafio manter um fluxo de dividendos frequentes.

A maioria das empresas paga aos investidores uma quantia fixa a cada trimestre, aumentando seus pagamentos ao longo do tempo, para que os investidores possam criar um fluxo de caixa semelhante à anuidade.

Porém, para auxiliar o investidor, é fundamental adotar uma carteira diversificada e focada em geração de renda mensal. Para isso, é um método inteligente é ter várias ações na carteira, que realizam pagamentos em meses diferentes.

Por exemplo, se uma empresa paga dividendos em janeiro, abril, julho e outubro, invista também em empresas que pagam em fevereiro, maio, agosto e novembro.

Antes de comprar uma ação, você precisará analisar a empresa e o setor, avaliar a segurança do dividendo e, em seguida, determinar quanto vai comprar.

É importante prestar atenção na constância do pagamento de proventos, pois o que está sendo pago neste ano não significa que será pago no ano seguinte. A ideia é investir em aplicações de curto, médio e longo prazo.

Geralmente, o tempo é um aliado para obter mais resultados em seus investimentos. Assim, é possível garantir mais segurança do montante investido.

Vale lembrar que, quanto maior a liquidez, menores são os rendimentos, e quanto mais dividendos você reinvestir e mais ações você possuir, maiores serão seus proventos futuros.

Dessa forma, construir uma carteira de ações exige tempo e esforço. Mas sabendo escolher corretamente você tem o potencial de personalizar um bom portfólio, encontrar proventos maiores e mais rentabilidade em seus investimentos.

Agora que você já sabe o que são proventos, que tal entender como um serviço especializado pode ajudar você a fazer os melhores investimentos? Baixe grátis o nosso Guia Completo sobre Consultoria de Investimentos e tire suas dúvidas!

Avaliar o post