Invista agora
a evolução na edução financeira, conheça a Magnetis.

Você pode investir de um jeito melhor, e nós podemos provar.

Baixe o app!

Quais os impactos da inflação no mundo para seus investimentos?

Acompanhar os níveis de inflação no Brasil e no mundo é essencial para gerenciar seus investimentos. Afinal, esse indicador pode ter impactos diretos nos resultados do seu portfólio — o que exige uma tomada de decisão estratégica para o período.

Em um contexto de avanço nos preços, é especialmente importante conhecer os efeitos da inflação na carteira e saber qual é a melhor maneira de lidar com eles. Assim, você poderá se proteger de eventuais perdas e se aproximar dos seus objetivos financeiros.

Quer entender como o aumento global da inflação interfere no seu portfólio de investimentos? Continue a leitura e descubra!

O que é a inflação? 

A inflação é um fenômeno econômico que está relacionado à perda do poder de compra. O que acontece pela depreciação do dinheiro ao longo do tempo, em decorrência do aumento generalizado e contínuo dos preços de produtos e serviços.

Logo, quanto mais intenso for o avanço dos preços em uma economia, maior será o índice de inflação observado. Essa situação pode ser causada por diversos fatores, como:

  • desequilíbrio entre oferta e demanda;
  • variação cambial;
  • aumento nos custos de insumos e de produção;
  • aumento da emissão ou circulação de papel-moeda;
  • aumento inercial de preços.

Qual é o cenário de inflação nas economias mundiais?

Para entender qual o impacto da inflação, é importante conhecer o cenário das economias mundiais em relação a ela. Em geral, os países — desenvolvidos e emergentes — aplicam uma política monetária focada em controlar a inflação.

O objetivo costuma ser a manutenção  do avanço dos preços dentro de determinada meta, para evitar os prejuízos que a inflação pode causar à atividade econômica. No entanto, situações variadas podem fazer com que esse indicador alcance patamares maiores que o desejado.

Em 2022, por exemplo, esse aumento da inflação aconteceu ao longo do primeiro semestre em diversos países. Ao considerar as economias mundiais, vale a pena observar a situação dos Estados Unidos. Em junho de 2022, a taxa anualizada de inflação dos EUA foi de 9,1% — a maior dos últimos 40 anos. 

Na União Europeia, a situação se mostrou semelhante no mesmo período. No sexto mês de 2022, a inflação anual da Zona do Euro atingiu 8,6% — o maior resultado desde 1997. No Reino Unido, a inflação anualizada somou 9,1% em maio de 2022, no patamar mais alto em 40 anos.

A economia brasileira também sofreu com a inflação alta no período. Em junho de 2022, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), nosso principal indicador de inflação, era de 11,89% no acumulado dos últimos 12 meses.

Ao mesmo tempo, a maioria dos países já apresentava uma expectativa moderada ou baixa de crescimento anual. Com isso, o panorama ficou marcado pelo fenômeno de estagflação — que é dado por baixas taxas de crescimento associadas a uma inflação alta e persistente. 

Quais os impactos da inflação no mundo em sua carteira de investimentos? 

Após entender o cenário de inflação no mundo, você saberá qual pode ser o impacto dele no seu portfólio de investimentos. Nesse sentido, é interessante começar considerando as medidas que são adotadas ao redor do planeta para conter a inflação.

O Federal Reserve (Fed), que é o banco central americano, anunciou aumentos na taxa de juros dos títulos públicos americanos ao longo do primeiro semestre de 2022. Logo, esses investimentos de renda fixa se tornaram mais atraentes, por serem mais seguros que aqueles de mercados emergentes.

Em um contexto como esse, pode ocorrer uma saída de investidores estrangeiros do mercado brasileiro. Assim, é esperada uma diminuição de liquidez na bolsa brasileira e a queda na performance de diversos ativos de renda variável.

Ao mesmo tempo, o aumento na taxa de juros americana pode desacelerar a economia e até dar origem a uma recessão nos EUA. Como essa é a maior economia do mundo e influencia diversos outros países, o cenário mundial pode se tornar mais volátil e mais arriscado.

Além disso, o avanço da inflação tende a elevar as incertezas do mercado financeiro, provocando quedas pontuais nos investimentos — especialmente, nos ativos de risco (renda variável). Por outro lado, como você viu, a elevação da taxa de juros tende a favorecer os investimentos de renda fixa.

É o que acontece quando o Banco Central (Bacen) opta pelo aumento da Selic, que é a taxa básica de juros da economia brasileira. Nessa situação, as aplicações financeiras de renda fixa podem oferecer ganhos maiores.

E, a inflação mundial ainda pode afetar o seu rendimento real. Uma inflação maior nos mercados pode ter reflexos no cenário brasileiro, com maior avanço nos preços. Logo, sua carteira de investimentos precisa apresentar um rendimento nominal mais elevado para que o retorno real seja positivo.

Como investir em um contexto de inflação no mercado global?

Até aqui, você viu como a alta da inflação no mundo pode impactar seus investimentos. Agora é preciso entender como aplicar seu dinheiro em um cenário como esse.

O primeiro passo para fazer qualquer investimento é identificar seu perfil de investidor e objetivos financeiros. Assim, torna- se mais fácil fazer escolhas que sejam consistentes com o que pretende alcançar — tendo uma estratégia em qualquer cenário.

Também é relevante focar no longo prazo. Como a economia passa por ciclos, sua carteira enfrentará momentos de inflação mais baixa e mais alta. Portanto, uma estratégia robusta e que seja focada em prazos maiores pode diminuir a exposição aos efeitos de cada ciclo.

Ademais, é importante diversificar a carteira, considerando a relação entre risco e retorno dos investimentos. Logo, fica mais fácil equilibrar a rentabilidade dos seus investimentos com o nível de risco que você é capaz de tolerar.

Ainda sobre a diversificação, vale a pena selecionar investimentos que sejam descorrelacionados ou que apresentem correlação negativa entre si. Desse modo, é possível ter resultados diferentes diante de condições semelhantes, evitando a concentração de recursos.

Além disso, investir com a inflação no mundo em alta não precisa ser uma tarefa individual. Você pode recorrer a uma gestão profissional com nosso time da Magnetis. Nossa solução oferece uma gestão digital de investimentos que pode te ajudar a se proteger e a aproveitar oportunidades.

Conseguiu compreender como a inflação alta no mundo pode impactar sua carteira de investimentos? Para investir nesse cenário e driblar os desafios, é essencial adotar uma estratégia robusta, que seja focada no longo prazo e mantenha a diversificação.

Essas informações foram úteis para você? Aproveite o suporte profissional para compor sua carteira,  fale gratuitamente com um de nossos especialistas!

Andressa Siqueira, CFP®
Andressa Siqueira, CFP®

Formada em Economia pela PUC-SP, é especialista em investimentos na Magnetis desde 2019. Possui as certificações CEA pela ANBIMA e de planejadora financeira CFP®, trabalha no mercado financeiro há mais de 8 anos.

leia mais desse autor