RDB e CDB: qual é a diferença entre esses investimentos?

por Fernando Reis | 22/01/2019

RDB e CDB: saiba qual é a diferença

Você já ouviu falar do RDB? Esse investimento é menos conhecido no mercado, mas suas características são bastante parecidas com as de um investimento em CDB.

Ambos são investimentos de renda fixa e sua finalidade é bastante parecida. Eles são utilizados por instituições financeiras para captar recursos e financiar suas atividades.

Neste post, vamos entender melhor qual é a diferença entre RDB e CDB e qual dessas aplicações é a mais indicada para cada objetivo. Acompanhe e tire suas dúvidas!

O que é RDB?

RDB é a sigla para Recibo de Depósito Bancário. Assim como outros títulos bancários, ele também é usado para captação de recursos.

Funciona da seguinte maneira: um banco tem lucro ao emprestar dinheiro para as pessoas por uma determinada taxa de juros.

Porém, como ele não tem autonomia para produzir dinheiro, toma emprestado de investidores e promete uma remuneração em troca. É essa remuneração que representa o rendimento das aplicações financeiras.

Em outras palavras, quando você investe em um RDB, também está emprestando dinheiro para uma instituição financeira.

O RDB é considerado um investimento de risco mais baixo, pois conta com a garantia do FGC.

Esse mecanismo assegura a devolução de até R$ 250 mil (considerando capital, rendimentos e depósitos em conta) caso um banco ou financeira decretem falência ou sejam liquidados pelo Banco Central.

Qual é a diferença entre CDB e RDB?

Os CDBs são os Certificados de Depósito Bancário. Já falamos sobre eles em outro post aqui no blog mas, resumidamente, eles também são usados pelos bancos para financiar suas operações de crédito.

A grande diferença entre RDB e CDB está na liquidez, ou seja, no tempo necessário para transformar o investimento em dinheiro.

Enquanto os CDBs podem ter liquidez antes do vencimento, os RDBs não podem ser convertidos em dinheiro antes do final do prazo.

O RDB é inegociável e intransferível. O CDB, por outro lado, pode ser negociado no mercado secundário, onde é possível vendê-lo a outro investidor.

Os RDBs são mais raros no mercado e muitos bancos não oferecem esses títulos aos clientes.

É mais fácil encontrá-los em financeiras e cooperativas de crédito, pois ele é o único título que essas instituições podem emitir.

Qual é o rendimento de um RDB?

Vários fatores influenciam na rentabilidade de um RDB. Diferente da poupança, que rende igual em todos os bancos, o rendimento de um RDB varia de acordo com diversos fatores. Os principais são:

  • valor mínimo da aplicação;
  • prazo do investimento;
  • risco da instituição.

Cada instituição é livre para determinar a rentabilidade que oferece. Mas geralmente, quanto maior é o prazo, o valor da aplicação ou risco da instituição, maior tende a ser essa rentabilidade.

Assim como os CDBs, a rentabilidade dos RDBs pode ser:

  • prefixada: a taxa é conhecida no momento da aplicação;
  • pós-fixada: o rendimento depende de um indicador do mercado, geralmente o CDI, que é uma taxa bastante próxima da Selic;
  • híbrida: o rendimento mescla uma taxa prefixada com a variação de um índice no período da aplicação (Ex.: 5% + CDI).

A maioria dos RDBs no mercado hoje é pós-fixada com base no CDI. Assim, o rendimento é expresso em um percentual dessa taxa.

Para facilitar, um exemplo: o CDI hoje está em 5,4% ao ano. Um RDB que oferece rentabilidade de 100% do CDI está, na verdade, ofertando um rendimento de 5,4% ao ano durante o período da aplicação.

É claro, se o investimento durar mais de um ano, o rendimento acumulado será um pouco maior. No entanto, sempre será proporcional ao CDI acumulado.

Quais são os impostos cobrados sobre o investimento em RDB?

Os RDBs estão sujeitos ao Imposto de Renda (IR) sobre o lucro do investimento. Caso a aplicação dure menos de 30 dias, também há incidência do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF).

As alíquotas do IR e do IOF são regressivas. Dessa forma, quanto maior é o tempo da aplicação, menor é a alíquota de imposto a ser pago.

Como investir em RDBs?

É possível contratar RDBs diretamente dos bancos, muitas vezes por meio do Internet Banking ou aplicativo. A maioria deles exige um valor mínimo inicial.

Mas também é possível comprar por meio de corretoras que fazem a intermediação entre o investidor e os bancos emissores.

Como escolher entre CDBs e RDBs?

Diante de tantas similaridades, fica a dúvida: é melhor investir em RDB ou CDB? A resposta é: depende.

Como já mencionamos aqui no blog, os principais critérios para escolher um investimento são seu objetivo e o tipo de risco que você tolera. Entendendo esses dois pontos, fica mais simples decidir questões como:

  • quanto tempo você pode deixar o dinheiro aplicado?
  • pode acontecer de você precisar do dinheiro antes do prazo?
  • o rendimento desse investimento será suficiente para alcançar o valor que você deseja no futuro?
  • o nível de risco está adequado ao seu perfil?

Por fim, quando você for contratar um RDB, é importante prestar atenção às condições do negócio e, de maneira nenhuma, colocar todo o seu dinheiro nesse tipo de investimento. Isso porque pode ser bem difícil fazer o resgate no caso de uma emergência, por exemplo.

Agora que você entende melhor o que é RDB e qual é a diferença entre ele o CDB, que tal conhecer outras aplicações financeiras? Baixe grátis o nosso Guia Completo sobre os Tipos de Investimento e conheça as opções!

RDB e CDB: qual é a diferença entre esses investimentos?
5 (100%) 14 vote[s]