Rebalanceamento de carteira: por que ele é tão importante?

por Malena Oliveira | 12/11/2019

rebalanceamento de carteira
consultoria de investimento
curso de investimento

Sua carteira de aplicações financeiras não está rendendo como antigamente? Você já se perguntou se o risco × retorno dos tipos de investimento atual está adequado ao seu perfil? Existe uma solução para fazer com que você consiga manter bons rendimentos: fazer o rebalanceamento de carteira.

A prática consiste em ajustar investimentos periodicamente com o objetivo de manter a proporção da alocação do dinheiro nas diversas classes de ativos.

Essa postura com relação às aplicações não é restrita a profissionais: também está ao alcance de quem não tem conhecimentos avançados sobre o mercado financeiro. Quer saber mais? Leia neste post!

O que é rebalanceamento de carteira?

O rebalanceamento de carteira é a prática de comprar e vender ativos como forma de equilibrar as aplicações e mantê-las fiéis à estratégia inicial.

Esses ajustes são feitos em prazos pré-definidos e dentro de uma composição de classes de ativos baseada no perfil de quem investe. Ou seja: a ideia é sempre oferecer um risco × retorno aceitável para quem aplica.

As mudanças são baseadas nos preços dos ativos. Em geral, vende-se ativos que estão muito valorizados e, consequentemente, passam a ocupar mais espaço na carteira, e compra-se aplicações que estão com preço menor.

Tome como exemplo uma carteira com 50% dos investimentos em renda fixa e 50% em renda variável. No espaço de um ano, suponha que a porção em renda fixa valorizou e a fatia em renda variável desvalorizou.

Como resultado, a alocação da carteira passa a ser 55% em renda fixa e 45% em renda variável.

O rebalanceamento buscará então ajustar a carteira para que ela volte a ter a composição original: 50% em renda fixa e 50% em renda variável.

Ou seja, para isso, vai vender 5% dos ativos de renda fixa e comprar 5% em ativos de renda variável.

Por que fazer o rebalanceamento de carteira?

O rebalanceamento da carteira permite manter o equilíbrio das aplicações em diferentes cenários, sempre de acordo com o seu perfil de investimento e seus objetivos.

Veja, a seguir, as principais vantagens dessa prática:

Reduzir riscos

Quando uma classe de ativos mais arriscada se valoriza na carteira, ela proporcionalmente tende a ocupar mais espaço no conjunto de aplicações do que o definido inicialmente, o que pode representar mais risco para quem investe.

Nesse caso, o rebalanceamento de carteira vai vender os ativos e adquirir aplicações mais seguras para fazer com que o risco da carteira diminua.

Manter aplicações de acordo com o perfil

Rebalancear a carteira vale para todos os perfis. Isso porque a prática não serve apenas para deixá-la mais conservadora, mas também manter a carteira equilibrada conforme o apetite por risco de quem investe.

Por exemplo, no caso de uma carteira com risco moderado, na qual as aplicações de renda fixa valorizaram muito, será necessário diminuir a posição em aplicações mais conservadoras como forma de manter o risco mais elevado da carteira.

Proteger contra ciclos econômicos

O rebalanceamento de carteira é uma defesa contra o sobe e desce do mercado, já que diminui as chances de manter ativos valorizados quando houver um ciclo econômico no qual eles possam se desvalorizar rapidamente.

consultoria de investimento

Ajustando de tempos em tempos as posições da carteira, é possível evitar grandes perdas durante crises, por exemplo.

Quando devo rebalancear a minha carteira?

O rebalanceamento de carteira pode ser feito em períodos fixos, como a cada seis meses ou um ano.

É interessante que esse período de revisão aconteça em conjunto com algum objetivo financeiro, já que será possível aproveitar a oportunidade para retirar o dinheiro de uma aplicação que rendeu mais retornos.

Outra maneira de rebalancear a carteira é colocar limites na proporção das classes de ativos.

Ultrapassado esse limite, que é determinado pelo apetite ao risco, deve-se rebalancear a carteira, não importando o período.

Por ser um rebalanceamento que não é definido pelo tempo, a tendência é que capture melhor mudanças rápidas no cenário econômico.

Como fazer o rebalanceamento?

O rebalanceamento de carteira pode ser feito de forma manual, o que exige apenas que a pessoa monitore a composição da carteira e fique atento às datas de calibragem.

Mas também existem no mercado produtos, como fundos balanceados, e empresas que realizam o serviço de forma automática.

Na Magnetis, o rebalanceamento de carteira já faz parte da taxa de serviço. Geralmente, quando uma aplicação adicional é realizada, os valores são direcionados para os ativos que mais precisam de atualização, rebalanceando a carteira de forma automática.

Qual é a diferença entre consultoria de investimentos e carteira administrada?

Agora que você já sabe como funciona a técnica de rebalanceamento de carteiras e como ela contribui para diminuir riscos, além de manter o conjunto de aplicações adequado ao perfil de investimento e proteger contra oscilações do mercado, que tal buscar uma orientação sobre a melhor forma de aplicá-la?

Antes, é necessário entender a diferença entre consultoria de investimentos, carteira administrada e uma gestora de investimento.

Para prestar o serviço de consultoria de investimentos a empresa ou pessoa deve registrar uma licença na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) — cujo propósito é recomendar as melhores aplicações para quem investe, segundo o perfil e os objetivos financeiros.

Não há comissões pelas aplicações, mas quem presta o serviço recebe uma taxa de valor proporcional à aplicação. Esse mecanismo evita conflitos de interesses na hora da recomendação.

Já uma carteira administrada consiste em delegar a alguém o trabalho de montar o seu portfólio de investimentos, conforme seus objetivos e perfil.

Esse administrador poderá inclusive realizar o rebalanceamento da carteira de tempos em tempos, sem precisar do seu aval para isso. O serviço vem embutido em fundos de investimento, mas também pode ser contratado separadamente.

Por fim, as gestoras de investimento recomendam em que alocar recursos e também fazem o monitoramento total das carteiras, procurando identificar de que forma os recursos podem ser reinvestidos para que o cliente obtenha a melhor performance.

Essas opções podem ajudar você a realizar o rebalanceamento de carteira de acordo com seu perfil. Tem interesse em montar a carteira mais adequada para você e não quer perder tempo escolhendo aplicações? Baixe o nosso Guia Completo sobre Consultoria de Investimento.

Avaliar o post
curso de investimento