Invista agora
a evolução na edução financeira, conheça a Magnetis.

Recrutamento online: como fazer o processo seletivo 100% digital?

Contratar profissionais qualificados é um dos principais gargalos das empresas. E para auxiliar no processo de seleção, o recrutamento online é uma ótima saída.

Dessa forma, é possível conhecer candidatos de diferentes localidades, assim como facilitar a participação de pessoas já empregadas nos processos e encontrar profissional que inicialmente nem estavam procurando novas oportunidades.

Neste post, vamos falar sobre a relevância dessa iniciativa nos tempos atuais e dar dicas para facilitar a implementação do processo. Confira!

Qual é a importância da digitalização de processos seletivos?

A incorporação de práticas digitais sempre foi vista pelas empresas como uma forma de modernizar as operações. Assim, é possível aumentar sua eficiência e aproximar as empresas das gerações mais conectadas. 

A praticidade e os benefícios dessas iniciativas representam um diferencial competitivo que ajuda o negócio a se destacar frente à concorrência.

São alguns exemplos dos benefícios de fazer recrutamento online:

Redução dos custos

Os processos online conseguem reduzir os custos em todos as etapas do processo. Primeiro na divulgação das vagas, depois na triagem dos currículos e na realização e testes que podem ser feitos com auxílio de ferramentas.

Essas plataformas ajudam a escalar a operação e diminuir as horas dedicadas pela equipe de recrutamento nestas etapas.

Agilidade

Ao postar novas vagas online (grupos/site de vagas, redes sociais, site da empresa), os currículos começam a chegar quase instantaneamente. E segundo um levantamento da Harvard Business Review, só a parte de divulgação online de uma vaga pode reduzir em até 3 dias o ciclo de um processo seletivo.

Além disso, fazer um recrutamento online também é excelente para acelerar as etapas de testes e avançar com os candidatos em ritmos diferentes.

Alcance maior de profissionais-alvo

Quando você faz uma divulgação em uma universidade ou em um jornal, você tem um alcance restrito ao público daquele local. Mas quando você consegue trazer seu processo (e não só a parte de currículos) para o meio digital, o mundo vira seu campo de recrutamento.

De repente, distâncias geográficas se tornam insignificantes e a gama de profissionais disponíveis aumenta consideravelmente. A busca começa a ser realmente pelos melhores candidatos, não mais os que podem comparecer às etapas de seleção com mais facilidade.

Mais informações sobre os candidatos

A internet permite a realização de testes de conhecimento, personalidade e comportamento automatizados e que entregam muito mais insumos para os recrutadores.

Além disso, as próprias redes sociais do candidato e as interações que ele faz e posta são bons indícios comportamentais dele.

Compartilhamento de informações entre a equipe

Nos processos seletivos presenciais, muitas vezes apenas o recrutador tem as informações sobre o candidato e precisa repassá-la toda vez que um novo membro da equipe vá dialogar com o profissional.

Já quando tudo fica centralizado em um mesmo sistema, torna-se muito mais simples para os gestores avaliarem os candidatos para suas vagas e compartilhar as informações e impressões com membros de outras equipes.

Banner podcast Papo de Firma

Como implementar o recrutamento online?

Apesar de ser uma experiência diferente das dinâmicas presenciais, é possível realizar o recrutamento online de forma eficaz e alinhada às necessidades do negócio. Veja agora algumas dicas que vão ajudar na implementação do processo seletivo 100% digital.

Prospecte os candidatos nos locais certos

Na internet é possível encontrar de tudo, inclusive bons profissionais para compor o quadro da sua empresa. Para facilitar essa busca, existem diferentes plataformas e redes sociais, que focam exatamente nesse tipo de interação.

Uma das opções mais conhecidas é o LinkedIn. A rede conta com cerca de 675 milhões de usuários pelo mundo, sendo mais de 40 milhões apenas no Brasil. A Viadeo é outra opção, que apresenta funções muito semelhantes às do LinkedIn. A beBee, por sua vez, é ideal para a criação de redes de trabalho colaborativas.

Por meio desses canais, as pessoas podem descrever suas habilidades, apresentar sua formação, contar as experiências na profissão e expor suas expectativas. Com base nessas informações, as empresas têm condições de selecionar os perfis mais adequados às suas demandas. 

Você também pode divulgar suas vagas em canais específicos como Glassdoor, Vagas e até no próprio LinkedIn.

Depois dessa triagem, é possível estabelecer o primeiro contato com os profissionais e dar continuidade às negociações sem ter que sair da plataforma.

Crie provas e testes online

Por mais que alguns mecanismos de avaliação evoluam, os tradicionais testes continuam sendo uma ferramenta valiosa para medir os conhecimentos dos candidatos. Com base nos resultados obtidos, dá para definir com mais clareza quem tem as aptidões necessárias para desempenhar um bom trabalho na função aberta.

Existem ferramentas podem ser utilizadas para a elaboração de questionários para o processo de recrutamento online. Alguns exemplos são Mindsight, Rankdone.

Essas ferramentas oferecem a opção de criar tanto questões alternativas quanto dissertativas. Além disso, é possível definir um tempo para resposta e gerar a pontuação automaticamente.

Depois de escolher a ferramenta, é preciso garantir que as perguntas são realmente capazes de refletir os conhecimentos esperados dos futuros colaboradores. O ideal é que a metodologia seja analisada em conjunto entre os setores, especialmente com o RH e os técnicos do departamento correspondente.

Faça entrevistas por chamada de vídeo

Essa é a oportunidade de ter uma conversa mais próxima com os candidatos sem abrir da praticidade e da escala.

Para fazer a entrevista remota, alguns detalhes devem estar bem alinhados entre as partes envolvidas. Começando pelo básico, é preciso deixar claro a data e o horário da chamada, para que todos estejam devidamente preparados. Defina também qual será a ferramenta utilizada: Skype, Google Hangouts, MS Teams ou até mesmo o WhatsApp, pela sua versão para navegador.

A dinâmica da entrevista não deve ser muito diferente da que acontece de forma presencial, pois os questionamentos feitos pela empresa serão praticamente os mesmos. O gestor pode aproveitar essa situação para avaliar questões mais subjetivas, que também dizem muito sobre as características do entrevistado.

Mesmo sendo uma conversa a distância, é fundamental que o candidato se prepare adequadamente para a ocasião. Isso vale para detalhes como pontualidade, forma de se vestir, comunicação e até mesmo o local que ele escolheu para realizar a chamada. Tudo isso reflete traços do comportamento e pode dar uma ideia a respeito do comprometimento profissional.

Mantenha uma boa comunicação com os candidatos

Durante o processo seletivo ou após a contratação, manter uma comunicação ativa com os envolvidos é especialmente importante quando falamos do meio digital. Esse cuidado assegura que eles estarão sempre bem-informados a respeito do andamento de todas as etapas.

Para que isso aconteça, não hesite em recorrer a ferramentas como e-mail ou aplicativos de mensagens instantâneas. Essa é uma medida simples, mas muito importante para que todos estejam alinhados. Dessa forma, a empresa conquista bons resultados mesmo em momentos adversos.

Como você viu ao longo deste post, é possível adaptar os processos seletivos para que eles sejam eficientes também de forma remota. Desenvolvendo uma estrutura adequada, o processo seletivo digital pode ser aplicado para escolher desde trabalhadores operacionais até um gestor.

Mas, para que tudo dê certo com o recrutamento online, é preciso contar com um setor de Recursos Humanos eficiente. Continue o aprendizado e veja como implantar o RH estratégico na sua empresa!

Julia Ayres

Julia é jornalista por formação, mas apaixonada por marketing digital, performance e educação financeira. Atualmente, lidera as estratégias de marketing para a área de empresas da Magnetis

leia mais desse autor