Entenda como funciona a regra 50-15-35 e como aplicá-la no seu dia a dia!

por Malena Oliveira

Independente da sua renda mensal, organizar o orçamento é algo muito importante. Para que tudo saia como o planejado e sua conta se mantenha no azul, algumas práticas podem ser aplicadas no seu planejamento financeiro.

Nesse aspecto, para que você comece a economizar, juntar dinheiro e investir, precisa saber mais sobre a regra 50-15-35, uma metodologia financeira que te ajuda a otimizar os gastos.

Dividindo as despesas por uma porcentagem e em algumas categorias, o objetivo dessa prática é manter o orçamento sob controle. Como fazer isso? É o que vamos mostrar neste post. 

Você vai saber como aplicá-la no seu orçamento, para que possa organizar as suas contas da melhor maneira possível. Confira!

O que é planejamento financeiro?

O planejamento financeiro é a prática de organizar as finanças pessoais. Desse modo, é possível pagar as contas em dia, ter uma reserva de emergência e ainda guardar dinheiro para investir. Isso para que você alcance objetivos de curto, médio e longo prazos. 

Além de ter muita disciplina, para colocar um planejamento em prática é preciso escolher alguns recursos que vão te ajudar no caminho. Afinal, mudar sua rotina financeira será algo para a vida toda: sempre evoluindo! Por isso, quanto antes você começar, melhor.

Por que o planejamento financeiro é importante?

Ter um planejamento financeiro significa organizar as estratégias para ter uma vida financeira cada vez mais estável. Ele é importante para que você consiga atingir seus objetivos com mais eficácia.

O planejamento pode indicar quais são seus gastos, quanto você deve economizar, quais esforços serão necessários para você guardar dinheiro e quais investimentos você pode fazer para potencializar todo o processo.  

Nesse contexto, organizar suas contas será útil tanto para poupar seu dinheiro, quanto para traçar seus objetivos com mais clareza.

Como organizar as contas?

A maioria dos brasileiros deseja juntar dinheiro e sair do vermelho em 2019. O otimismo está presente em 72% dos entrevistados de uma pesquisa do SPC Brasil e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). Apesar disso, 61% tem receio de que a crise econômica impacte o orçamento e o planejamento financeiro iniciado.

Então, como organizar as contas para evitar os impactos negativos? Além de muita disciplina, é preciso cumprir algumas etapas:

  • definição de objetivos: saiba aonde deseja chegar em 2 anos (curto prazo), 5 anos (médio prazo) e 10 anos (longo prazo), isso te ajudará a manter o foco. Mas lembre-se que os objetivos podem mudar ao longo do tempo. Nesse aspecto, você pode revisá-los sempre que julgar necessário;
  • realização do controle financeiro: utilize planilhas ou aplicativos para anotar todos os seus gastos e rendimentos, mesmo os menores deles. Assim, é possível identificar excessos e possibilidades de redução de custos;
  • seleção de práticas que te ajudarão: existem várias opções a serem adotadas que podem contribuir para um bom planejamento financeiro. Escolha a que se adaptar melhor aos seus objetivos.

Visto isso, você precisa saber mais sobre a regra 50-15-35. Veja a seguir como ela funciona e de que forma é aplicável no seu dia a dia.

Como funciona a regra 50-15-35?

Esse método é bastante simples e muito eficiente. Sua proposta é dividir o orçamento em percentuais: 50%, 15% e 35%.

A partir da divisão do dinheiro, você sabe quanto poderá gastar em cada categoria. Para fazer uma classificação adequada, trabalhe com as porcentagens da seguinte maneira:

50% para gastos essenciais

Esses gastos dizem respeito às despesas utilizadas no seu dia a dia. É o caso de moradia, transporte, educação, saúde e alimentação. Nessa categoria, estão inclusos os gastos referentes a, por exemplo:

  • aluguel ou financiamento imobiliário;
  • contas de luz, água, gás e telefone;
  • passagem de ônibus ou gasolina;
  • aula de inglês;
  • compra de remédios;
  • plano de saúde;
  • supermercado;

15% para economia

Esse percentual depende da sua situação financeira. Se você tem dívidas, primeiro, deve quitá-las. Se elas representarem um valor elevado do seu orçamento, você pode considerar utilizar mais de 15%, economizando da próxima categoria que vamos te apresentar em breve.

Caso suas finanças estejam positivas, a prioridade é investir seu dinheiro, assim você poderá alcançar seus objetivos. Direcione 15% da sua renda para algum tipo de investimento que seja rentável e que valha a pena para você.

35% para manter o estilo de vida

Você pode utilizar os 35% restantes para usar como preferir. Estão incluídas nessa categoria todas as despesas que são importantes para o seu bem-estar. Alguns exemplos são:

  • academia;
  • cuidados pessoais em geral;
  • bares;
  • compra de roupas;
  • restaurantes e baladas;
  • assinaturas de serviços;

Em um momento de crise, de dívidas ou de orçamento restrito, você deve reavaliar seu orçamento e retirar uma parte dessa categoria, a fim de suprir outras necessidades mais importantes.

A partir dessa divisão do orçamento, você estabelecerá metas e restrições de gastos, o que te ajudará na hora de construir seu patrimônio. Além disso, torna-se mais fácil analisar e avaliar as contas e despesas.

Perceba que, de toda forma, essa metodologia ainda prevê uma quantia significativa para você fazer o que gosta. No começo, pode ser mais difícil, mas a mudança de comportamento se torna mais fácil com o tempo.

Para aplicar essa regra no seu dia a dia, antes de tudo, organize as suas contas e divida-as nessas categorias. Em seguida, faça os ajustes necessários. Por exemplo: em um primeiro momento, se você ultrapassar alguma meta de gastos, veja quais delas são mais fáceis de pausar por um período.

Considere também a alternativa de reduzir algumas despesas essenciais, por meio da mudança de hábitos. Por fim, é preciso fazer um bom acompanhamento das suas finanças.

Quais são as ferramentas de controle financeiro?

Existem várias soluções criadas especificamente para manter a disciplina dos seus gastos. Você pode escolher aquela que se ajustar melhor às suas necessidades. Por isso, apresentamos a seguir as melhores ferramentas de controle financeiro. Veja!

Guiabolso

É um aplicativo que favorece a criação de um planejamento financeiro completo. O sistema se conecta ao seu banco e organiza os dados de forma automática. Depois, é só usar os recursos disponíveis, por exemplo, a definição de metas por categoria. Com isso, fica fácil acompanhar a regra 50-15-35.

You Need a Budget (YNAB)

Disponível para iOS, Android e desktop, armazena os dados financeiros na nuvem e os organiza a partir de quatro regras:

  • destinar cada receita para os gastos certos, a fim de evitar compras desnecessárias;
  • guardar dinheiro para despesas maiores, para se planejar com antecedência;
  • fazer ajustes no orçamento, caso gaste mais do que o previsto em uma categoria;
  • viver da renda do mês anterior.

O aplicativo está em inglês e é gratuito por 34 dias. Depois disso, é necessário pagar 60 dólares.

Organizze

Apresenta um resumo das finanças e indica o que é preciso fazer para um bom controle financeiro. A vantagem é a disposição das informações, inclusive, por meio de relatórios. Há uma versão gratuita e outra paga, a partir de R$ 8 por mês.

Minhas Economias

É um gerenciador financeiro que apresenta várias informações sobre educação financeira e um guia de investimentos. O aplicativo fornece gráficos e planilhas que permitem acompanhar despesas e gastos, bem como repensar seu orçamento quando necessário.

Para que serve e como formar uma reserva de emergência?

Neste post, explicamos que a parte da sua economia deve servir para a formação de uma reserva de emergência. Esse é um dinheiro que serve tanto para imprevistos e emergências, quanto para oportunidades que você sabe que não encontrará mais em outro momento.

Quem determina quanto deve ser guardado para essa finalidade é você. No entanto, vale a pena contar com, pelo menos, três meses de salário. Enquanto economiza com esse objetivo, você pode fazer investimentos de alta liquidez e pouco risco.

E aí? Gostou de saber mais sobre a regra 50-15-35? Ela ajudará a manter suas finanças organizadas, para que você possa alcançar todos os objetivos que deseja.

Se você quer saber mais sobre esse assunto, veja o post que preparamos sobre planejamento financeiro e a importância de organizar as suas finanças.

Luciano

Malena Oliveira é jornalista especializada em Finanças Pessoais e redatora na Magnetis.

Entenda como funciona a regra 50-15-35 e como aplicá-la no seu dia a dia!
Avaliar o post