Renda variável: conheça os tipos de investimento dessa categoria

por Malena Oliveira | 26/03/2019

Renda variável: o que é? Entenda aqui!
consultoria de investimento
curso de investimento

Ter sucesso ao investir seu dinheiro depende de boas estratégias e conhecimento. Isso porque existem diversos tipos de investimento no mercado, mas cada um tem uma finalidade. Neste post, vamos entender mais sobre a renda variável.

Esse tipo de aplicação costuma ter uma fama distorcida. Algumas pessoas acreditam que os investimentos de renda variável sejam um meio de ganhar dinheiro rápido e fácil.

No outro extremo, há quem que acredite que essas aplicações sejam extremamente arriscadas.

A verdade é que a renda variável pode fazer parte da carteira da maioria das pessoas, tudo depende do objetivo financeiro.

A partir de agora, você vai conhecer as opções disponíveis para você e como escolher os melhores investimentos para o seu propósito. Vamos começar?

O que é renda variável?

A renda variável é caracterizada pela imprevisibilidade dos rendimentos. Em outras palavras, quem investe não tem certeza de quanto terá ao final do processo — o contrário da renda fixa, em que há uma certa previsibilidade.

Isso ocorre porque o rendimento dos ativos está ligado a diversos fatores que costumam oscilar ao longo do tempo, como:

  • PIB (Produto Interno Bruto);
  • inflação;
  • taxa de juros;
  • câmbio;
  • cenário político nacional e estrangeiro;
  • políticas econômicas.

Assim, o grande diferencial desses investimentos é a alta volatilidade. O mercado muda a todo instante e isso pode trazer grandes ganhos, mas também esconde alguns riscos, não é mesmo?

Quem deve investir em renda variável?

A renda variável é para todo mundo. Isso mesmo! Seja você um iniciante ou veterano no mundo dos investimentos, é preciso ter em mente que essa é uma opção viável e muito interessante.

Acontece que ela ainda é pouco explorada no país, especialmente pelos mais receosos e precavidos. Afinal, colocar o seu dinheiro em ativos sem saber qual será o rendimento pode assustar no início.

No entanto, devemos destacar que o nível de risco existente faz com que esses ativos sejam mais indicados para investidores moderados e arrojados. Aqueles que não toleram a ideia de perder dinheiro e valorizam demais a segurança podem não aproveitar bem essa opção.

Ainda assim, a renda variável deve ser considerada. A diversificação na carteira de investimentos dilui o risco e proporciona ganhos superiores aos de uma estratégia focada apenas em renda fixa.

Portanto, podemos dizer que qualquer pessoa que tenha o objetivo de aumentar seu patrimônio de maneira inteligente e a disposição de correr um certo risco pode — e deve — inserir ativos de renda variável em seu planejamento.

Com estratégia e conhecimento, é possível alcançar grandes resultados sem comprometer excessivamente a sua segurança.

Onde investir em renda variável?

Se você decidiu investir em renda variável, já sabe onde isso deve ser feito? Caso ainda não tenha ideia de por onde começar, não se preocupe!

Em síntese, existem duas opções à sua disposição: investir na Bolsa de Valores ou por meio de fundos de investimentos. Todo investidor tem esses dois caminhos a seguir e, claro, precisa conhecer suas particularidades.

Investindo na Bolsa de Valores

A Bolsa de Valores é o mercado em que se negociam as ações. Ela mexe com imaginário das pessoas que se cansaram dos baixos rendimentos da Poupança, mas gera muitas dúvidas em quem está iniciando.

Nesse ambiente de negociação, é possível vender e comprar os títulos emitidos por empresas de capital público, privado ou misto. Para que isso seja possível, você conta com o auxílio de uma corretora e de analistas de investimento.

Investindo em Fundo de Investimentos

O Fundo de Investimento é uma opção formada por diversos produtos financeiros. Trata-se de uma excelente opção para quem deseja diversificar seus investimentos, já que pode conter opções em renda fixa e variável.

Para que você entenda melhor, basta imaginar um condomínio. Cada morador tem a sua cota (o apartamento), paga uma taxa mensal de administração e segue regras, não é mesmo?

Portanto, essa é uma forma simples de fazer investimentos complexos, já que os gestores são profissionais capacitados e acostumados a lidar com essas aplicações.

Você não precisa ser um especialista para alcançar grandes resultados. Por isso, é importante conhecer os principais fundos de investimentos dos bancos no Brasil.

Quais são as vantagens e desvantagens da renda variável?

Uma premissa básica do universo dos investimentos é que não existe tudo ou nada. Toda opção traz vantagens e desvantagens e compreender essas situações é essencial para que você tome decisões conscientes e produtivas.

Mas, afinal, quais são os pontos positivos e negativos da renda variável? Confira!

As vantagens

Investir em renda variável traz benefícios que merecem ser destacados. Em primeiro lugar, o prazo de investimento é extremamente flexível. Você pode aplicar no longo prazo ou no curto prazo, e até mesmo no Day Trade — que dura apenas um dia.

Os rendimentos são bem melhores do que na renda fixa e as operações de compra e venda são realizadas totalmente online. Com um smartphone ou computador já é possível acompanhar seus ativos e realizar transações, mesmo sem ter muito dinheiro para investir.

Não podemos esquecer que a compra de ações pode dar a você direitos de sócio da empresa, já que as ações ordinárias concedem o benefício de votar nas assembleias gerais.

Além disso, os proventos podem ser recebidos por meio de dividendos, aluguéis ou Juros Sobre Capital Próprio (JCP) — excelentes para quem deseja viver de renda.

As desvantagens

Apesar das vantagens apresentadas, a renda variável envolve riscos. Não se pode investir nesses ativos sem levar em consideração as oscilações existentes, especialmente no curto prazo.

consultoria de investimento

Outro fator a ser avaliado são os custos da operação. A depender do volume de investimento e da corretora escolhida, eles podem ser elevados. Daí a importância de pesquisar bem antes de abrir a sua conta em uma instituição.

Quais são os tipos de investimento em renda variável?

Depois de tudo o que foi apresentado, é hora de conhecer melhor os tipos de investimento em renda variável!

Antes disso, porém, precisamos destacar que a Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais) concluiu que mais da metade da população não conhece e não utiliza produtos de investimento e, entre os que já investem, 89% ainda aplicam dinheiro na Poupança.

O que se conclui com isso é que o brasileiro tem pouca consciência de que é protagonista de sua situação financeira. Uma pequena parcela da população tem o hábito de poupar e, ainda assim, não aproveita bem as oportunidades à disposição.

Essa cultura só será superada com conhecimento. Veja, a seguir, as opções para investir em renda variável!

Ações

As ações são os ativos mais conhecidos dentro da renda variável. Nesse caso, você compra ou vende um percentual do capital social de uma empresa que opera na Bolsa de Valores — o que dá direito à participação nos resultados.

Quando uma empresa decide emitir ações e colocá-las à venda, ela pretende arrecadar dinheiro para potencializar seu crescimento. Com isso, existem as ações ordinárias (que dão direito ao voto) e as ações preferenciais (dão direito ao recebimento de dividendos e reembolso de capital).

Esse tipo de investimento tem um potencial de rentabilidade bem interessante. Apesar do risco existente, os ganhos são atrativos e você pode iniciar mesmo sem ter um grande capital disponível.

Fundos de Ações

Os Fundos de Ações são uma opção para quem deseja investir na Bolsa de Valores, mas não quer comprar ações de forma direta e de uma determinada empresa.

Em resumo, estamos falando de uma carteira de investimentos composta por ativos de renda variável, como ações à vista e certificados de depósitos de ações. Ao investir em um Fundo, você adquire uma cota e não o título.

Obviamente, seus resultados dependerão do desempenho dos ativos que compõem a carteira, que é administrada por um gestor especializado e uma equipe profissional.

Fundos Imobiliários

Você sabia que é possível investir em imóveis sem comprá-los? Pode parecer confuso, mas é isso que os Fundos Imobiliários (FII) proporcionam a você.

Esse é o método mais fácil, rápido e acessível de se investir no setor imobiliário. Na prática, você se une a outras pessoas e adquire cotas de grandes empreendimentos, como hotéis, shoppings e salas comerciais.

Assim, terá o direito de receber aluguéis proporcionais ao capital investido. Então, mesmo não tendo muito dinheiro para aplicar, você pode investir em imóveis de uma forma segura e vantajosa.

Derivativos

Os Derivativos são pouco conhecidos. Tratam-se de instrumentos financeiros que têm um preço de mercado atrelado a outro bem ou instrumento financeiro.

Achou confuso? Imagine que você resolva comprar um contrato de dólar do mercado futuro. Nesse caso, o que você adquire não é a moeda em si, mas o direito à sua oscilação. Por isso dizemos que seu valor varia de acordo com outro ativo ou objeto.

Dentro dessa classificação podemos encontrar as opções e os contratos futuros de dólar ou de juros, por exemplo. A essência é sempre a mesma: um rendimento que depende do comportamento de outro produto.

Commodities

As commodities nada mais são que matérias-primas fundamentais e com baixo índice de industrialização. Elas podem ser estocadas em grandes quantidades e têm um alto valor de mercado, como o petróleo, o ouro e o etanol.

Não é difícil concluir que essa é uma excelente opção para o público brasileiro. Afinal, nosso país é um dos maiores exportadores desses insumos.

Vale lembrar que eles são comercializados na Bolsa de Valores e que dependem de uma boa corretora. Além disso, os valores oscilam de acordo com a oferta e a procura, exigindo estratégia de quem deseja investir.

Produtos agrícolas

Por fim, você também pode investir em produtos agrícolas, como arroz, soja, laranja, café e boi gordo. Por serem essenciais para a economia nacional, esses ativos trazem grandes oportunidades.

Mas como isso funciona? Imagine um produtor de laranja que plantou muitos hectares e espera vender cada saca a R$50. Entre o plantio e a colheita, muita coisa pode acontecer — um aumento do valor para R$80 ou uma queda para R$30, por exemplo.

Para evitar perdas, ele emite contratos de venda no valor de R$50. Dessa maneira, quando chegar o momento de colher e vender as laranjas, o produtor receberá o equivalente ao contrato. O investidor arca com o risco da operação, mas pode ganhar muito com a alavancagem.

O que mais você deve saber antes de investir em ativos de renda variável?

Você deve ter percebido que a renda variável é bem diferente da renda fixa. Aqui, o risco não é uma opção, mas sim uma realidade. Por isso, os investidores conservadores costumam evitar essas aplicações.

A verdade é que, quanto maior o risco, maior será a possibilidade de ganhos. Mas, de fato, essa inconstância pode gerar estresse e ansiedade em muitas pessoas.

Entretanto, isso não é tudo o que você precisa saber sobre a renda variável. Além de todas as informações apresentadas, é imprescindível entender mais alguns detalhes. Acompanhe!

Obrigatoriedade de declaração no Imposto de Renda

Todo contribuinte precisa declarar investimentos em renda variável em seu Imposto de Renda. Ainda que não esteja enquadrado nos casos de obrigatoriedade de entrega da DIRPF, é seu dever declarar as operações na Bolsa de Valores e no mercado futuro, por exemplo.

Diversificação como estratégia para o sucesso

Por mais atrativas que sejam as rentabilidades oferecidas pela renda variável, não é prudente colocar todo o seu dinheiro nesse tipo de ativo. Como não há garantia de retorno, a melhor estratégia é diversificar sua carteira e também contar com opções em renda fixa.

Capital necessário para começar a investir

Para finalizar, é sempre bom destacar que você não precisa ter muito dinheiro disponível para começar a investir em renda variável. Atualmente, com as fintechs e consultorias de investimento online, essas operações se tornaram muito mais acessíveis, sendo excelentes opções para quem deseja viver de renda e conquistar seus objetivos financeiros.

Conseguiu tirar suas dúvidas sobre a renda variável? Quer aprender a escolher o investimento ideal para você? Baixe gratuitamente o nosso Guia Completo sobre os Tipos de Investimento e tire suas dúvidas!

Renda variável: conheça os tipos de investimento dessa categoria
5 (100%) 4 vote[s]
curso de investimento