Invista agora
a evolução na edução financeira, conheça a Magnetis.

Rendimento da poupança em 2019: como ela ficou no ranking dos investimentos?

Qual foi o rendimento da poupança em 2019? Essa pergunta ganhou popularidade antes mesmo do fim do ano, principalmente entre quem tem dúvidas sobre onde investir.

O rendimento da poupança em 2019 foi de 4,34%. Já a rentabilidade mensal da caderneta ficou em 0,35%.

Se você depositou R$ 100 na poupança em janeiro de 2019, terminou o ano com R$ 104,34.

O ano de 2019 também marcou uma mudança de paradigma para todos os investimentos de renda fixa.

Pela primeira vez desde que o Plano Real entrou em vigor (1994), estamos vivendo em um cenário de juros baixos e inflação controlada.

Na prática, isso significa o fim do rendimento de 1% ao mês na renda fixa. Se a economia brasileira ficar estável ou passar a crescer, esse quadro não deve mudar.

Neste post, vamos entender como a taxa Selic mais baixa influenciou a rentabilidade das principais aplicações de renda fixa do mercado.

Também vamos ver como ficou o comportamento da renda variável: bolsa de valores, ouro e até bitcoin entraram na lista. Já adiantando os resultados, a lista ficou assim:

Ranking dos melhores investimentos de 2019

  • Bitcoin: lucro de R$ 902,92
  • Tesouro IPCA+ 2045: lucro de R$ 465,51
  • Tesouro IPCA+ 2035: lucro de R$ 292,87
  • Ouro (OZ1D): lucro de R$ 285,10
  • Bolsa de valores (ETF de Ibovespa): lucro de R$ 267,58
  • Tesouro Prefixado 2025: lucro de R$ 183,04
  • Tesouro IPCA+ 2024: lucro de R$ 152,63
  • Poupança antiga: R$ 61,60
  • NuConta: lucro de R$ 49,23
  • CDB banco médio (100% do CDI): lucro de R$ 49,23
  • Tesouro Selic: lucro de R$ 46,29
  • Poupança nova: lucro de R$ 43,40
  • CDB banco grande (80% do CDI): lucro de R$ 39,41

Para fazer esses cálculos, consideramos uma aplicação de R$ 1 mil feita entre janeiro e dezembro de 2019.

A alíquota de Imposto de Renda utilizada foi 17,5%, considerando um resgate feito no primeiro dia útil de 2020. A seguir, você vê mais detalhes.

E para saber qual foi a rentabilidade das Carteiras Magnetis em 2019, basta se cadastrar a seguir para receber o relatório completo em seu e-mail:

Quanto rende R$ 1 mil na poupança e na renda fixa?

1 – Rendimento da poupança em 2019

O rendimento da poupança antiga ficou em 6,16% em 2019, de acordo com a regra de cálculo anterior.

Logo, quem tinha R$ 1 mil na poupança antiga no início do ano viu seu dinheiro se transformar em R$ 1.061,60 em dezembro.

Vale lembrar que esse rendimento só vale para os depósitos feitos antes de maio de 2012. Veja na tabela:

Aplicação na poupança antigaR$ 1 mil
Rendimento bruto acumulado em 2019R$ 61,60
Imposto de RendaR$ 0
Valor finalR$ 1.061,60

Já o rendimento da poupança nova, como mencionamos no início, foi de 4,34% sem descontar a inflação. Confira:

Aplicação na poupança novaR$ 1 mil
Rendimento bruto acumulado em 2019R$ 43,40
Imposto de RendaR$ 0
Valor finalR$ 1.043,40

2 – Rendimento da NuConta 2019

NuConta é a conta digital do Nubank, fintech famosa por seu cartão de crédito roxo.

Ela é uma conta de pagamentos que oferece rendimento de 100% do CDI. O dinheiro dos clientes é aplicado em RDBs garantidos pelo FGC.

Se você acompanha o blog da Magnetis, sabe que um rendimento de 100% do CDI significa que a aplicação tem rentabilidade bastante próxima da Selic.

Dessa forma, o rendimento acumulado da NuConta em 2019 ficou em 5,97%. Porém, esse é o rendimento bruto do investimento. Caso você saque o dinheiro, ele será menor por causa do Imposto de Renda.

Aplicação na NuContaR$ 1 mil
Rendimento bruto acumulado em 2019R$ 59,67
Imposto de Renda (17,5% sobre o rendimento bruto)R$ 10,44
Valor finalR$ 1.049,23

3 – Rendimento do CDB em 2019

O CDB é o investimento mais vendido pelos bancos. Sua remuneração é atrelada ao CDI e, na maioria dos casos, é uma porcentagem (%) do índice.

A maioria dos CDBs oferecidos pelos grandes bancos paga, em média, uma remuneração de 80% do CDI. No entanto, é possível encontrar CDBs que oferecem remuneração mais alta nas corretoras e nos bancos médios.

Em nosso exemplo, vamos ver como fica a rentabilidade de um CDB que ofereceu rentabilidade 100% do CDI em 2018.

Aplicação em CDB 100% do CDIR$ 1 mil
Rendimento bruto acumulado em 2019R$ 59,67
Imposto de Renda (17,5% sobre o rendimento bruto)R$ 10,44
Valor finalR$ 1.049,23

Agora, vamos ver o efeito na rentabilidade de um CDB que ofereceu um retorno de 80% do CDI no mesmo período.

Aplicação em CDB 80% do CDIR$ 1 mil
Rendimento bruto acumulado em 2019R$ 47,76
Imposto de Renda (17,5% sobre o rendimento bruto)R$ 8,35
Valor finalR$ 1.039,41

4 – Rendimento do Tesouro Selic em 2019

Tal como o nome diz, o Tesouro Selic reflete a taxa básica de juros praticada no mercado de títulos públicos.

Antes de vermos o rendimento líquido, precisamos prestar atenção em um detalhe.

Todo investimento no Tesouro Direto está sujeito à cobrança da taxa de custódia, uma tarifa que a bolsa de valores cobra das pessoas para registrar e guardar os títulos do Tesouro em seu nome.

Essa taxa é de 0,25% ao ano sobre o valor total dos títulos (o valor inicial e os rendimentos). O investimento também está sujeito ao IR (17,5%). Assim, temos:

Aplicação em Tesouro Selic 2023R$ 1 mil
Rendimento bruto acumulado em 2019R$ 59,30
Imposto de Renda (17,5% sobre o rendimento bruto)R$ 10,37
Taxa de custódia (0,25% sobre capital + rendimento bruto)R$ 2,64
Valor finalR$ 1.046,29

5 – Rendimento do Tesouro IPCA+ em 2019

Tesouro IPCA+ é um pouco diferente do Tesouro Selic. Seu rendimento é composto pela inflação e uma taxa prefixada (2% + IPCA, por exemplo).

Existem diversos prazos de vencimento para o Tesouro IPCA+. Os títulos podem ser resgatados a qualquer momento, mas o ideal é que você espere o fim do prazo para sacar os recursos. Assim, você evita o risco de ter um retorno menor.

Vamos ver agora como foi a rentabilidade acumulada do Tesouro IPCA+, conforme os dados no site do Tesouro Direto.

Esses dados consideram a rentabilidade contratada, mais a variação do preço dos títulos ao longo do ano. Assim, temos:

Aplicação em Tesouro IPCA+2045R$ 1 mil
Rendimento bruto acumulado em 2019R$ 569,00
Imposto de Renda (17,5% sobre o rendimento bruto)R$ 99,57
Taxa de custódia (0,25% sobre capital + rendimento bruto)R$ 3,92
Valor finalR$ 1.465,51
Aplicação em Tesouro IPCA+2035R$ 1 mil
Rendimento bruto acumulado em 2019R$ 359,10
Imposto de Renda (17,5% sobre o rendimento bruto)R$ 62,84
Taxa de custódia (0,25% sobre capital + rendimento bruto)R$ 3,39
Valor finalR$ 1.292,87
Aplicação em Tesouro IPCA+2024R$ 1 mil
Rendimento bruto acumulado em 2019R$ 188,60
Imposto de Renda (17,5% sobre o rendimento bruto)R$ 33,00
Taxa de custódia (0,25% sobre capital + rendimento bruto)R$ 2,97
Valor finalR$ 1.152,63

(Cálculo baseado em dados do Portal do Tesouro Direto)

6 – Rendimento do Tesouro Prefixado em 2019

Tesouro Prefixado oferece rentabilidade fechada no momento da compra do título. Assim, é possível saber exatamente qual será o seu rendimento já na hora da aquisição.

A seguir, confira a rentabilidade acumulada do Tesouro Prefixado em 2019.

Aplicação em Tesouro Prefixado 2025R$ 1 mil
Rendimento bruto acumulado em 2019R$ 225,00
Imposto de Renda (17,5% sobre o rendimento bruto)R$ 39,37
Taxa de custódia (0,25% sobre capital + rendimento bruto)R$ 2,59
Valor finalR$ 1.183,04

(Cálculo baseado em dados do Portal do Tesouro Direto)

Qual o rendimento da bolsa de valores em 2019?

Um dos princípios da diversificação é não concentrar seu dinheiro em um único tipo de investimento.

Assim, a renda variável também é importante para a sua carteira, especialmente em um contexto de juros mais baixos.

Vamos ver a seguir como foi o desempenho dos investimentos na bolsa de valores em 2019.

1 – Rentabilidade do Ibovespa em 2019

O Índice Bovespa, principal indicador do mercado de ações no Brasil, terminou o ano de 2019 batendo recordes de alta, aos 115.645,34 pontos. Assim, o Ibovespa avançou 31,58% em 2019.

O ano foi de mudança na política, com um novo presidente e renovação do Congresso. Isso sustentou o otimismo do mercado quanto às reformas que o Brasil precisa para organizar as contas.

Ao longo do ano, porém, as crises na Argentina, no Chile e na Colômbia afetaram bastante os negócios por aqui.

Além disso, a guerra comercial entre China e Estados Unidos foi outro fator que tomou conta do noticiário, especialmente no segundo semestre.

O início da recuperação econômica no país, a aprovação da Reforma da Previdência e o início de um acordo entre EUA e China animaram bastante o mercado financeiro.

Todo esse sobe e desce está refletido no gráfico a seguir:

Ibovespa em 2019: quanto rendeu?
(comportamento do Ibovespa em 2019)

No entanto, não é possível investir de forma direta no Ibovespa. Mas existem diversos fundos que tentam replicar o seu desempenho.

A principal alternativa para reproduzir fielmente o comportamento do índice é o ETF de Ibovespa. Ele também é um fundo de investimento, mas com estrutura bem mais enxuta.

Justamente por isso, ele tem taxa de administração mais baixa do que os fundos de ações convencionais. No caso do BOVA11, o ETF de Ibovespa mais negociado da bolsa, essa taxa é de 0,54% ao ano.

A rentabilidade do BOVA11 em 2019 foi de 31,48%. O Imposto de Renda sobre um ETF de ações é de 15% para aplicações com prazo maior que 1 dia. Sendo assim, o rendimento fica dessa forma:

Aplicação em BOVA11R$ 1 mil
Rendimento bruto acumulado em 2019R$ 314,80
Imposto de Renda (15% sobre o rendimento bruto)R$ 47,22
Valor finalR$ 1.267,58

Vale lembrar que esse tipo de investimento é para quem aceita melhor o sobe e desce do mercado, pois está em busca de rentabilidade melhor do que a renda fixa oferece.

2 – Rentabilidade do ouro em 2019

Em 2019, especialistas do mercado financeiro começaram a discutir com mais frequência a possibilidade de uma nova crise financeira.

Nesse sentido, investir em ouro ganhou os holofotes. Isso porque essa aplicação ainda representa um investimento seguro, mais até do que o dólar.

No entanto, o ouro é uma aplicação sujeita a muito sobe e desce, como você pode ver no gráfico a seguir.

Por isso, se você estiver considerando esse investimento, tenha em mente um prazo mais longo para deixar seu dinheiro rendendo.

Veja então como foi a rentabilidade do OZ1D, o contrato padrão de ouro na bolsa de valores, que rendeu 28,51% em 2019:

(cotação do ouro OZ1D ao longo de 2019 e início de 2020. Gráfico: Trading View)

Vale lembrar que esse contrato está sujeito ao Imposto de Renda de 15%. No entanto, ele conta com um benefício fiscalL: isenção desse imposto para vendas abaixo de R$ 20 mil por mês.

Assim, vamos ver como fica a nossa tabela de rendimento:

Aplicação em OZ1DR$ 1 mil
Rendimento bruto acumulado em 2019R$ 285,10
Imposto de Renda (vendas abaixo de R$ 20 mil)R$ 0
Valor finalR$ 1.285,10

3 – Rentabilidade do bitcoin em 2019

O bitcoin viu seu preço crescer vertiginosamente no fim de 2017 e atraiu mais atenção até do que o Tesouro Direto.

No entanto, a criptomoeda sofreu um grande tombo logo depois e deu prejuízo para quem investiu em 2018.

Agora, em 2019, o bitcoin se recuperou e teve um comportamento bastante interesse: sua rentabilidade foi de 90,29%. Assim, o capital de quem investiu no início de 2019 praticamente dobrou.

Por outro lado, esse movimento não conseguiu recuperar o prejuízo do ano anterior. Veja no gráfico a seguir:

Considerando que os investimentos em bitcoin são isentos de Imposto de Renda para movimentações de até R$ 35 mil por mês, temos:

Aplicação em BTCR$ 1 mil
Rendimento bruto acumulado em 2019R$ 902,92
Imposto de Renda (vendas abaixo de R$ 35 mil)R$ 0
Valor finalR$ 1.902,92

E agora? Onde investir seu dinheiro?

Analisando o comportamento dos principais tipos de investimento em 2019, tem mais informações para decidir em que investir o seu dinheiro.

É claro, você não deve se basear somente na rentabilidade, pois ela não pode ser garantida em nenhum investimento, nem mesmo na renda fixa.

O mais importante é você investir de acordo com seu perfil e sempre respeitar os seus objetivos, independente do que esteja acontecendo no mercado.

E agora que você já sabe qual foi o rendimento da poupança em 2019, que tal descobrir como foi o desempenho das Carteiras Magnetis? Baixe grátis o nosso Relatório Mensal de Resultados e descubra!

Malena Oliveira

Especialista em Finanças Pessoais e membro do Grupo Consultivo de Educação Financeira da Anbima.

leia mais desse autor