Rendimento das Carteiras Magnetis: veja como foi a performance em 2017

por Luciano Tavares

Acabamos de fechar mais um ano de trabalho e é hora de ver como as Carteiras Magnetis se comportaram em 2017.

O ano que passou foi particularmente importante para a Magnetis, pois foi uma oportunidade de colocarmos nossa estratégia de diversificação de investimentos à prova. E sim, ela foi eficaz ao longo de períodos de euforia e de incertezas no mercado financeiro, como veremos a seguir.

Como ficou claro na nossa retrospectiva, 2017 foi bem movimentado - com circuit breaker na bolsa de valores e depois um recorde histórico do Ibovespa. Isso em um intervalo de menos de seis meses!

Além disso, a queda de 6,75 pontos percentuais na Selic, que passou de 13,75% em janeiro para 7% em dezembro, fez todo mundo se questionar se ainda era vantajoso investir em renda fixa.

Mesmo com todas essas emoções, nossa estratégia permitiu amortecer perdas em momentos críticos (como a delação da JBS, em maio) e absorver os ganhos com os recordes de alta do Índice Bovespa, que chegou ao nível dos 76 mil pontos em outubro.

Rentabilidade das Carteiras Magnetis em 2017

As Carteiras Magnetis superaram todos os desafios do ano passado com retornos de até 199% do CDI. Ou seja: o dobro do resultado das aplicações mais conservadoras. Veja os resultados do 4º trimestre e de 2017 na tabela a seguir, também comparando com CDI, Tesouro Selic e Ibovespa:

Ativo

Retorno no
4º tri de 2017

Retorno em 2017

Carteira Magnetis 1

1,89%

10,50%

% CDI

107%

105%

Carteira Magnetis 2

1,80%

11,33%

% CDI

102%

114%

Carteira Magnetis 3

1,97%

14,47%

% CDI

112%

145%

Carteira Magnetis 4

1,88%

17,42%

% CDI

107%

175%

Carteira Magnetis 5

2,00%

19,82%

% CDI

113%

199%

.

.

.

CDI

1,76%

9,95%

Tesouro Selic

1,71%

9,96%

Ibovespa

2,84%

26,86%

É importante destacar que esses retornos já são livres de todos os custos, como corretagem, taxa de administração e taxa de consultoria Magnetis (saiba mais sobre esses custos). Não foi descontado o Imposto de Renda.

Vale lembrar também que os resultados que apresentamos aqui equivalem à mediana dos retornos obtidos por todos os clientes Magnetis. Ou seja: não são resultados teóricos.

Assim, se você é cliente Magnetis, a rentabilidade da sua carteira pode ter sido um pouco diferente dependendo do período em que você começou a investir conosco.

Volatilidade das Carteiras Magnetis

Você deve ter percebido também que os resultados das Carteiras 3, 4 e 5 foram maiores do que os apresentados pelas Carteiras 1 e 2.

Isso aconteceu porque as Carteiras 3, 4 e 5 possuem uma parcela mais significativa de renda variável em sua composição - são ativos de maior risco e volatilidade, e que influenciaram positivamente no resultado dessas carteiras em 2017.

No caso das Carteiras 1 e 2, elas são compostas em sua maior parte por ativos de renda fixa, ou seja, são mais conservadoras e menos voláteis.

É importante dizer que a escolha do perfil de risco para cada cliente é resultado da análise que nossos algoritmos e consultores de investimento fazem de cada pessoa. A expectativa de rentabilidade não deve ser o principal fator de decisão para escolha de um investimento - e sim a adequação ao perfil de cada investidor.

Cada pessoa tem uma tolerância diferente a risco e volatilidade, não só por perfil pessoal, mas também para cada objetivo de investimento.

Volatilidade, aliás, é um indicador que expressa o quanto um ativo oscilou em determinado período de tempo. Uma volatilidade mais alta significa que um ativo teve momentos mais intensos de altas e baixas e, portanto, é mais arriscado para investir.

Para visualizar esses conceitos, observe no gráfico a seguir a evolução das Carteiras Magnetis e o comportamento dos principais índices de referência do mercado brasileiro em 2017:

Rendimento das Carteiras Magnetis: veja como foi a performance em 2017

Há picos e vales no gráfico, que foram mais intensos para o Ibovespa (linha vermelha). Enquanto isso, a oscilação das Carteiras Magnetis foi bem menor.

Por causa da diversificação dos investimentos, mesmo as Carteiras Magnetis mais arrojadas apresentam uma volatilidade bem menor que a do Ibovespa. Em outras palavras, a diversificação dos investimentos em diversos tipos de aplicações faz com que os clientes corram menos riscos em todos os perfis de investimento.

Em resumo, essa foi a volatilidade das Carteiras Magnetis em 2017 em comparação com o Ibovespa:  

Desde 2016: retorno acumulado das Carteiras Magnetis

Isso não é novidade: as aplicações financeiras estão sujeitas às condições da economia (taxa de juros, inflação, eventos políticos). Assim, seu comportamento pode variar muito se olharmos períodos curtos, como um mês, um trimestre ou mesmo um ano.

Manter um investimento por um prazo mais longo amplia as possibilidades de uma rentabilidade melhor. Uma carteira diversificada suaviza a volatilidade de períodos curtos - como já mostramos no exemplo das Carteiras Magnetis em 2017 - mas também ao longo dos anos.

A Magnetis é uma fintech pioneira no mercado de robô advisor no Brasil. Apesar de atuarmos nessa área há relativamente pouco tempo, já apresentamos um retorno histórico consistente em nossas carteiras.

Quem investe conosco desde 2016 já obteve um retorno acumulado de 192% do CDI (Carteira 5) até o fim do ano passado. Veja no gráfico a seguir a rentabilidade das Carteiras Magnetis nos últimos dois anos:  

Ativo

Retorno em 2016

Retorno acumulado
2016- 2017

Carteira Magnetis 1*

14,07%

26,05%

% CDI

101%

103%

Carteira Magnetis 2

15,53%

28,61%

% CDI

111%

113%

Carteira Magnetis 3

19,14%

36,39%

% CDI

137%

144%

Carteira Magnetis 4

21,75%

42,95%

% CDI

155%

169%

Carteira Magnetis 5

24,12%

48,72%

% CDI

172%

192%

Tesouro Selic**

13,47%

24,78%

Ibovespa

38,93%

76,24%

*Retorno de 2016 anualizado, pois a Carteira Magnetis Risco 1 teve início em Junho/2016;
**Considera 0,30% ao ano da taxa de custódia.

Como possuem uma parcela de renda variável, as Carteiras Magnetis 3, 4 e 5 aproveitaram boa parte dos ganhos desse mercado no período. Vale destacar que esse resultado foi obtido com risco menor devido à nossa estratégia de diversificação, que permite balancear aplicações de acordo com o perfil de cada investidor.

É possível até argumentar que quem tivesse investido só em Ibovespa nesse período teria obtido ganhos superiores. Porém, a volatilidade e o risco também seriam maiores, como mostra o gráfico a seguir:

Quem poderia saber com antecedência qual seria a performance de uma aplicação na bolsa nesse período? Assim, com uma carteira diversificada, o investidor fica muito mais confortável com o resultado de suas aplicações.

Logo, diante dos desafios que o ano de 2018 ainda vai trazer para o mercado financeiro - como eleições, uma possível nova queda dos juros ou qualquer imprevisto que aconteça na economia ou na política - , a diversificação continuará sendo a resposta.

A Magnetis automatizou a montagem de carteiras diversificadas de investimento por meio de algoritmos. Eles são programados para buscar as melhores aplicações para cada perfil de investidor, sempre considerando seus objetivos, menor risco e menor custo.

Quer saber mais sobre o seu perfil de investidor? Fica aqui o meu convite para você criar seu plano de investimentos. O teste é aberto para qualquer pessoa. Conte conosco se tiver alguma dúvida e bons investimentos em 2018!

Luciano

Luciano Tavares é fundador e CEO da Magnetis. Administrador de carteiras credenciado pela CVM e planejador financeiro CFP ®, tem mais de 20 anos de experiência no mercado financeiro.

AVISO LEGAL: A rentabilidade passada não representa garantia de resultados futuros. O investidor não deve se basear nesses dados para tomar uma decisão de investimento.

4.3 (85%) 52 votes