Respondemos a Empiricus: a verdade sobre os ‘robôs’ investidores

por Luciano Tavares

Nota do editor: a carta resposta a seguir foi publicada originalmente em agosto de 2016. De lá para cá, o modelo utilizado pela Magnetis, conhecido como robo advisor, só vem ganhando mais destaque na mídia.

Especificamente em relação à Magnetis, temos sido 100% transparentes sobre o desempenho das carteiras de investimentos que nosso "robô" monitora. Acreditamos que isso é fundamental para auxiliar o investidor que vem se perguntando "será que vale o teste?". Além disso, não é nada mal ver que as carteiras Magnetis entregaram até 162% do CDI nos últimos 12 meses.​

Abaixo, o post original:​

Caro José Castro (da Empiricus), 

Li sua carta "Você deixaria um robô cuidar do seu dinheiro?", enviada aos leitores da Empiricus, e me senti na obrigação de comentar alguns pontos importantes. 

Como fundador da Magnetis, a primeira e maior consultoria de investimentos automatizados do Brasil, nós temos centenas de clientes que confiam seu dinheiro aos "robôs" investidores - também chamados de robos advisors

'Robô', entre aspas mesmo

Escrevo a palavra "robô" entre aspas de propósito. 

O "robô" é desenvolvido e monitorado diariamente por uma equipe de humanos com muita experiência no mercado financeiro. Trabalho com investimentos desde 1994. Já fui gestor de fundos e sou planejador financeiro CFP® (saiba mais aqui). Sou apaixonado por essa área e acredito que melhores investimentos são um meio das pessoas realizarem seus planos com segurança.

Sim, eles confiam seu dinheiro ao 'robô'

Estamos em operação desde março de 2015 e, portanto, já temos muitos dados sobre o comportamento dos nossos clientes.

Uma das estatísticas mais interessantes: 60% dos nossos clientes já fizeram pelo menos um novo aporte desde que começaram. Ou seja, gostaram do serviço a ponto de aumentarem o valor do patrimônio sob nossa supervisão.

Esse é o maior sinal de confiança que poderíamos receber dos nossos clientes!


Sua carta aos leitores aborda pontos bem importantes. Gostaria de comentar sobre alguns trechos.

Praticidade ou comodismo?​

"Bem, esse tipo de serviço tem um apelo muito forte para o investidor leigo, pois esse lado prático leva ao comodismo, sem precisar entender o que se está fazendo e por quê."

Praticidade é completamente diferente de comodismo.

O investidor prático pesquisa e escolhe um bom especialista em investimentos para ter ao seu lado.

O prático busca economizar tempo e custos desnecessários.

O acomodado fica na poupança, investe com o gerente do banco sem questionar.

Talvez o assinante da Empiricus não seja acomodado, mas será que tem tempo para executar todas as dezenas de estratégias que vê todos os dias?

Olha o que essa nossa cliente nos falou sobre comodismo:

Sempre pensei: 'algum dia quero investir'. Mas é normal cair no comodismo e não ir atrás. Quando conheci a Magnetis, resolvi aproveitar o embalo. Foi tudo bem mais fácil."

Juliana A. 
Engenheira de TI (São Paulo, SP)

​Carteiras diversificadas

Gostaria de comentar esse outro trecho da carta:

"Esses sistemas geralmente possuem limitações, indicam apenas Tesouro Direto e fundos de ações (ETFs). (...) E os diversos produtos que temos hoje em dia com isenção de IR, como LCI, LCA, debêntures incentivadas e rendimentos dos fundos de investimentos imobiliários, que por causa desse benefício fiscal, tornam-se ainda mais rentáveis? Você vai ficar fora?"

Resposta: claro que não vamos ficar de fora!

Concordamos com você que esses ativos podem ser bastante atraentes.

É por isso que desde nosso lançamento, em 2015, a Magnetis recomenda títulos isentos em todas as carteiras. No nosso caso, optamos por LCI e LCA que, além do benefício fiscal, contam ainda com a proteção do Fundo Garantidor de Créditos (FGC).

Note que nossos algoritmos comparam todos os títulos disponíveis e escolhem os melhores no momento da aplicação. Muitas vezes, um CDB oferece uma taxa líquida melhor que uma LCI, mesmo havendo a incidência de imposto.

O "robô" calcula, ainda, o valor máximo que pode ser aplicado em cada título, de forma que o investidor fique dentro do limite de proteção do FGC. Se o valor da aplicação superar o limite máximo, o "robo advisor" compra títulos de múltiplos bancos emissores para preservar a garantia.

Tudo isso em fração de segundos!

Será que um humano conseguiria fazer isso de forma tão eficiente?


Multimercado - depende da correlação

"Por que não escolher um fundo multimercado já conceituado, pagando 2% ao ano, com um belo histórico de desempenho?"

Nossos "robôs" também recomendam fundos multimercados - se isso for adequado para o perfil de risco do investidor. Sabemos como a diversificação é importante e, para algumas carteiras, os fundos menos correlacionados com a Bolsa podem proporcionar uma boa oportunidade.

Só fica um alerta: um "belo histórico de desempenho” não garante rentabilidade futura. Nosso “robô” faz uma análise bem mais minuciosa, levando em consideração dezenas de fatores para encontrar os fundos mais adequados para cada carteira.


Baixo custo

"Será que, para investir nesses produtos, realmente é preciso pagar uma taxa de administração de quase 1% ao ano para receber indicações de um robô?"

Mais uma vez concordamos com você!

Por isso cobramos uma taxa de consultoria de apenas 0,40% ao ano sobre o valor da carteira.

Para uma carteira de R$ 65 mil, como a da simulação que você citou na carta, a taxa de consultoria Magnetis seria de R$ 260 por ano. Ou R$ 21,67 por mês!

Para comparar, um assinante premium da Empiricus vai gastar pelo menos R$ 3 mil por ano (R$ 250 por mês) para ter acesso ao relatório. Na sua simulação de R$ 65 mil, essa assinatura seria inviável, pois representaria um custo de 4,62% da carteira. E isso só para ter acesso a informações, sem contar os custos dos produtos e tempo gasto para realizar a estratégia.

Falando em custo dos produtos, aí entra novamente a eficiência dos "robôs".

Nossos algoritmos constantemente vasculham mais de 14 mil produtos financeiros em busca daqueles com os menores custos e maior retorno esperado.

Através dessa análise minuciosa conseguimos reduzir drasticamente os custos das carteiras para 0,36% ao ano, em média. Ou seja, o custo total médio das nossas carteiras é de 0,76% ao ano, já incluindo nossa taxa de consultoria.

Será que um consultor tradicional seria capaz de fazer todos esses cálculos manualmente em sua planilha e ainda cobrar essa taxa tão baixa?

Acredito que não.

Aqui o barato sai barato mesmo! Sem complicação.


Eficiência histórica

"É algo muito novo que ainda não temos dados históricos que nos comprovem o desempenho desta ferramenta."

Assim como você, acreditamos que é essencial uma análise de longo prazo para se comprovar o desempenho das carteiras.

Aqui nosso "robô" brilha.

Como adotamos uma estratégia quantitativa e previsível, somos capazes de "voltar no tempo" e simular como nossas carteiras teriam se comportado no passado. (Essa análise é conhecida como backtest.)

Conseguimos realizar esses estudos individualmente para cada cliente. Veja, por exemplo, como a sua carteira na Magnetis teria se comportado ao longo dos 10 últimos anos:

robos-investidores

Carteira conservadora de renda fixa (risco 2)

Veja que essa análise só é possível pois utilizamos modelos matemáticos com regras muito claras.

Será que você consegue dizer com precisão qual teria sido sua recomendação para um cliente no dia 4 de maio de 2009? Nosso "robô" consegue!


Educação financeira para todo mundo

"Continuo defendendo que a busca pelo conhecimento e aprendizado é o melhor caminho para o sucesso na vida financeira."

Já vi que estamos nos entendendo bem! Essa também é nossa bandeira.

Acreditamos tanto em educação financeira que desde 2014 publicamos artigos no nosso blog, ajudando milhares de pessoas a lidar melhor com suas finanças pessoais. Também criamos diversas ferramentas online, como o "Checkup de Investimentos".

E nunca cobramos nada por isso...


José Castro, sempre que surge um modelo inovador como o nosso, é normal que até mesmo investidores experientes como você tenham dúvidas.

Te convido pessoalmente a fazer uma simulação gratuita do "robô" da Magnetis clicando aqui. Verá que já executamos várias das sugestões que você fez na carta aos seus leitores.

Se tiver qualquer dúvida que o "robô" não resolva, eu e nosso time de consultores - humanos - estaremos todo dia à disposição para ajudá-lo.

Um abraço,

Luciano

Luciano

Luciano Tavares é fundador e CEO da Magnetis. Administrador de carteiras credenciado pela CVM e planejador financeiro CFP ®, tem mais de 20 anos de experiência no mercado financeiro.

  • André Bona

    Bela e polida resposta. Diferente do texto original. Um outro ponto não abordado foi quantas pessoas o robo pode ajudar em comparação com o modelo tradicional, por consultor. No entanto, eu acho que a carta da Empiricus foi direcionada a Vérios e não a Magnetis. Abs,

    • Como não tinha nome nenhum, foi direcionada a todos que investem com robôs. 🙂

      A resposta foi muito boa. A empiricus é muito sensacionalista, infelizmente.

      • André Bona

        Sim, claro. Foi geral. Pensei na Vérios, porque aquele teste ali que eles printaram no email é do robô deles. Mas a resposta foi sensacional. Abs,

      • Isso mesmo. Obrigado @PotHix:disqus Abração!

    • Valeu, André! Esse seu comentário é importante: o “robô” democratiza o acesso à consultoria de investimentos de qualidade, pois consegue atender a um número maior de pessoas (e por um custo menor!) justamente por causa da eficiência da automatização traz. Abraço!

      • Juliano Cleriston

        Acho muito válido o uso do “Robô” para auxiliar as pessoas que querem iniciar os investimentos. Entra muito na questão de um vídeo recente do André Bona (um cara que eu sigo todos os seus vídeos com notificações pra ver assim q for publicado e foi através do seu blog e vídeos que tive minha maior curva de conhecimento na área.. minha referência). Neste vídeo, o André fala sobre as pessoas que tentam investir por conta própria e gastam grande parte do tempo estudando o mercado financeiro pra ter um pequeno ganho marginal de rentabilidade e deixam de aproveitar o tempo em dedicar melhor à própria profissão. Crescendo na profissão você é capaz de aumentar a rentabilidade em termos de salário e poupar seu tempo deixando as aplicações nas mãos de quem sabe. Mas isso não significa comodismo ou que você não pode conhecer mais sobre a área. Apenas tira aquela carga bruta de tempo gasto tentando se equipar a quem já tem tempo na área. Invisto na Easynvest mas aguardo a plataforma passar a contemplar o TD. Vejo que nas carteiras abordam CDBs de 1 ano com liquidez. Não sei se foi só minha carteira. Mas preferia a plataforma colocando o TD dentro dos cálculos e tirasse a liquidez de um Tesouro Selic e investissem em CDBs de longo prazo que atualmente dão IPCA+ 8,25 que adquiri nessa semana. Ah.. o UBER quando chegou também incomodou muito os taxistas..

        • André Bona

          Opa! Legal que goste dos vídeos! Mas aqui, estamos no site da Magnetis! Não vou me promover aqui… rs…
          Abs,

        • Oi, Juliano! Obrigado pelo comentário. As fintechs vieram para revolucionar o mercado financeiro. Concordo bastante com a sua visão! Para crescer e evoluir, cada pessoa pode se dedicar àquilo que é especialista – e contar com a ajuda de outros especialistas para os serviços que precisa no dia a dia.

          Sobre a nossa plataforma, estamos sempre trabalhando em atualizações do algoritmo – aguarde novidades! Os fundos DI que usamos hoje são equivalentes ao perfil de ativo do Tesouro Selic. Os CDBs têm um papel semelhante nas carteiras, mas, dependendo do que está sendo ofertado pelo mercado no dia, o algoritmo pode escolher CDBs de prazo maior, sempre buscando maximizar a rentabilidade líquida.

          Abraço!

      • André Bona

        Outro detalhe Luciano, que a Empiricus não disse, é que o consultor à moda antiga faz uma reunião de 1 hora pra conversar e depois de tudo isso faz um suitability e enquadra as respostas da mesma forma que um questionário como o da Magnetis. O método é parecido. Só que a reunião, o contato FAZ PENSAR que a modalidade tradicional seria mais personalizada. Isso é balela. O robô está aí para fazer o trabalho braçal com menor subjetividade e as pessoas da empresa, como vocês, se concentram muito mais na gestão do que no braçal. Abs,

  • Danilo Mat

    gostaria de investir num prazo curto-medio mas sinto falta de rentabilidades reais das carteiras pois meus “benchmarks” sao os fundos os quais tenho investido. Na composicao de RF nao entra TD?

    • Oi, Danilo! Quando você faz uma simulação no site da Magnetis, todos os dados mostrados são líquidos de impostos e taxas (por exemplo, os dados daquele screen shot acima, que compara uma carteira Magnetis com o CDI). Assim, você pode comparar com o retorno dos fundos em que investe atualmente, sem problemas. Sobre o Tesouro Direto, estamos atualizando o algoritmo para incluir o TD nos próximos meses. Hoje a parcela de renda fixa é coberta por títulos privados – LCI, LCA, CDB ou LC (sempre os com a melhor taxa líquida) e fundos de renda fixa (principalmente DI, com taxa de administração mínima). Qualquer dúvida, eu ou o Vinícius (Diretor de Relação com Investidores) podemos te responder pessoalmente no contato@magnetis.com.br ou (11) 4380-8080

  • Igor Marchesini

    Sensacional Luciano, perfeita resposta! Tecnologia veio para ficar, e combinada do jeito certo com uma equipe ponta firme como vcs, é imbatível!

    Aos que tem medo de “robôs”, lembro que quando o carro chegou na Inglaterra, 2 séculos atrás, criaram uma lei onde um humano tinha que andar na frente do carro carregando uma bandeira vermelha… Por anos!

    E aí, prefere carregar a bandeira ou abraçar a nova tecnologia? ?

    • Oi, Igor. Bem interessante! Com certeza preferimos abraçar a nova tecnologia 😉 Obrigado e um abraço.

  • Fantástico! Isso é tecnologia usada da forma certa.

  • Rodolfo Roim

    NAILED IT!

  • edurantunes

    Belas respostas, Luciano! É sempre bom ver os dois lados da moeda.

    • Obrigado @edurantunes:disqus. Quem sai ganhando com esse debate é o investidor!

  • Luiz Nunes

    Raspou, passou, montou e pegou… belissima resposta!

  • Michael

    eu sou assinante da Empiricus e realmente o conteudo deles e bom, mais uma coisa que eu não gosto e o volume absurdo de cursos que eles mandam pelo email praticamente todos os dias eles enviam um curso para gente adquirir e impossivel humanamente falando uma pessoa adquirir tanto volume assim de informações alem do que todo que e demais não faz bem e necessario sempre ter um equilibrio e nesta questão a Empiricus esta falhando na minha opinião

    • Eduardo Castro

      Eu já acho o conteúdo deles horrível e vergonhoso, claramente muito “lero lero” para vender o pacote de assinatura. Espero que para quem pague os textos sejam mais objetivos e bastante ricos, mas o gratuito é tão “picareta” que não tenho coragem de pagar.

    • Andrea Alves

      Sou assinante de todos os relatórios e procuro investidores dispostos para dividir os custos com uma mensalidade de 89,00. andreabrasil111222@gmail.com

    • Aurino Jr

      Tb já fui assinante da Empiricus. Concordo que estão sempre querendo vender o melhor curso do momento que vai nos enriquecer sem muito esforço e também apelam muito para o terrorismo financeiro.

  • Bruno Paschoali

    Olá.

    Eu ainda não tinha lido essa matéria e, agora que li, achei genial. Realmente acho que a Empiricus tem gente inteligente lá dentro, porém o modelo deles é de conteúdo jogado de forma bem genérica. Vou ser sincero, assinei uma das assinaturas deles prometendo 4 grandes ações para serem compradas até fevereiro, indicadas pelo Felipe Miranda (autor de O Fim do Brasil). O problema é que o conteúdo deles costuma ser bem técnico e com muita história. Sinto falta de algo mais objetivo. Eu adoro o mercado financeiro, mas não é minha área de especialização, não tenho tanto conhecimento. Logo, é natural que eu quero confiar em alguém que me explique os motivos de cada investimento, porém que seja objetivo.

    Enfim, tenho estado satisfeito com a Magnetis, espero que o rendimento seja satisfatório.

    Onde vocês ficam? Bora tomar um café qualquer dia. Abraço!

    • Oi, @brunopaschoaliregis:disqus !

      Obrigado pelo seu comentário! Fico feliz com o seu feedback. Estamos aqui em Pinheiros e um café é uma ótima ideia. Podemos combinar falando pelo contato@magnetis.com.br

      Abraço!

  • Julio Vieira

    Luciano, sou assinante Empiricus e montei minha carteira baseado nas recomendações e leituras de conteúdo e estou bastante satisfeito com o retorno. Agora realmente dá um trabalho grande montar, acompanhar e gerenciar a carteira. Por isto achei o modelo da Magnetis válido e tenho indicado para amigos e parentes que tem pouco tempo e pecam pelo “comodismo” de deixar por conta do “gerente amigo do banco”. Muito embora tenho preocupação com a escolha de um Multimercado sem entender detalhes da estratégia e principalmente o histórico do gestor. Outro ponto que me preocupa é a busca dos melhores retornos e melhores taxas. Meu plano de investimentos foi sugerido com produtos de bancos médios (tradicionalmente que tem as melhores taxas) que não tem os melhores ratings. Eu abro mão de uns pouco % por uma instituição de melhor rating (mesmo tendo FGC). Por isto acho importante o acompanhamento humano tanto do Gestor de multimercado quanto dos ratings das instituições. Mas venho simulando plano de investimento aí para testar em algum momento. Abraços e sucesso!

  • Zbigniew K. Brzeziński

    Luciano, gostei muito de ver a sua resposta. Ninguém se engane: os robôs vieram para ficar! Contudo, isso de forma alguma significa que o elemento humano deixe de ser importante ou esteja descartado: eles são uma ferramenta para facilitar e agilizar o nosso trabalho e nos tornar mais produtivos. Gary Kasparov – que sofreu a amargura de ser derrotado no xadrez pelo computador Deep Blue em 1997 quando até então todos consideravam isso impossível – nos ensina que temos de aprender a trabalhar com as máquinas e não “contra elas”. Assim, considero que o uso de ferramentas como os robôs de investimento tem uma importância fundamental e é um caminho sem volta, mas quem as utiliza deve empreender todo o esforço para saber o que elas fazem! Por isso, não descarto a importância do trabalho de gente como o pessoal da Empiricus, apesar de todo o sensacionalismo e outros vícios que podem parecer irritantes. Eu mesmo sou um investidor que aprendeu a dirás penas, depois de sofrer amargas perdas no início. Hoje, dificilmente faço qualquer aplicação para ter menos do que 30% num ano. Foi assim que eu ganhei bastante investindo no Dólar durante o ano retrasado, na Bolsa durante o ano passado e em Bitcoins este ano. Estou cogitando agora investir em Alcobia, mas não escolhi as moedas específicas porque ainda as estou conhecendo.
    O meu principal método de análise é o fundamentalista. Aprendi a avaliar primeiro a economia mundial, depois a Nacional, depois cada setor específico até chegar na empresa ou ativo em que cogitou investir.
    Contudo, uma das minhas frustrações é não saber operar com robôs!
    Assim, eu gostaria de saber se vocês têm algum produto voltado para o mercado de criptomoedas, ou pelo menos um projeto nesse sentido.
    Se você me deixar o seu e-mail, poderei lhe enviar um artigo escrito por mim onde especulo sobre os impactos futuros da tecnologia sobre a economia – se for do seu interesse, óbvio. Muito obrigado!

    • Olá! Obrigado pelo seu comentário. Cada perfil de investidor vai ter uma solução que o atenda no mercado. O perfil de quem usa robôs como a Magnetis é de investidores que não querem ou não tem tempo para ficar monitorando o mercado financeiro em busca de oportunidades. Daí podem delegar essa função à Magnetis e usar seu tempo em outras atividades.
      Hoje não temos nenhum robô que opera criptomoeda para te indicar. Mas como robô trader (que opera somente Bolsa), conhecemos a Smarttbot!
      Um abraço!

  • Paulo Almeida

    Li o texto da Empiricus , e Sua resposta esta perfeita. Parabens !