Vale a pena ter seguro de vida? Descubra neste post!

por Mariana Congo | 08/11/2019

vale a pena ter seguro de vida
curso de investimento

Para garantir o equilíbrio de nossas finanças pessoais, precisamos tomar muitas decisões. Quando o assunto é a nossa saúde, é normal refletir se vale a pena ter seguro de vida.

Se você está com essa dúvida, saiba que ela é bastante comum! Na verdade, esse é um assunto que merece um pouco mais de atenção.

Ninguém gosta de sofrer riscos e enfrentar problemas ao longo da vida, mas nem sempre é possível evitá-los, e até mesmo os mais cuidadosos podem ter que lidar com situações inesperadas.

Diante disso, precisamos analisar: ter um seguro de vida é uma boa opção? Leia o post e descubra!

O que é um seguro de vida?

O seguro de vida é um produto ofertado por seguradoras e instituições financeiras que visa proteger o consumidor contra determinados sinistros no ato da contratação.

Na prática, há o pagamento de uma indenização para minimizar os impactos financeiros causados por uma morte ou doença grave, por exemplo.

Hoje em dia, é possível encontrar modalidades com diversos tipos de coberturas e englobando um ou mais beneficiários. Lembrando que o valor a ser pago mensalmente varia de acordo com essas especificidades.

Portanto, de maneira resumida, podemos dizer que o seguro de vida cobre um risco. Ao contratar um seguro de automóvel, você está protegido em caso de roubo e batidas, não é mesmo? No de vida, a ideia é evitar que sua família fique desamparada caso sua saúde esteja muito comprometida ou venha a falecer.

Como funciona um seguro de vida?

Entender como funciona um seguro de vida é essencial para tomar uma decisão mais segura e vantajosa. Assim, a primeira informação importante é que a contratação desse produto pode ser feita por meio de vários planos e coberturas.

O contratante se responsabiliza pelo pagamento de uma mensalidade, também conhecida como prêmio. Esse valor é proporcional ao grau de risco da cobertura e, claro, à quantidade de sinistros relacionados a ele.

Além disso, ele não pode provocar o risco e deve comunicar à seguradora quando algo acontecer. Dessa forma, caso a situação se encaixe nas cláusulas do contrato, o pagamento da indenização será realizado.

Quais são as situações protegidas pelo seguro de vida?

Ao contrário do que muitos pensam, a cobertura desse tipo de seguro não se restringe ao falecimento. Há casos em que doenças graves e a invalidez permanente também geram direito à indenização — mas essas questões devem estar previstas no contrato.

Como sua função é dar proteção ao segurado e dependentes contra a instabilidade financeira, é possível contratar apólices de acordo com as suas necessidades e condições. Confira alguns exemplos:

  • morte acidental ou natural — não há cobertura em caso de suicídio;
  • assistência funerária — a seguradora cobre as despesas do funeral;
  • invalidez permanente total ou parcial — casos em que a capacidade de trabalhar do segurado é comprometida;
  • doenças graves — a seguradora paga uma indenização para custear tratamento no caso de câncer, por exemplo;
  • incapacidade temporária — autônomos podem receber indenização caso fiquem impossibilitados de exercerem suas funções em razão de acidentes previstos no contrato.

Vale a pena ter seguro de vida?

Depois de todas as informações apresentadas, finalmente chegamos à dúvida central deste post: vale a pena ter seguro de vida?

Se você estava esperando uma resposta pronta e padronizada, infelizmente ela não existe. Isso porque a decisão de contratar esse seguro pode ser vantajosa para algumas pessoas, mas não para outras.

Obviamente, investir nessa proteção traz tranquilidade para lidar com os desafios da vida. Afinal, as finanças da família estarão seguras.

No entanto, ao contrário do que muitos pensam, o seguro de vida só é uma boa alternativa para quem ainda não tem uma reserva financeira. Ou seja, indivíduos que já acumularam um bom patrimônio não são tão favorecidos com essa escolha.

Em outras palavras, as pessoas casadas e com filhos pequenos que não contam com uma situação financeira estável e com uma reserva de emergência podem encontrar no seguro de vida uma proteção importante contra situações inesperadas.

Além deles, precisamos destacar que existem outros grupos de pessoas que não usufruem de grandes vantagens com a contratação de uma apólice, como crianças, adolescentes, jovens dependentes dos pais e idosos sem dependentes.

Nesse caso, a mensalidade paga é apenas um gasto, isto é, um dinheiro que poderia ter um destino melhor.

Contratar um seguro ou investir: qual é a melhor opção?

Com a popularização dos investimentos e a maior educação financeira da população, muitas pessoas têm dúvidas na hora de escolher entre contratar um seguro ou investir.

Em primeiro lugar, conforme dissemos, o seguro de vida não é a melhor opção para todas as situações. É preciso fazer uma análise mais aprofundada sobre suas finanças atuais e, claro, sobre os tipos de risco aos quais você está exposto diariamente.

Apesar de não estarmos imunes a imprevistos, alguns indivíduos vivenciam situações que os colocam em perigo com certa frequência. É o caso de algumas profissões, como policiais, pilotos de avião e motoristas.

Quando não têm um bom patrimônio, essas pessoas precisam se precaver e proporcionar à sua família condições de sobreviver — ou, pelo menos, enfrentar sua ausência sem dívidas e problemas financeiros.

Porém, se você é jovem e ainda não se casou ou teve filhos, contratar um seguro de vida pode não ser a melhor estratégia. Nesse caso, pode ser muito mais interessante e produtivo poupar dinheiro e investi-lo em opções mais rentáveis e vantajosas.

Essa escolha vai ajudar você a acumular capital suficiente para o futuro. Com isso, caso aconteça alguma fatalidade, será possível manter o padrão de vida de seus familiares, que poderão usufruir dos rendimentos ou vender os ativos.

Agora que você finalizou a leitura deste post, entende que algumas pessoas dirão que vale a pena ter seguro de vida. Essa situação varia de acordo com suas condições financeiras atuais e seu estilo de vida.

No entanto, é possível montar uma reserva financeira por meio de bons investimentos, o que é muito mais vantajoso.

Agora que você já sabe se vale a pena ter um seguro de vida, baixe gratuitamente o nosso Guia sobre tipos de investimento e aprenda a escolher a aplicação financeira ideal para você!

Vale a pena ter seguro de vida? Descubra neste post!
5 (100%) 1 vote[s]
curso de investimento