Invista agora
a evolução na edução financeira, conheça a Magnetis.

Você pode investir de um jeito melhor, e nós podemos provar.

Baixe o app!

Simulação de Monte Carlo: o que é e como funciona?

Montar uma carteira de investimentos equilibrada e alinhada com os seus objetivos financeiros é um processo que demanda atenção a diversos fatores. Para facilitar a tarefa, métodos como a simulação de Monte Carlo podem contribuir para uma tomada de decisão eficiente no mercado financeiro.

Isso acontece porque a metodologia prevê a análise de diversos cenários e facilita a projeção de resultados de uma movimentação. Portanto, vale a pena entender as características de funcionamento desse método antes de adotá-lo.

Quer entender o que é a simulação de Monte Carlo? A seguir, você saberá o que essa ferramenta faz e como usá-la no seu planejamento.

Aproveite a leitura!

Contents

O que é simulação de Monte Carlo?

A simulação de Monte Carlo é um modelo estatístico usado para projetar as possibilidades de determinados cenários se concretizarem no futuro. Ela se caracteriza por usar amostragens aleatórias para conduzir os cálculos. Na prática, ele pode detalhar percentualmente as chances de acerto e erro de cada decisão.

A simulação também é conhecida como método de Monte Carlo (MMC). Antes de ser adotada no mercado financeiro para a análise de investimentos, ela era mais usual em experimentos na matemática, física e biologia.

Existem registros da utilização da simulação de Monte Carlo por físicos desde o final do século XIX e início do século XX. Porém, o seu uso ganhou mais popularidade durante a Segunda Guerra Mundial, quando ela passou a ser adotada por cientistas que trabalharam nos projetos envolvendo bombas atômicas.

A simulação ganhou popularidade na ciência por conseguir considerar grandes bases de dados para analisar as probabilidades. Com isso, os cientistas conseguiram ter informações mais precisas acerca de cenários incertos.

Nesse sentido, as características do método permitiram que ele fosse transferido para outras áreas — como a análise de riscos. Logo, investidores podem usá-lo para projetar possíveis resultados a partir de suas movimentações no mercado financeiro.

Como essa simulação funciona durante a seleção de investimentos?

Como você viu, a simulação de Monte Carlo é uma ferramenta de análise de dados usada para projetar possibilidades para cenários incertos. Dessa forma, há a chance de usar a abordagem ao selecionar investimentos para sua carteira.

Para entender melhor, considere o exemplo de um fundo de ações (FIA) de gestão ativa. O gestor desse tipo fundo visa superar o desempenho do benchmark do veículo — como o Ibovespa, principal índice da bolsa de valores brasileira (B3).

No entanto, existem diversas variáveis que podem afetar o desempenho de um investimento. Crises internas na empresa, instabilidades no nicho em que ela atua e mudanças políticas são exemplos de cenários possíveis.

Logo, o gestor do FIA precisa considerar esses e outros fatores para fundamentar suas decisões e montar o portfólio do fundo. Nesse caso, a simulação de Monte Carlo pode servir para projetar a possibilidade de determinado cenário se concretizar.

Para tanto, o gestor pode usar uma planilha ou um software especializado nesses cálculos. Depois, será necessário adicionar as variáveis e as probabilidades de ocorrência delas. Para tanto, são utilizados dados históricos ou análises subjetivas.

Assim, haverá a condução das simulações repetidas vezes, considerando cada cenário aleatoriamente. O objetivo é que, ao final dessa etapa, seja apresentado um percentual confiável sobre as chances de cada situação se concretizar.

Mas além do exemplo de gestores de fundos, a simulação de Monte Carlo serve para investidores montarem seu portfólio individualmente. Afinal, o processo de análise será semelhante para ambos os casos.

Quais os benefícios de usar a simulação de Monte Carlo?

Agora que você descobriu como funciona a simulação de Monte Carlo, vale a pena entender os benefícios de adotar esse modelo estatístico em sua estratégia de investimentos. Inicialmente, ela pode ser positiva para facilitar a sua tomada de decisão.

Como você já sabe, analisar alternativas de investimento é uma tarefa que exige bastante análise para aumentar suas chances de fazer boas escolhas. No entanto, apenas os fundamentos da empresa, por exemplo, podem não ser suficientes para tomar uma decisão eficiente.

Desse modo, a simulação será benéfica por considerar cenários incertos e que podem estar além do seu potencial analítico. Como consequência, você pode ter bases mais sólidas para apoiar suas escolhas.

Outra vantagem é que a adoção da simulação de Monte Carlo contribui para sua experiência no mercado financeiro. Afinal, para conduzi-la de maneira efetiva, você precisa saber quais são os riscos que incidem sobre os investimentos.

Portanto, você pode analisar históricos de resultados e fazer avaliações mais profundas de cenário para entender as situações que têm potencial para impactar cada ativo. Isso pode ajudá-lo a se tornar um investidor mais experiente e com potencial de alcançar resultados melhores.

Como adotar essa metodologia?

Chegando até aqui, você já aprendeu as principais características da simulação de Monte Carlo. Agora, é preciso entender como adotar a metodologia no seu planejamento. Para isso, o primeiro passo é definir a ferramenta que será usada, como uma planilha ou aplicativos específicos.

Depois, selecione os tipos de investimentos sobre os quais você fará as projeções. Em seguida, avance para definir as variáveis que incidirão sobre eles. Também é necessário estabelecer as probabilidades de cada variável de maneira independente.

Como você viu, séries históricas podem ajudar nesse momento. Ademais, há a chance de usar a subjetividade para estabelecer os pesos para cada fator. Por fim, é essencial realizar as simulações diversas vezes.

Quanto mais cenários aleatórios o modelo conseguir calcular, mais precisas tendem a ser as análises e, por consequência, a sua tomada de decisão. Contudo, vale a pena lembrar que existem métodos de gestão digital de portfólio que contribuem para seus resultados sem que você precise executar todos esses passos.

Com a Magnetis, você conta com uma curadoria de investimentos capaz de montar e rebalancear sua carteira por meio de um algoritmo e tecnologia de ponta, além da atuação de profissionais do mercado. Assim, é possível ter mais praticidade para seu planejamento.

Como você acompanhou, a simulação de Monte Carlo é um modelo matemático capaz de facilitar sua análise de cenários no mercado financeiro. Portanto, pondere sobre as características do método para entender se vale a pena usá-lo na sua estratégia.

Quer investir com mais praticidade e incorporar a tecnologia à sua carteira de investimentos? Abra sua conta na Magnetis e veja como podemos ajudar!

Andressa Siqueira, CFP®

Formada em Economia pela PUC-SP, é especialista em investimentos na Magnetis desde 2019. Possui as certificações CEA pela ANBIMA e de planejadora financeira CFP®, trabalha no mercado financeiro há mais de 8 anos.

leia mais desse autor