Invista agora
a evolução na edução financeira, conheça a Magnetis.

Você sabe como funciona o stop móvel? Entenda neste post!

Quem começa a fazer aplicações financeiras na bolsa de valores pode ficar confuso com as diversas expressões que rodeiam a renda variável. Uma delas é a ordem (ou instrução de compra e venda de ações). Existem vários tipos de ordens, mas neste post focaremos um que protege o dono de um papel das altas e baixas nos preços. Trata-se do stop móvel

Conhecer os tipos de ordens é fundamental para preencher uma boleta de compra e venda corretamente. Assim, você garante que as aplicações financeiras estão de acordo com seu planejamento. O stop móvel, por exemplo, é ideal para acompanhar movimentações no mercado financeiro. 

A seguir, conheça mais sobre o stop móvel, sua importância e como configurá-lo!

Afinal, o que é stop móvel? 

Sabemos que o mercado financeiro é feito de aplicações financeiras que têm rendimentos variáveis. Ainda assim, há métodos para controlar ganhos e perdas. 

As ordens com stop (parada) em seu nome servem para que você consiga gerenciar o risco de investir em ações. Por meio delas, você pode especificar condições para que uma operação aconteça ou não, como uma compra ou venda de ação. As ordens de parada mais conhecidas são stop gain, stop loss e stop móvel. 

No stop móvel, também conhecido como trailing stop, os limites de preço para compra ou venda não seguem um valor absoluto, mas sim uma porcentagem. Isso permite que as condições anteriormente especificadas mudem automaticamente, de acordo com os movimentos do mercado. Vamos mostrar um exemplo prático na sequência. 

Como o stop móvel funciona? 

O stop móvel pode ser feito para compra e venda de ações. É preciso definir alguns pontos para uma ordem de stop: a cotação mais confortável para você comprar ou vender uma ação é um exemplo. 

Imagine que você tenha uma ação a R$ 100 e fique confortável em vendê-la quando atingisse um valor de R$ 130. Mas vamos supor que o papel tenha estacionado em R$ 129. Você ainda gostaria de vender a ação a R$ 130 ou agora imagina que ela possa chegar a R$ 150? 

Da mesma forma, imagine uma ação estacionada em R$ 92. Você compraria o papel por esse preço ou esperaria uma queda mais brusca para aumentar sua chance de valorização percentual no futuro? 

O stop móvel existe para quem opta pela segunda alternativa nessas duas questões. Você pode definir uma ordem de venda a partir de uma valorização de 50% sobre a cotação anterior. Também é possível fazer isso para uma ordem de compra a partir de uma queda de 10% sobre a cotação anterior. 

Qual é a diferença entre stop loss e stop móvel? 

As outras ordens de parada, chamadas de stop gain e stop loss, funcionam com valores absolutos. 

O stop gain(parada de ganhos) é uma ordem automática de venda da ação quando ela atinge certo valor máximo — por exemplo, R$ 130. 

Já o stop loss(parada de perdas) é uma ordem automática de venda da ação quando ela atinge certo valor mínimo — por exemplo, R$ 90. 

O stop móvel vai além dessa programação em números absolutos. Por meio das porcentagens, essa ordem automaticamente vai mudando o preço que dispararia a ordem de compra ou venda. 

Tais mudanças relativas permitem acompanhar situações de otimismo (bull market) e de pessimismo (bear market) no mercado financeiro. Esses momentos podem fazer sua ação se valorizar e desvalorizar para além de suas expectativas sobre o papel. 

Por que o stop móvel é importante e quando fazê-lo? 

O grande benefício do stop móvel é poder tanto maximizar lucros quanto minimizar prejuízos dentro da sua tolerância de volatilidade percentual. É uma forma de garantir previsibilidade nas operações, gerando mais segurança ao dono da aplicação financeira. Ainda assim, é preciso estar apto a acompanhar as tendências de valorização e desvalorização no mercado financeiro. 

Outro benefício é a automatização das operações, garantindo conveniência e rapidez. Você pode comprar ou vender uma ação sem que tenha sempre que cadastrar uma nova ordem de parada. Também é possível redefinir novos limites de ganho ou de perda caso a situação do mercado mude. 

Com o stop móvel, você garante que aproveitará momentos de valorização e se resguardará em momentos de desvalorização. Não é preciso definir manualmente novos limites, ficando sujeito à sua disponibilidade de tempo e à demora na atualização das ordens de parada. 

Mas vale lembrar que o stop móvel também pode interromper o potencial de ganho. Assim que a ação atingir certa valorização percentual, ela será automaticamente vendida. Caso o papel continue subindo de preço nos próximos dias, você perderá essa oportunidade de aumentar seus lucros. 

Como configurar uma ordem de stop móvel? 

Uma ordem de stop móvel pode ser configurada pelo home broker, plataforma online de negociação de ações disponibilizada por uma corretora. É preciso definir alguns termos durante a ordem de stop móvel dentro de uma boleta de compra ou venda. 

No campo “início da movimentação”, você deve preencher o preço a partir do qual um papel é acompanhado. O “preço de disparo” indica quando uma ordem será enviada. Já o “preço de limite” define quando essa ordem será, de fato, executada. 

É importante definir esse intervalo em momentos extremamente voláteis na bolsa de valores, quando ações podem cair rapidamente. Por fim, o “ajuste” define em quanto o limite mínimo e máximo de preço será ajustado. 

Imagine uma ação comprada a R$ 110. O início da movimentação do stop móvel fica em R$ 120. O preço máximo de disparo de venda fica em R$ 150. O preço mínimo de disparo de venda em R$ 90, e o ajuste em R$ 5. 

Quando a ação bate os R$ 120, o disparo máximo de venda sobe para R$ 155. O disparo mínimo de venda, por sua vez, vai para R$ 95, por exemplo. 

Entender sobre ordens de compra e venda é fundamental para aqueles que buscam fazer aplicações financeiras na bolsa de valores. Conhecer ordens como o stop móvel é uma garantia de que você está ciente da volatilidade da renda variável. Dessa forma, é possível maximizar lucros e minimizar perdas de acordo com seu perfil de risco. Agora que você está por dentro do assunto, dê mais um passo e conheça nossa consultoria de investimentos. Boas escolhas!

Mariana Congo

Mariana Congo é Gerente de Comunicação da Magnetis e jornalista especializada em finanças pessoais.

leia mais desse autor