Invista agora
a evolução na edução financeira, conheça a Magnetis.

Entenda como funciona a subscrição de ações

Quem está familiarizado com transações da bolsa de valores já deve conhecer as operações de subscrição de ações. Trata-se de um evento comum no mercado financeiro, mas que também pode trazer algumas dúvidas. 

Por ser uma boa oportunidade para os acionistas, é importante conhecer muito bem esse mecanismo. Compreender como ele funciona na prática ajuda a evitar equívocos sobre o processo. 

Neste artigo, você encontra mais detalhes sobre o que é, como funciona e para que serve a subscrição de ações. Veja quais são as suas reais vantagens e como exercer o direito de subscrição. Continue e leitura a seguir! 

O que é a subscrição de ações?

A subscrição de ações é uma operação que permite converter novas ações ordinárias da empresa em algum momento do futuro a um preço fixo, de maneira proporcional. 

O direito de subscrição é uma espécie de privilégio concedido aos acionistas. Ele estabelece a preferência da compra de novas ações que, eventualmente, vão ser emitidas pela empresa. 

Para que serve a subscrição de ações? 

A subscrição de ações serve para impedir que a participação dos acionistas atuais seja diminuída. Caso a companhia resolva aumentar seu capital e colocar mais ações no mercado, essa operação é realizada para evitar que os atuais acionistas saiam perdendo. Assim, eles garantem seus proventos. 

De forma resumida: subscrições são benefícios que as empresas oferecem aos acionistas. É comum também que o preço de venda dessas ações seja menor que a cotação do mercado. Vale ressaltar que as ações de subscrição têm características semelhantes ao chamado bônus de subscrição, incluindo os prazos preestabelecidos. 

Como funciona a subscrição de ações? 

Para entender melhor como funciona a subscrição de ações, pense que você tem ações preferenciais de uma empresa privada, compradas a R$ 15 por papel. Agora imagine que essa empresa decide abrir o capital e emitir novas ações ordinárias a R$ 10. Isso desvaloriza o incentivo para converter sua ação preferencial em ação ordinária. O direito de subscrição pode proteger o acionista contra essa desvalorização. 

Pode acontecer de a empresa emitir ações a um preço menor do que nas rodadas de financiamento anteriores. Nesse caso, os acionistas preferenciais vão receber mais ações ordinárias quando fizerem a conversão. Esse cálculo é proporcional ao número de ações que eles já têm.

Então, o processo garante aos acionistas já existentes a prioridade no recebimento das ofertas dos novos papéis que a empresa vai colocar no mercado. Para efetuar essa operação, é essencial respeitar os prazos previamente estabelecidos. 

Importante: embora a subscrição de ações seja um direito do acionista, não é ele quem estabelece as regras de compra para as novas ações. Os acionistas também podem optar por comprar ou não as ações para manter o mesmo percentual acionário da organização

Como exercer o direito de subscrição?

Caso resolva emitir novas ações, a empresa tem a obrigação de repassar essa informação a todos os seus acionistas. Isso quase sempre é feito por e-mail. A mensagem deve conter todos os detalhes sobre o direito de subscrição aos acionistas, incluindo a data limite para realizar a operação. 

Para exercer o direito de subscrição, é imprescindível que o acionista deixe claro o seu interesse. É preciso entrar em contato com a empresa ou com a corretora responsável por seus fundos de investimento. Além disso, é necessário ter o dinheiro em conta para realizar a compra das ações assim que elas forem colocadas à venda. 

Vale a pena participar de subscrição de ações? 

Para quem ainda não sabe se vale a pena ou não participar de subscrição de ações, elencamos algumas vantagens da operação:

  • evita que o acionista tenha a sua participação diluída na empresa;
  • possibilita a compra de ações com desconto;
  • aumenta o potencial dos juros e, consequentemente, o retorno financeiro;
  • dá direito aos dividendos;
  • aumenta a independência financeira do acionista;
  • oferece a oportunidade de comprar as sobras de subscrição (ações oferecidas em subscrição que não foram adquiridas pelos acionistas). 

Esses são alguns dos principais benefícios de participar da subscrição de ações. Mas é válido ressaltar que, em algumas situações, subscrever ações pode não ser muito interessante. Um bom exemplo é quando a empresa que emite novas ações está endividada ou não tem boas perspectivas de crescimento. 

Como solicitar a subscrição de ações? 

Para fazer a solicitação, os acionistas precisam receber o aviso sobre a subscrição de ações a que têm direito. Em seguida, devem entrar em contato com suas corretoras

Geralmente a solicitação pode ser feita pelos sites e aplicativos das próprias empresas por meio de um passo a passo simples. Basta selecionar o ativo em questão, ver o prospecto e inserir a quantidade desejada. 

Na solicitação, também é importante fornecer algumas informações adicionais. Por exemplo: você tem interesse em participar da distribuição de sobras de ações, caso isso aconteça? Esses detalhes fazem com que a operação seja realizada com sucesso. 

Lembre-se de fazer essa solicitação dentro do prazo determinado pela empresa. Caso contrário, será entendido que não há interesse na negociação. Com o pedido da subscrição de ações realizado, o acionista só precisa aguardar até a data do débito. O valor previamente combinado vai ser depositado na sua conta, e a operação pode ser concluída. 

Se você está pensando em investir nesse tipo de operação, saiba que ela pode ser muito vantajosa. No caso das empresas, o valor obtido com a subscrição pode ser reutilizado tanto para quitação de dívidas quanto para realização de novos investimentos. 

Para os acionistas, é possível adquirir papéis a preço reduzido e ainda participar mais efetivamente no capital da empresa. Mas, assim como em qualquer outro investimento, cabe a quem investe analisar se a oferta vale a pena. Tudo depende dos seus objetivos. 

Entender como funciona a subscrição de ações pode ser de grande auxílio no momento de investir. Agora você já sabe como exercer o direito de subscrição e realizar a solicitação. Então, não se esqueça de baixar gratuitamente o nosso guia sobre Consultoria de Investimentos! Com ele, você vai entender como aplicar seu dinheiro da maneira correta faz toda a diferença.

Malena Oliveira

Especialista em Finanças Pessoais e membro do Grupo Consultivo de Educação Financeira da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima).

leia mais desse autor