Invista agora
a evolução na edução financeira, conheça a Magnetis.

Swing trade: saiba o que é e como funciona essa operação!

Você opera na bolsa de valores? Já ouviu falar em swing trade? Caso esteja por fora do assunto ou tenha dúvidas sobre esse tipo de operação, é hora de conhecê-la um pouco melhor!

Apesar de o termo parecer complicado, vamos provar que essa é uma estratégia simples, que traz bons resultados para muitas pessoas. Para isso, reunimos neste post as informações mais importantes sobre o tema.

Quer aprender e se tornar um trader mais eficiente? Continue a leitura!

O que é swing trade?

Swing trade é uma forma de fazer operações de curto prazo no mercado de capitais. Ela é muito usada por quem deseja investir em tendências e ganhar mais dinheiro com ações, futuros e opções, por exemplo.

A estratégia se baseia no monitoramento de oportunidades por mais de um dia e busca conquistar bons resultados de acordo com a movimentação dos ativos.

Lembrando que o prazo dessa operação costuma variar de três dias a algumas semanas. Portanto, ao investir nesse método, você já sabe que suas aplicações vão se encerrar em pouco tempo.

Swing trade e day trade: entenda as diferenças

Por ser uma operação de curto prazo, é possível que você fique um pouco confuso com sua semelhança com o day trade. Mas não é difícil identificar as diferenças que existem entre eles.

No day trade, a operação começa e termina no mesmo dia. Por esse motivo, é preciso ficar muito atento ao mercado durante todo o pregão, sendo irrelevante o que acontece no dia seguinte.

Os gráficos são atualizados com muito mais frequência — tudo muda em questão de minutos. Por isso, quem investe nessa modalidade precisa ter experiência e conhecimento, já que o risco da operação é grande.

No swing trade, as negociações podem durar alguns dias e levam em consideração algumas tendências de mercado. Isso só é possível graças a análises mais profundas de gráficos, relatórios e histórico de movimentações das ações.

Quem deve operar no swing trade?

Afinal, o swing trade é para qualquer pessoa? Essa é uma dúvida comum de quem está tendo o primeiro contato com a metodologia. Vamos esclarecê-la logo de uma vez?

A primeira informação importante sobre o perfil da pessoa que investe é que ela deve tolerar o risco e ter tempo disponível para realizar as operações. Portanto, se você é mais conservador, talvez essa não seja uma boa escolha.

O swing trader precisa acompanhar o mercado de capitais e entender como ele funciona. Nesse sentido, dominar a análise técnica e fundamentalista ajuda a definir os melhores investimentos.

Um detalhe importante é que operar com essa estratégia não impede que você exerça uma atividade profissional. Muitas pessoas usam o swing trade para complementar a renda obtida em empregos mais flexíveis.

Vale a pena trabalhar com o swing trade?

Achou a ideia interessante, mas ainda tem dúvidas sobre suas vantagens? Para ajudar você a concluir se vale a pena ou não trabalhar com o swing trade, reunimos os seus principais pontos positivos e negativos. Acompanhe!

Vantagens

Uma grande vantagem do swing trade é a redução de custos com corretagem e emolumentos, já que a frequência de transações é menor que no day trade — são operados, em média, 70 trades por ano.

Outro aspecto que merece destaque é a tributação. Nesse modelo, há a incidência de uma alíquota de 15% sobre o lucro alcançado. Porém, no caso de investimentos em ações e ouro, você ficará isento de impostos quando as vendas mensais não superarem R$ 20 mil.

Desvantagens

Em relação aos pontos negativos, precisamos lembrar que ainda existe uma certa burocracia para investir nessa estratégia. Na prática, é seu dever recolher manualmente todos os impostos devidos sobre o lucro do mês.

Além disso, há o fato de que essa é uma operação de risco. Por isso, a pessoa deve estar disposta e preparada para fazer uma análise mais profunda do mercado e do tipo de ativo em que deseja investir.

Como operar no swing trade?

Depois de entender o perfil ideal de quem investe em swing trade e conhecer seus prós e contras, você já é capaz de formar uma opinião e decidir se essa é uma boa opção de investimento.

Caso tenha se interessado, é hora de aprender a fazer bons investimentos. A seguir, confira dicas valiosas para o seu sucesso!

Desenvolva sua habilidade de especular

Decidiu adotar a estratégia de swing trade? Então sua primeira providência será desenvolver uma habilidade imprescindível: especular!

Para isso, comece a acompanhar diariamente os movimentos do mercado. Redobre sua atenção para as notícias e tendências que podem afetar os setores nos quais você investe ou pretende investir.

Com boas informações em mãos, fica muito mais fácil, não é mesmo?

Acompanhe as análises técnicas e fundamentalistas

Para identificar as ações certas, você deve aprender a trabalhar e combinar a análise técnica e a fundamentalista.

A análise técnica é apresentada em forma de gráficos e traz um estudo de mercado preciso, levando em consideração os preços e o volume de negociações das ações. Assim, você consegue identificar tendências.

A análise fundamentalista é uma avaliação de determinada empresa que considera sua situação financeira, mercadológica e política. Ela ajuda a conhecer verdadeiramente o negócio e decidir se vale a pena fazer esse investimento.

Busque a ajuda de profissionais

Mesmo com estudo e persistência, encontrar tendências de mercado não é uma tarefa simples. Nenhum relatório é 100% preciso, e você deve fazer análises para chegar a uma conclusão.

Por isso, contar com a ajuda de profissionais capacitados e experientes faz toda a diferença. Em geral, ao buscar o auxílio de quem entende e já trabalha com o mercado de capitais, você consegue montar uma boa estratégia e ampliar seus lucros.

Como vimos, o swing trade é uma oportunidade para quem deseja investir em operações de curto prazo, e traz grandes vantagens. Mas é sempre bom ressaltar que não existe dinheiro fácil no mundo dos investimentos — e você precisa estar preparado para essa jornada. Sendo assim, o que acha de aprender um pouco mais? Baixe o nosso guia sobre consultoria de investimentos e descubra por que esse serviço cresce tanto no Brasil!

Mariana Congo

Mari Congo tem paixão por explicar coisas difíceis de forma fácil. É jornalista, educadora financeira, especialista em finanças pessoais e investimentos e gerente de comunicação na Magnetis.

leia mais desse autor