Invista agora
a evolução na edução financeira, conheça a Magnetis.

O que é taxa de juros? Entenda como ela funciona nos investimentos

Quando se fala em investimentos ou empréstimos, um dos primeiros conceitos que aparece é taxa de juros. Por isso, é muito importante entender seu significado e suas aplicações práticas.

No dicionário Michaelis, o termo juro é definido como:

  1. Taxa percentual incidente sobre um capital investido em período de tempo determinado; remuneração que uma pessoa recebe pela aplicação de seu capital; interesse, crédito.
  2. Rendimento ou soma cobrada pelo credor sobre dinheiro emprestado.

Assim, o juro também pode ser considerado o preço do dinheiro.

Já a taxa de juros tem relação direta com o tempo: quanto mais ele passa, maior ela é. E isso vale tanto para os investimentos quanto para os empréstimos.

Nos investimentos, os juros são os rendimentos pagos pelo emissor da aplicação ao investidor, que pode ser uma pessoa física ou jurídica. Já para os empréstimos e financiamentos, os juros representam o custo daquele crédito.

Normalmente, as taxas de juros são apresentadas em porcentagem anual, mas também podem ser encontradas com bases semestrais, mensais e até diárias.

Indicadores das taxas de juros

Para a taxa de juros é possível considerar dois indicadores principais: a Selic e o CDI.

A Selic é a taxa básica de juros da economia brasileira. Ela é utilizada pelo governo e pelos bancos em suas operações financeiras do dia a dia.

A partir da Selic, os bancos formam o Certificado de Depósito Interbancário (CDI), que é uma taxa bastante próxima. 

Para  você ter uma ideia, a Selic hoje está em 5,5% ao ano, enquanto o CDI está em 5,4% ao ano. 

Essas duas taxas são conhecidas no jargão do mercado financeiro como livres de risco. Isso quer dizer que elas são o investimento mais básico e mais seguro que o mercado brasileiro oferece.

Como calcular as taxas de juros?

Existem vários tipos de calculadora de taxa de juros disponíveis online. Antes de usar essas ferramentas, porém, é necessário entender alguns conceitos.

Juros simples e juros compostos

No caso dos juros simples, a taxa é aplicada apenas sobre valor inicial periodicamente, sem sobrepor outras taxas antecedentes.

Para os juros compostos, no entanto, o pagamento anterior é adicionado ao valor inicial para que seja calculada uma nova taxa a cada período (ano, semestre, mês ou dia).

Assim, é possível considerar que os compostos se tratam de juros sobre juros e, por essa razão, é considerada a taxa mais rentável para investimentos, pois o retorno calculado é mais vantajoso.

Taxa nominal e taxa real

taxa de juros nominal trata-se apenas do rendimento da aplicação. Já as taxas de juros reais consideram, o peso da inflação. Para encontrar a taxa de juros real basta subtrair a inflação da taxa de juros nominal.

Dependendo do valor da inflação em comparação aos rendimentos, a taxa de retorno real de uma aplicação pode ser perto de zero ou até negativa.

Taxa prefixada, pós-fixada ou híbrida

Uma taxa de juros prefixada é aquela que já revela qual será o rendimento do investimento no momento da contratação. Ela pode ser encontrada em investimentos como o Tesouro ou o CDB Prefixado.

Por outro lado, uma taxa de juros pós-fixada tem um rendimento calculado com base em um indicador do mercado.

No caso dos investimentos de renda fixa, esses indicadores costumam ser a Selic ou o CDI.

É por isso que há CDBs, por exemplo, que expressam seu rendimento como 80% do CDI, 100% do CDI, 120% do CDI, e assim por diante. Na prática, significa:

  • 80% do CDI: o investimento paga menos do que o CDI. Para encontrar o valor, basta multiplicar o CDI atual por 0,8;
  • 100% do CDI: o investimento paga uma taxa igual ao CDI atual;
  • 120% do CDI: o investimento paga o CDI atual e mais 20%. Para encontrar o valor, basta multiplicar o CDI atual por 1,2;

Por fim, a taxa de juros híbrida é aquela que mescla uma taxa prefixada, mais um percentual baseado em um indicador do mercado. É geralmente expressa da seguinte forma:

X% + IPCA (indicador de inflação)

Os investimentos de renda fixa que oferecem esse tipo de taxa são o Tesouro IPCA+, alguns CDBs e as debêntures. Geralmente, são aplicações financeiras com prazo de vencimento maior.

Como a taxa de juros afeta seus investimentos?

Na hora de escolher um investimento, é muito importante ficar atento às taxas de juros. Elas é que vão determinar a rentabilidade final da sua aplicação.

No entanto, comparar as taxas oferecidas nem sempre é fácil. Por isso, vale prestar atenção ao tipo de taxa anunciada e se o rendimento prometido envolve o pagamento de outras tarifas (como taxa de administração, taxa de performance ou taxa de custódia).

Assim, para escolher os melhores investimentos, você deve sempre levar em consideração o que você pretende fazer com o dinheiro, pois os prazos, as taxas e as condições para aplicação e resgate costumam variar bastante dependendo do tipo de investimento.

Agora que você entende melhor o que são taxas de juros e qual é o seu papel no mundo dos investimentos, que tal entender melhor quais são as aplicações que estão à sua disposição no mercado? Baixe grátis o nosso Guia Completo sobre os Tipos de Investimento e tire suas dúvidas!

Malena Oliveira

Especialista em Finanças Pessoais e membro do Grupo Consultivo de Educação Financeira da Anbima.

leia mais desse autor