Magnetis Update 2020
dia 21/10 às 18h online e gratuito
X inscreva-se e garanta a sua vaga
Invista agora
a evolução na edução financeira, conheça a Magnetis.

Quais são as taxas de liquidação aplicadas no mercado de opções?

Saber qual é o valor da taxa de liquidação aplicada no mercado de opções é essencial para fazer um bom planejamento financeiro. Ao entender como as taxas funcionam, você consegue calcular o seu lucro líquido de um jeito bem mais simples, sem grandes preocupações.

O mercado de opções é similar ao mercado de ações, mas funciona a partir de preços e prazos estipulados previamente. Conhecer as particularidades desse mercado e as taxas específicas de cada operação é imprescindível para fazer um bom investimento.

Neste artigo, você vai conferir mais detalhes sobre a taxa de liquidação aplicada no mercado de opções. Em primeiro lugar, vamos esclarecer o que é o mercado de opções e como ele funciona. Em seguida, apresentaremos as taxas de liquidação existentes e por que é importante conhecê-las antes de investir.

Continue a leitura e tire suas dúvidas! 

O que é o mercado de opções?

O mercado de opções é o local onde são negociados contratos de compra e venda de ações, com prazos e preços predeterminados. Ele é bastante usado para proteger papéis contra as oscilações da bolsa de valores e para realizar operações de alavancagem.

O mercado de opções lida com contratos derivativos, cujos preços são fixados previamente. É um ambiente com muitas oportunidades, mas é necessário ter cautela para tomar as melhores decisões. Principalmente porque as operações desse mercado são estabelecidas em torno do direito, e não da obrigação.

Em outras palavras, quem adquire uma opção pode escolher entre exercer seu direito ou abrir mão dele. Dessa maneira, o comprador não precisa tomar nenhuma decisão final, se não tiver vontade. Porém, o mesmo não acontece para quem vende; essa pessoa sempre terá a obrigação de atender a decisão do comprador.

Apesar de parecer um assunto complexo, na prática é mais fácil de entender como ele funciona. 

Como funciona esse mercado?

O mercado de opções negocia derivativos, ou seja, contratos derivados de outros ativos. Como exemplo, considere o mercado de opções de ações da Petrobras.

A cotação das opções acompanha as mudanças nos valores das ações da Petrobras no pregão. Então, se o preço do ativo sobe ou desce, o da opção também. Nesses casos, quem compra uma opção é chamado de titular; quem vende é o lançador.

O titular e o lançador negociam o prêmio, valor que garante o direito sobre a negociação de um ativo-objeto. Em seguida, estipulam datas e valores, para evitar que as variações da bolsa causem impacto no preço. Assim, quem é titular adquire os direitos e o lançador será detentor das obrigações.

Então, se uma pessoa deseja adquirir uma opção da Petrobras, ela será titular e deverá estabelecer os preços e os prazos com o lançador. Como os preços são fixados previamente, o mercado de opções geralmente é usado para proteger ações contra os riscos da bolsa. Esse tipo de operação é chamado de hedge cambial.

Geralmente, contratos de compra são negociados em momentos de valorização de um ativo. Quando a expectativa é de queda no mercado, os contratos de venda são mais usados, ou seja, é o princípio básico de oferta e demanda.

Em resumo, o mercado de opções funciona de modo similar ao seguro de um automóvel. Você paga uma franquia e pode usar o seguro em caso de acidente, mas não tem a obrigação de fazer isso. Já a seguradora — que seria o lançador — terá que vender o seguro pelo preço combinado previamente.

Dessa forma, no mercado de opções, a pessoa paga pelo prêmio, isto é, o preço para ter o direito de concluir a negociação futuramente.

Quais são as taxas de liquidação aplicadas?

Agora que você já sabe como funciona o mercado de opções, é importante entender as taxas de liquidação. Na bolsa de valores, os emolumentos são as taxas cobradas sobre as negociações, cujas porcentagens variam de acordo com o volume total da operação.

No cálculo de emolumentos estão incluídas as taxas de liquidação, cobradas pela Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia (CBLC). Também são aplicadas a taxa de custódia e o Imposto Sobre Serviço (ISS). Então, antes de investir em ações no mercado de opções, é necessário considerar o valor das taxas para obter o melhor aproveitamento do seu dinheiro.

A taxa de liquidação é modificada de acordo com o volume negociado em cada transação. Por exemplo, se você aplicar R$ 4.000 em uma ação, o valor cobrado será diferente de quem investiu R$ 80.000. Logo, não há diferença de cálculo da taxa de liquidação para diferentes operações.

Inclusive, a variação da taxa de liquidação também é calculada de acordo com quem investe, isto é, Pessoa Física ou Jurídica. Além disso, as porcentagens mudam se a operação é normal ou realizada no mesmo dia, pelo day trade.

Veja quais são as taxas de liquidação aplicadas no mercado de opções para Pessoas Físicas:

  • taxa de liquidação na B3: 0,0275%;
  • taxa de liquidação sobre o exercício de opções na Bovespa: 0,006%;
  • taxa de liquidação de opções na BM&F: 0,0017%;
  • taxa de liquidação de opções sobre índices na BM&F: 0,006%.

Por que conhecer a taxa de liquidação antes de investir?

Conhecer a taxa de liquidação antes de aplicar no mercado de opções é fundamental para alinhar sua estratégia de investimento. Como não existem operações sem custos, lembre-se de incluir no seu planejamento as taxas que deverão ser pagas às instituições financeiras.

Sem conhecer o valor da taxa de liquidação, você pode aplicar seu dinheiro esperando determinado resultado e se frustrar com os proventos recebidos. Por isso, é importante buscar ajuda profissional para evitar surpresas e obter uma lucratividade interessante de acordo com os seus objetivos.

Além da taxa de liquidação, é essencial conhecer todos os tipos de custos envolvidos em operações do mercado financeiro. Pesquisar e se aprofundar sobre o tema nunca será uma má escolha, afinal, cada centavo vale muito no mercado de opções.

A taxa de liquidação no mercado de opções varia de acordo com o volume da operação e de acordo com quem investe. Negociar nesse mercado pode ser vantajoso para quem deseja lucrar com derivativos, fazer alavancagem e outros tipos de operações financeiras. Se você tem interesse nesse tipo de aplicação, leia nosso conteúdo sobre emolumentos e fique por dentro do assunto!

análise de investimentos
Mariana Congo

Mari Congo tem paixão por explicar coisas difíceis de forma fácil. É jornalista, educadora financeira, especialista em finanças pessoais e investimentos e gerente de comunicação na Magnetis.

leia mais desse autor