Tesouro Selic ou IPCA: em qual eu devo investir?

por Malena Oliveira | 29/10/2019

tesouro selic ou ipca
curso de investimento

Diferente do que se pode pensar, o Tesouro Direto não é um investimento, e sim uma plataforma para comercialização de títulos públicos a Pessoas Físicas. Atualmente são vendidos pela plataforma oito títulos. Como os rendimentos e prazos variam, é comum a dúvida entre escolher o Tesouro Selic ou IPCA.

Os títulos da dívida pública vendidos pelo programa vêm sendo um dos tipos de investimento mais procurados atualmente. Em junho, segundo dado divulgado pelo Tesouro Nacional, o número de pessoas investindo chegou a 1 milhão, um aumento de 73,2% nos últimos doze meses.

A aplicação atrai por ser segura, simples e mais rentável que a poupança. Mas o que deve guiar a escolha dos títulos? Afinal, é melhor investir em Tesouro Selic ou IPCA? Aprenda neste post.

O que é o investimento em Tesouro Selic ou IPCA?

Quem aplica em títulos públicos empresta dinheiro ao governo e, no vencimento da aplicação, recebe uma taxa de juros como remuneração.

A aplicação é considerada a mais segura do mercado. Isso porque a economia precisaria “quebrar” antes de ser possível dar um calote em quem investe.

Além disso, o governo federal tem ainda possibilidade de, em último caso, imprimir dinheiro para pagar a própria dívida.

Assim como a poupança, os títulos públicos são considerados aplicações de renda fixa. Mas com uma diferença importante: sua rentabilidade pode igualar e até ultrapassar a taxa básica de juros, hoje em 5,5% ao ano. A caderneta paga apenas 70% da Selic quando a taxa de juros fica abaixo de 8,5%.

Os preços dos títulos variam conforme a demanda. Mas quem não vende o título antes do vencimento não deve se preocupar: terá exatamente a rentabilidade prometida no momento da compra.

É possível comprar títulos e também frações de títulos, que custam a partir de R$ 30.

Como funciona investir no Tesouro Direto?

A aplicação em títulos públicos é simples: o processo é todo online. E o melhor: sem taxas extras.

Hoje, a maioria das corretoras não cobra corretagem em investimentos via Tesouro Direto. Para começar a aplicar, basta abrir conta em uma corretora e escolher o título e o vencimento desejado.

Para fazer a melhor escolha, veja abaixo os tipos de rendimentos e títulos oferecidos pela plataforma de investimentos:

Quais são os tipos de rendimentos nessa modalidade?

Existem três tipos de rendimentos oferecidos pelos títulos do Tesouro Nacional: prefixados, pós-fixados e híbridos. Conheça abaixo mais sobre cada um deles:

Prefixados

O rendimento é estabelecido no momento da aquisição do título. Ou seja: quem aplica nesse tipo de título sabe exatamente quanto receberá de juros no vencimento.

Em caso de aumento dos juros e da inflação, os títulos prefixados podem registrar perda de rentabilidade real.

Pós-fixados

A rentabilidade é associada a algum indicador de referência, como a taxa Selic e o IPCA.

Híbridos

Combinam estratégias de ambos os tipos: prefixado e pós-fixado.

Quais são os tipos de títulos?

Agora que você sabe quais são os rendimentos disponíveis na plataforma de negociação do governo, entenda quais são os tipos de títulos vendidos.

Neste post, vamos nos concentrar nos pós-fixados: os títulos de Tesouro Selic e IPCA.

Tesouro Selic

Tem liquidez diária e segue o CDI, referência para investimentos de renda fixa que acompanha a taxa Selic e tem baixa volatilidade.

Ou seja, podemos compará-lo a investimentos que pagam 100% do CDI, mas com a ressalva de que, diferentemente de algumas aplicações, é necessário pagar Imposto de Renda sobre a aplicação.

A liquidez diária permite a quem aplica resgatar o título quando quiser sem desvalorização da cotação: apenas uma perda de rentabilidade por conta do spread do título, de 0,01%. A partir do pedido de resgate, em apenas um dia útil o dinheiro cai na conta da corretora.

Portanto, o título é indicado para quem deseja fazer uma reserva de emergência para perda do emprego ou gastos imprevistos com saúde, por exemplo, ou não sabe ao certo quando vai precisar do dinheiro.

Hoje, o Tesouro Selic 2025 é o único título do tipo disponível para compra na plataforma do Tesouro Direto e sua rentabilidade bruta atual, sem o desconto de taxa de custódia e IR, é a taxa Selic mais 0,02% ao ano.

Tesouro IPCA+

O título, indexado ao índice da inflação oficial, oferece proteção contra variações de preços de bens e serviços e mantém o poder de compra de quem investe ao longo do tempo.

Portanto, é indicado para objetivos específicos de longo prazo e serve inclusive como reserva para a aposentadoria.

Hoje os títulos disponíveis para compra são: Tesouro IPCA+ 2024, Tesouro IPCA+ 2035 e Tesouro IPCA+ 2045. A e rentabilidade bruta paga atualmente pelos títulos, sem o desconto de taxa de custódia e IR, é de 2,77% a 3,53% ao ano, mais o IPCA do período.

Tesouro IPCA+ com juros semestrais

Funciona como o Tesouro IPCA+, com a diferença de pagar cupons com base na rentabilidade do título a cada semestre.

É importante esclarecer que os cupons não representam uma rentabilidade adicional, mas apenas uma antecipação de um pagamento que seria feito apenas no vencimento do título.

Esse título é indicado para quem deseja reaplicar os rendimentos ao longo do tempo, como forma de diversificar aplicações, ou precisa de renda.

Os cupons têm impacto sobre a rentabilidade do título porque sobre cada um deles é necessário pagar Imposto de Renda.

Hoje, o único título do tipo disponível no Tesouro Direto é o Tesouro IPCA+ com juros semestrais 2035. A rentabilidade bruta paga atualmente pelo título, sem o desconto de taxa de custódia e IR, é de 3,40% ao ano, mais o IPCA.

Qual é melhor: Tesouro Selic ou IPCA?

Para escolher o título ideal para o seu perfil, é necessário fazer uma análise do seu planejamento financeiro e da sua estratégia de investimentos.

A escolha entre Tesouro Selic ou IPCA vai depender basicamente do que pretende fazer com o dinheiro e se vai usá-lo no curto ou no longo prazo.

Quer aplicar para fazer um MBA no exterior em até três anos? Então, sua preferência deve ser pelo Tesouro Selic.

Quer poupar para a aposentadoria ou para a faculdade do filho pequeno? Então, a melhor opção é o Tesouro IPCA. É a meta financeira que também definirá o prazo de vencimento do título.

É importante que quem aplica dinheiro no título indexado à inflação tenha sempre em mente que deve carregar o investimento até o vencimento como forma de ter a rentabilidade fixada na compra. Caso contrário, estará sujeito a oscilações conforme a variação dos juros e a demanda.

Uma vantagem do Tesouro IPCA em relação ao Tesouro Selic é que, como é indicado para objetivos de longo prazo, o detentor do título tende a pagar menos Imposto de Renda na aplicação.

Isso porque os títulos públicos são tributados pela tabela regressiva do Imposto de Renda, que começa em 22,5% e chega a 15% em aplicações com mais de 720 dias.

Como combiná-los em uma carteira de investimentos?

O Tesouro Selic e o Tesouro IPCA podem fazer parte de uma mesma carteira de investimentos, mas usados para objetivos diferentes.

É aconselhável que a aplicação no Tesouro Direto seja feita em conjunto com outras opções que ofereçam mais risco em um cenário de juros baixos, de acordo com o perfil e o prazo de investimento de quem aplica.

Agora que você já sabe as diferenças entre Tesouro Selic e IPCA, veja nosso Guia sobre como aplicar em títulos públicos de forma a atender o seu objetivo financeiro!

Avaliar o post
curso de investimento