Turnover: como reduzir na empresa? Confira nossas estratégias

por marlon carvalho | 18/01/2019

turnover como reduzir na empresa

Saber como reduzir turnover na empresa, assim como pôr em prática tal conhecimento, eleva o nível da gestão de pessoas e traz bons resultados para o negócio, como economia financeira e aumento da produtividade geral.

O ideal é que a rotatividade de pessoas não ocorra com frequência, afinal, ela costuma ser burocrática e onerosa, além de exigir a mobilização de outros colaboradores para treinar os novos na função.

Por isso, neste post, você vai revisar seus conhecimentos sobre o tema e obter ideias para a redução de turnover que poderão ser aplicadas à sua realidade de gestão. Então continue a leitura!

O que é turnover?

O termo inglês turnover pode ser usado em diversos contextos na língua portuguesa, mas, quando ele empresta seu significado para a área de recursos humanos (RH), passa a ter significado específico de rotatividade — entrada e saída — de colaboradores dentro de uma organização.

Nesse sentido, o cálculo do turnover revela a capacidade de um empreendimento de reter talentos por certo período. O resultado vem em forma percentual, e leva em contra o número de demissões, admissões e trabalhadores efetivos.

A fórmula clássica para esse cálculo é assim:

[(demissões + admissões) / 2] / quantidade de colaboradores.

Em seguida, para obter a percentagem, é só multiplicar o resultado por 100.

Quais as principais causas do turnover?

Visto que a rotatividade pode ocorrer por iniciativa individual ou da empresa, suas causas são diversas. A seguir destacamos algumas que são recorrentes.

Remuneração

A remuneração e os benefícios trabalhistas representam uma causa importante de turnover, visto que é comum se deparar com pessoas com algum tipo de insatisfação nesse aspecto.

O piso salarial de cada função precisa ser seguido à risca pelas corporações, pois ele nivela a remuneração de mercado, beneficia o colaborador e protege a empresa.

Condições de trabalho

Tanto as condições físicas quanto as emocionais do ambiente de trabalho interferem no número de turnover e aumentam os riscos de acidentes e doenças ocupacionais.

Atender às normas regulamentadoras de segurança, por exemplo, é essencial, pois em ambientes onde os trabalhadores se sentem seguros, até o emocional deles é influenciado positivamente.

Treinamento desqualificado

Colaboradores treinados cometem menos erros, e, como sabemos, errar durante o trabalho traz toda sorte de complicações ao andamento de projetos e favorece a rotatividade de pessoas.

Na prática, nem sempre é possível treinar muito bem os colaboradores antes de assumirem a função, de fato. O problema é que pessoas que se sentem pouco amparadas para o exercício da profissão tendem a procurar outro local de trabalho, seja para preservar a própria segurança, seja para manter a reputação no mercado.

Problemas de relacionamento interno

Cultivar o bom relacionamento entre os pares no trabalho é determinante para companhias que desejam prosperar em qualquer mercado, uma vez que é mais difícil ter produtividade em locais cuja atmosfera emocional é pesada.

Em situações como essas, a rotatividade de pessoas cresce à medida que colaboradores se sentem intimidados, têm sua criatividade bloqueada e acabam perdendo o interesse verdadeiro de contribuir para os projetos em que participam.

Por isso, em algumas situações, a própria companhia enxerga a necessidade de renovar os ares em determinados setores internos e decide realizar substituições, de certa forma, estratégicas.

Quais são os custos do turnover para a organização?

A liderança da maioria das corporações não tem noção dos custos reais do turnover, justamente porque eles não são calculados periodicamente.

Não se trata de um cálculo simples de se fazer, mas uma boa forma de começar a acompanhar esses custos é classificando-os conforme a origem de cada um:

  • primários: custos relacionados ao desligamento e à substituição de trabalhadores, o que inclui exame demissional, multa trabalhista em caso de demissão sem justa causa, além de custos do processo de recrutamento e seleção, de exames admissionais, de treinamento etc;
  • secundários: têm a ver com as consequências do turnover, como a queda na produtividade, o aumento de horas extras, a perda de um talento intelectual de destaque, a redução no volume de compras de uma carteira de clientes, entre outras;
  • terciários: mais difícil de ser calculado, mas não menos importante, dizem respeito a custos de longo prazo relacionados à imagem da empresa no mercado, por exemplo.

De maneira geral, estima-se que os custos de um colaborador que está saindo da empresa sejam de até três vezes o salário mensal da pessoa, sem incluir aqui os custos indiretos, apontados acima como secundários e terciários.

Como reduzir turnover na empresa?

Fácil não é, obviamente, mas, à medida que uma organização obtém resultados positivos na redução de turnover, ela se torna mais competitiva diante da concorrência e mais desejada perante os bons profissionais da região.

Reflita sobre as dicas seguintes e perceba o que pode ser ainda melhor na empresa em que você trabalha.

Invista na contratação da pessoa certa

Ninguém tem bola de cristal, mas um processo de recrutamento e seleção rigoroso ajuda a afastar surpresas indesejadas. A redução dos custos com demissão começa com investimentos corretos na contratação.

Nesse sentido, durante o processo de seleção, é interessante a empresa se certificar de que, além de ter as características técnicas desejadas, os candidatos sejam aderentes aos traços da cultura da companhia.

Ofereça boa remuneração e benefícios atrativos

Todo mundo quer ter dinheiro não apenas para as despesas básicas, mas também para as acessórias. Por isso, as pessoas trabalham melhor quando têm remunerações condizentes com as realizações da função que exercem.

O piso salarial, como dissemos antes, é um bom parâmetro. Além disso, as bonificações extras por mérito individual ou coletivo também contribuem para aumentar o interesse dos trabalhadores em alcançar um melhor desempenho e, principalmente, permanecer na empresa.

Crie condições para desenvolvimento na carreira

A motivação no trabalho tem a ver com vários fatores, dentre eles, as boas expectativas quanto ao próprio futuro profissional. Por isso, o turnover tende a ser maior em determinadas funções em que não existem condições claras de progresso do colaborador dentro da empresa.

Então, vale a pena buscar talentos internamente, antes de procurá-los no mercado de trabalho, ou mesmo oferecer incentivos estudantis para que alguns profissionais se qualifiquem para assumir novas posições com o tempo.

Dê reconhecimento em público por posturas excepcionais

Pessoas são positivamente impactadas quando recebem reconhecimento sincero em público, e o desejo delas por melhorar o desempenho fica ainda maior.

O oferecimento de prêmios e bonificações têm sim grande valor na redução do turnover nas empresas, mas o encorajamento individual dos colaboradores os enche de ânimo e os estimula a performar ainda melhor na companhia, servindo de modelo comportamental para os demais.

Sendo assim, como foi possível perceber, são muitas as razões para gestores aprenderem como reduzir turnover na empresa. Por isso mesmo, convidamos você agora a ir mais longe nesse tema e entender como a falta de cuidado com as finanças pessoais dos colaboradores impacta o turnover. Vamos lá!

Avaliar o post