Uber ou carro: o que vale mais a pena?

por Malena Oliveira | 17/05/2019

Uber ou carro: o que vale mais a pena?

Nos últimos anos, os aplicativos de transporte têm revolucionado a forma como as pessoas lidam com os deslocamentos do dia a dia. Muitas pessoas até já desistiram de manter um veículo próprio por causa do impacto no orçamento e da facilidade que os apps de carona oferecem. Mas o que vale mais a pena? Uber ou carro?

Dependendo das necessidades de cada pessoa, é preciso avaliar os dois cenários com cuidado. Fazendo uma escolha consciente, você consegue ter suas necessidades atendidas e ainda economizar dinheiro para o futuro.

Continue conosco e descubra a alternativa ideal para você!

Quais as vantagens e desvantagens dos apps de transporte?

Ao falar em aplicativos de mobilidade urbana, o Uber é o principal expoente dessa modalidade. Por si só, essa já é uma vantagem. Por se tratar de um serviço tão popular, as grandes cidades contam com uma frota reforçada e sempre há um motorista disponível.

Outro ponto positivo é que a comodidade é completa. Você vai encarar o mesmo trânsito, mas não terá que dirigir e ainda aproveitará o ar-condicionado, a música que quiser e até água gratuita. Para quem segue para o trabalho, é um jeito de se preparar para uma apresentação com tranquilidade.

Também há benefícios relativos à comodidade. Não é preciso se preocupar com documentação, seguro ou mesmo em achar uma vaga de estacionamento. Basta adicionar seu destino e esperar chegar até o local de interesse. Para quem busca conveniência, no geral, usar o app talvez seja a melhor alternativa.

Por outro lado, uma desvantagem é que pode ser necessário pagar mais do que o planejado, por causa da tarifa dinâmica. Se a oferta for baixa na região, talvez você se surpreenda com o valor ao final. Além disso, cidades menores não contam com uma frota tão grande, o que leva a uma espera maior até que um carro esteja disponível.

E quanto a ter um carro?

No embate entre Uber ou carro, ter o próprio veículo também tem aspectos muito positivos. O primeiro tem a ver com a liberdade e a autonomia.

Com um automóvel, você pode se movimentar quando quiser, do jeito que decidir. Não é preciso esperar a disponibilidade ou a chegada de um motorista.

É possível fazer o transporte como preferir, desde que as regras de trânsito sejam respeitadas. Quer levar um pet? Você pode. Quer viajar de férias com os amigos? Também pode. Deseja ir a um local onde o Uber, normalmente, não vai? Não há restrições.

As desvantagens, por outro lado, não podem ser esquecidas. Mais do que o custo com combustível, há valores com a manutenção, reparos, seguro e documentação. Conforme o tempo passa, o veículo também encara uma depreciação — que é a diminuição do montante em uma venda.

Uber ou carro: qual alternativa é mais barata?

Além de entender os pontos positivos e negativos, é preciso comparar os gastos entre Uber ou carro. Assim, dá para compreender de quanto é a possível economia, por mês.

Imagine a cidade de São Paulo, a maior do Brasil. Com congestionamentos quilométricos em muitos dias da semana, o transporte para o trabalho demora cerca de 2 horas e 43 minutos, entre ida e volta. Para a comparação, vamos contar apenas 2 horas diárias.

Em momentos de pico tradicionais, o trajeto da Zona Sul à Zona Leste leva, em média, esse tempo. Nesse caso, o preço médio de uma viagem de Uber é de R$70,00. Considerando alguém que trabalha de segunda a sexta-feira, são 20 dias úteis. No total, o custo é de R$1.400,00.

Agora, é o momento de calcular o valor de um carro por mês. Imagine as seguintes condições:

  • o veículo foi adquirido em 2017;
  • foi comprado por R$37.000,00;
  • seu valor atual de mercado é de R$35.000,00;
  • o seguro anual é de R$2.000,00;
  • já foi levado 3 vezes à vistoria, por R$150,00 cada;
  • o IPVA é de R$1.400,00;
  • diariamente, são percorridos 30 quilômetros — inclusive, aos finais de semana;
  • o consumo é de 9 km por litro de combustível;
  • o preço médio da gasolina é de R$4,50;
  • a manutenção preventiva anual sai por R$300,00;
  • possíveis consertos anuais custam R$1000,00;
  • o gasto mensal com estacionamento é de R$250,00;
  • as limpezas custam R$100 por mês.

Ao considerar todos os números, entre os gastos fixos e os variáveis, dá para verificar que o carro custa R$1535,00 por mês. O gasto, entretanto, pode variar. A ocorrência de multas ou de consertos imprevistos aumenta o montante. Já o uso de combustíveis mais baratos ajuda a reduzir a principal despesa.

Esses valores, porém, não consideram um possível financiamento. Quem compra parcelado e tem que pagar R$600,00 todo mês, por exemplo, tem um custo total de R$2135,00.

Onde o transporte público entra na decisão?

Em princípio, entre Uber ou carro, o app de transporte pode valer mais a pena. No entanto, tarifas diferentes elevam os custos de maneira pouco planejada. Do mesmo modo, o carro também pode apresentar gastos que fogem do previsto.

A terceira via surge na forma do transporte público. Utilizar ônibus, metrô ou a integração é uma possibilidade para quem trabalha ou mora perto de pontos estratégicos de embarque.

Quem percorre os mesmos 30 quilômetros de ida e volta gasta, em média, R$168,00 mensais. É uma alternativa bem mais em conta e que ainda é sustentável, por diminuir a poluição.

Ainda assim, é a opção que traz menos conforto e comodidade. Podem ocorrer atrasos, aumentos nas tarifas e superlotação. Por outro lado, grandes cidades, como São Paulo, oferecem uma malha reforçada e soluções específicas, como corredores exclusivos.

Qual é a importância do planejamento financeiro?

Independentemente da escolha, é preciso pensar no planejamento financeiro em todos os momentos. É essencial conhecer seu orçamento, com ganhos e gastos. Assim, dá para entender qual é a despesa que, de fato, cabe no seu bolso.

Para conseguir trocar de carro, por exemplo, vale a pena economizar por um tempo e até investir seu dinheiro. Ao dar ele como entrada e completar o valor, você se livra do financiamento e tem condições melhores. Se for usar o Uber, é preciso ter a certeza de que se encaixa na sua rotina.

Entre Uber ou carro, as alternativas são relativamente semelhantes nos preços e na possibilidade de ocorrerem gastos imprevistos. Além de considerar o transporte público, pense no planejamento financeiro como uma ferramenta extra para conseguir melhor segurança no cotidiano.

Se não quiser perder a visibilidade sobre o seu orçamento, saiba por que e como fazer o controle de gastos!

Luciano

Malena Oliveira é jornalista especializada em Finanças Pessoais e redatora na Magnetis.

curso de investimento
Avaliar o post
curso de investimento