Viver de investimentos: 6 dicas para ter sustento com renda

por Mariana Congo | 06/04/2017

Viver de investimentos? Veja qual é o caminho para fazer seu dinheiro render

Quem não gostaria de viver de investimentos? Ganhar na loteria e ter a possibilidade de fazer o dinheiro trabalhar para você é um desejo de muitas pessoas. Mas sabia que não é preciso ter tanta sorte para alcançar esse objetivo?

Você não precisa ser um milionário para investir bem o seu dinheiro e passar a viver dos rendimentos. Com um pouco de disciplina e planejamento financeiro, essa meta está ao alcance de todos nós. Neste post, vamos apresentar seis dicas que vão ajudar você a abrir o caminho para viver de rendimentos. Acompanhe!

1. Crie objetivos financeiros

Muitas pessoas acreditam que para viver de rendimentos é necessário investir muito dinheiro. O que elas ainda não entenderam é que, na verdade, o mais importante é estabelecer objetivos financeiros e trabalhar para chegar até eles.

Obviamente, o montante investido importa, mas qualquer valor pode se transformar em uma fortuna se for bem investido. Não subestime o poder do tempo e dos juros compostos!

Comece estabelecendo a quantia mensal que você deseja ganhar no futuro. É claro que existem fatores que vão complicar essa projeção (por exemplo a inflação ou o Imposto de Renda, como falaremos em breve), mas tente estabelecer uma meta numérica.

Depois disso, defina o prazo para começar a viver de rendimentos: você quer parar de trabalhar daqui a 10 anos e passar a viver só de renda? Ou ainda vai esperar mais 20 anos para isso? Sabendo sua meta financeira e seu prazo, o planejamento pode ser iniciado.

2. Começar a poupar agora para poder viver de investimentos

Para começar a investir, você vai precisar de dinheiro na conta. "Mas quanto devo economizar por mês?" A quantidade de dinheiro vai depender de quanto você quer receber no futuro e qual a rentabilidade real dos seus investimentos.

Vamos supor que você deseja receber mensalmente R$ 5 mil e resolveu alocar todo o seu dinheiro em apenas um investimento (falaremos mais sobre diversificação no próximo tópico); por segurança, escolheu o Tesouro Direto atrelado ao IPCA (que protege seu investimento da inflação).

Imagine que a opção mais rentável do Tesouro Direto IPCA rende 5,23%. Para calcular a rentabilidade mensal desse título, precisamos utilizar a seguinte fórmula:

((1+X)^(1/12)-1) * 100

X é o rendimento anual do seu investimento. Inclusive, você pode colocar essa fórmula no Excel substituindo o X pela porcentagem de rendimento anual de qualquer investimento para saber quanto ganhará por mês.

No caso do título de 5,23%, o rendimento mensal é de 0,42%, com Imposto de Renda incluso. Para saber quanto vai precisar investir nesse título para ganhar R$ 5 mil mensais, basta dividir esse valor pela taxa de rendimento mensal (esse cálculo é chamado de perpetuidade). Assim:

R$ 5 mil / 0,42%

O resultado é aproximadamente R$ 1,190 milhão. Dividido por 30 anos, você precisaria poupar algo como R$ 3.305 por mês. Mas parece muito, não é? Por sorte, existe uma maneira de contornar isso.

3. Diversificar os seus investimentos e gerenciar os prazos

Existe um ditado em inglês que diz “Never put all your eggs in one basket”. Em português, a tradução seria algo como “Não coloque todos os seus ovos em uma única cesta”. Esse ditado, que é muito utilizado no mercado financeiro, fala sobre a necessidade de não confiar todo o seu dinheiro em uma única alternativa.

Isso significa não investir tudo em uma opção só. Afinal, manter uma carteira de investimentos diversificada e ampla é a melhor maneira de aliar o máximo de rentabilidade com o máximo de segurança possível.

Tome como exemplo o rendimento do título do Tesouro Direto já mencionado: 5,23% ao ano somado com a inflação não é um rendimento ruim, mas é baixo se comparado a outras opções possivelmente mais rentáveis — como a Bolsa de Valores. Investimentos mais ousados podem trazer recompensas mais tentadoras.

Contudo, também não se pode abrir mão de segurança. Quem quer viver de investimentos precisa diversificar: uma parte do dinheiro deve ser direcionada para investimentos seguros, com rentabilidades medianas, enquanto uma outra parte deve ser alocada em investimentos mais audaciosos, que trarão a possibilidade de maior retorno a longo prazo.

Dessa forma, você se mantém seguro e ainda lucra bastante, de maneira adequada ao seu perfil de risco.

Veja mais: Sabia que dá para começar a investir com a Magnetis a partir de R$ 1 mil? Faça grátis o seu plano de investimentos!

4. Perder o medo de investir em ações na Bolsa de Valores

É absolutamente normal ter medo de investir em ações na Bolsa de Valores. Mesmo quem já fez cursos sobre isso e se especializou em investimentos tem certo receio de colocar seu dinheiro na bolsa.

Afinal, quantos filmes você já viu em que o protagonista coloca seu dinheiro em ações e, de repente, perde tudo de maneira quase aleatória? Ou pior: quantas vezes você viu o vilão investindo em ações? E ninguém quer ser o vilão, certo?

A verdade é que de vilã, a Bolsa de Valores não tem nada: com um pouco de conhecimento sobre ações e a consultoria de gente confiável ao seu lado, você pode entender como ter uma renda a mais apenas com investimentos na bolsa, aproveitando o alto rendimento das ações.

5. Começar a investir desde já para não perder tempo

Já ouviu falar em juros compostos? Basicamente, juros compostos são juros que incidem sobre o rendimento de outros juros. Ou seja: você investe R$ 15 mil hoje e, em um ano, os juros renderam R$ 1.050, deixando seu total em R$ 16.050. No ano seguinte, os juros não serão mais R$ 1.050, mas sim R$ 1.123, já que eles incidem sobre juros anteriores.

O efeito cascata disso pode ser enorme: em 20 anos, os juros compostos podem transformar seus R$ 15 mil em R$ 58.045 na mesma rentabilidade que usamos no parágrafo anterior. Sem os juros compostos, em 20 anos o valor seria de apenas R$ 36 mil.

Sentiu a diferença? Essa técnica será extremamente útil para que você possa acumular o montante necessário para viver de juros e rendimentos de maneira mais fácil. Para isso, o que você precisa é começar a investir imediatamente para contar com o efeito cascata dos juros compostos daqui a 20 anos.

6. Encontrar uma consultoria confiável para seu dinheiro

Viver de investimentos é uma questão de confiança. Afinal, você precisará confiar seu dinheiro a alguma aplicação para poder viver tranquilo de renda. Uma boa parceria é feita com quem trabalha para obter os melhores rendimentos para você, e não para cumprir alguma meta de desempenho ou arrecadar fundos para um banco.

Além disso, é muito importante ter ao seu lado o apoio de uma equipe de especialistas em investimentos, que esteja por dentro das últimas novidades. Assim, você não precisa se preocupar com o avançado do mercado e pode curtir sua merecida vida com alta rentabilidade.

Agora que você já tem várias dicas de como viver de investimentos, que tal dar o próximo passo na sua jornada em busca da estabilidade financeira? Comece com questionário para saber seu perfil como investidor e veja as recomendações da Magnetis para você investir melhor o seu dinheiro!

Viver de investimentos: 6 dicas para ter sustento com renda
5 (100%) 1 vote[s]
consultoria de investimento