Calculadora para viver de renda: saiba quanto dinheiro você precisa juntar

por Malena Oliveira | 15/08/2019

Viver de renda: calculadora mostra como investir

Ter uma renda mensal a partir de investimentos é algo perfeitamente possível. Basta cuidar bem das finanças pessoais e manter o foco nos seus objetivos. Quer saber como? Uma calculadora para viver de renda pode te ajudar a descobrir.

A partir de agora, você vai saber quanto dinheiro precisa juntar para parar de trabalhar e como viver dos juros de aplicações financeiras. a partir de agora, vamos descobrir:

  • o que é preciso para viver de renda;
  • como determinar sua renda mensal no futuro;
  • como juntar dinheiro para viver de renda;
  • como calcular em quanto tempo você pode começar a viver de renda.

Aproveite para tirar suas dúvidas e deixar seus comentários ao fim do post. Vamos começar?

O que é preciso para viver de renda?

Viver da renda de investimentos é um objetivo que pode parecer um pouco distante. Muitas pessoas entendem que precisam ficar milionárias para isso. Só que essa questão é bastante relativa.

Para viver de renda, basta ter recursos suficientes para manter seu custo de vida sem que você precise trabalhar para isso.

Para isso, é preciso ter uma fonte inicial de dinheiro. É ela que será utilizada para gerar o seu sustento no futuro. Ela pode vir de:

  • patrimônio acumulado a partir do trabalho (renda ativa);
  • venda de bens;
  • aluguel de imóveis;
  • herança.

A partir daí, você pode investir o dinheiro gerado e transformá-lo em uma fonte de renda passiva. Ou seja, trata-se de uma forma de fazer o dinheiro trabalhar para você.

Como determinar sua renda mensal no futuro?

Quanto dinheiro você precisa ter para manter o seu padrão de vida atual? Essa é uma medida que varia de pessoa para pessoa, mas basicamente se trata do seu salário ou da sua principal fonte de renda.

E no futuro, como será? Vale lembrar que, ao longo da vida, é muito natural que o custo de vida seja alterado conforme o contexto.

Por exemplo: uma pessoa solteira tem, em teoria, menos gastos fixos do que alguém que com filhos pequenos.

Da mesma forma, o custo de vida de uma pessoa jovem e saudável tende a ser bem diferente do de uma pessoa idosa com problemas de saúde.

Todos esses pontos devem ser levados em conta na hora de planejar o seu futuro. Nesse sentido, torna-se muito importante fazer um planejamento financeiro que contemple essas questões.

Algumas perguntas para ajudar você nesse processo:

  • hoje você ganha dinheiro suficiente para cobrir os seus gastos? Sobra algum dinheiro para guardar?
  • caso não sobre, o que você pode fazer para ficar com as contas equilibradas? Gastar menos? Conseguir outra fonte de renda? Alterar o seu estilo de vida?
  • caso sobre dinheiro, como você está investindo esses recursos? Eles estão parados na poupança ou na conta-corrente? Você está pagando taxas caras para alguém administrar esse dinheiro? Seus investimentos estão protegidos contra a inflação?

Resolvidos esses pontos, é hora de pensar na sua renda mensal no futuro: qual valor será suficiente para bancar os seus gastos? Depois de responder essa pergunta você terá condições de seguir para a próxima etapa.

Como juntar dinheiro para viver de renda?

Digamos que, após refletir sobre essas questões, você tenha chegado à conclusão de que precisa de pelo menos R$ 5 mil por mês para bancar o seu estilo de vida (ainda não vamos falar de inflação para não complicar o raciocínio). Os próximos passos são:

1 – Descubra quanto dinheiro você precisa juntar

Saber quanto dinheiro acumular para ter uma renda mensal é simples. Basta usar uma fórmula matemática chamada cálculo de perpetuidade.

imagem mostra um exemplo de aplicação da fórmula da perpetuidade para descobrir quanto dinheiro juntar para viver de renda

A lógica é a seguinte: se você quer ter R$ 5 mil de renda mensal, basta dividir esse valor pela taxa de juros mensal de um investimento qualquer. (Repare que se essa taxa for anual, primeiro é preciso convertê-la em taxa mensal para fazer o cálculo da forma correta)

O resultado será o montante que você deve juntar para viver dos juros dessa aplicação sem que ela se esgote.

Para facilitar, um exemplo: um investimento que rende 100% da taxa Selic hoje entrega uma rentabilidade de 6% ao ano. Isso significa um rendimento de 0,4% ao mês.

Aplicando o cálculo da perpetuidade, temos o seguinte resultado:

R$ 5 mil / (0,4/100) = R$ 1,25 milhão

Isso significa que você precisa investir R$ 1,25 milhão a uma taxa de 0,4% ao mês (ou 6% ao ano) para sacar R$ 5 mil todo mês sem afetar o seu capital.

Note que escolhemos de propósito um investimento que rende a taxa Selic. Isso porque, se você quiser ter uma renda mensal garantida, precisa investir o valor acumulado em uma aplicação segura e previsível.

Ou seja, depois que você alcançar o valor necessário para viver de renda, o ideal é buscar um investimento seguro para aplicar essa quantia.

Mas para chegar ao valor necessário, talvez seja preciso ousar um pouco mais, como veremos a seguir.

2 – Calcule em quanto tempo você consegue juntar esse dinheiro

No mundo dos juros compostos, quanto mais tempo você investe, maior tende a ser o rendimento das suas aplicações.

Assim, pensando na meta de juntar R$ 1,25 milhão, existem algumas alternativas:

  • investir um valor inicial e deixá-lo render até alcançar a quantia desejada;
  • investir um valor mensal;
  • combinar uma aplicação inicial com aportes mensais.

Nesse aspecto, não existe certo e errado. Você deve escolher a alternativa que melhor se encaixa na sua realidade.

Saiba, porém, que quanto maior for o valor investido, menos tempo você vai demorar para alcançar o seu objetivo. Vamos ver um exemplo?

Imagine uma pessoa de 30 anos que esteja planejando uma aposentadoria aos 50 anos de idade.

Como ela tem mais tempo para esperar o retorno do seu investimento, ela opta pela diversificação para obter melhores resultados.

A carteira de investimentos recomendada para o perfil dessa pessoa ficou da seguinte maneira:

  • 65,8% em fundos de renda fixa;
  • 13,7% em fundos multimercado;
  • 20,5% em ações.

Assim, ela escolheu fazer uma aplicação inicial de R$ 10 mil e aportes mensais de R$ 2 mil durante 20 anos. O resultado projetado é o seguinte:

(Use o simulador de investimentos da Magnetis e faça seus próprios cálculos!)

Vale destacar que, sob as mesmas condições:

  • a poupança renderia R$ 865 mil;
  • um investimento com retorno de 100% do CDI renderia R$ 992 mil.

É possível testar essa mesma simulação com outras variáveis. Seria possível alcançar o mesmo valor em 20 anos com:

  • um único aporte de R$ 250 mil;
  • uma aplicação inicial de R$ 5 mil, mais aportes mensais de R$ 2,1 mil.

em 10 anos, as possibilidades seriam:

  • um único aporte de R$ 600 mil;
  • uma aplicação inicial de R$ 300 mil, mais aportes mensais de R$ 3,5 mil;
  • uma aplicação inicial de R$ 150 mil, mais aportes mensais de R$ 5,2 mil.

Agora sim: e quanto à inflação?

Se você conhece a relação entre a inflação e os investimentos, sabe que ela precisa ser levada em conta nas aplicações financeiras de longo prazo.

No entanto, não há como prever em quanto estará esse indicador daqui a dez ou vinte anos.

Uma solução frequentemente adotada pelo mercado financeiro é estimar a inflação com base nos preços dos títulos públicos atrelados ao IPCA, que é o indicador oficial de inflação no Brasil.

Segundo esse consenso, a inflação média para o longo prazo no país fica em cerca de 4% ao ano.

Agora, lembra-se dos cálculos que fizemos no tópico anterior? Eles ainda não levam em conta a inflação do período em que o dinheiro estará rendendo.

Para resolver esse problema, é preciso aplicar a correção pelo IPCA ao valor que você precisa juntar para viver de renda. Ficou complexo? Existe uma ferramenta que pode ajudar!

Calculadora para viver de renda: veja uma forma simples de fazer as contas

Aqui na Magnetis, desenvolvemos uma ferramenta que calcula automaticamente todos os valores que mencionamos acima. Você só precisa determinar qual será sua renda mensal futura.

imagem mostra a calculadora para viver de renda da Magnetis simulando uma aplicação de R$ 5 mil e aportes mensais de R$  3 mil por 20 anos. A ferramenta diz que o valor ainda não é suficiente para alcançar a quantia necessária para viver de renda
(viver de renda: calculadora da Magnetis)

No exemplo acima, o cálculo leva em consideração a inflação para determinar a quantia que você precisa investir para ter uma renda mensal de R$ 5 mil.

Perceba que, como agora a inflação está embutida, o valor que precisa ser acumulado fica um pouco mais alto: R$ 1,29 milhão.

É por isso que, no exemplo, será preciso ajustar o valor dos aportes mensais. Outra solução seria aumentar o valor inicial investido.

Vale lembrar que a calculadora para viver de renda é gratuita e está disponível para quem tem conta na Magnetis.

O principal diferencial da ferramenta é justamente o nível de personalização. A calculadora leva em conta cada detalhe do seu plano de investimentos para desenhar a estratégia ideal para você alcançar seus objetivos.

Agora que você descobriu as funcionalidades da calculadora para viver de renda da Magnetis, que tal fazer os seus próprios cálculos? Basta preencher as informações sobre o seu perfil para usar a ferramenta.

Calculadora para viver de renda: saiba quanto dinheiro você precisa juntar
5 (100%) 5 vote[s]